CRISE POLÍTICA BRASILEIRA DE 2016 NOS JORNAIS DAS CIDADES DE ABRANGÊNCIA DA UNIPAMPA

Texto completo

(1)CRISE POLÍTICA BRASILEIRA DE 2016 NOS JORNAIS DAS CIDADES DE ABRANGÊNCIA DA UNIPAMPA. Emanuelle Righi Nunes 1 Mara Regina Rodrigues Ribeiro 2. Resumo: O presente trabalho está relacionado à pesquisa intitulada "crise política brasileira de 2016 nos jornais das cidades de abrangência da Unipampa", cujo objetivo principal é acompanhar a produção das empresas jornalísticas da região para analisar o fato noticioso definido como Crise política Impeachment da Presidente Dilma. As palavraschaves que norteiam a pesquisa são: crise, Dilma ou Governo Dilma, Impeachment, comissão de Impeachment. Todos sob a retranca Política. O material coletado referese ao período desde a instalação da comissão especial de impeachment, 17 de março de 2016 até a votação no senado, 10 de agosto. Interessa à pesquisa a produção de características noticiosas, colunas assinadas e editoriais dos jornais que foram publicados nas edições impressas e/ou estiveram acessíveis online, seja ela por website ou mídias sociais. Das dez cidades que compõem o espaço geográfico de abrangência da Unipampa mesorregião sudoeste e sudeste do Rio Grande do Sul estão sendo monitorados os jornais de sete cidade: Alegrete - Gazeta de Alegrete Bagé - minuano Dom Pedrito - Poncho Verde Santana do Livramento - A Plateia São Borja - Folha de São Borja Uruguaiana Cidade Caçapava do Sul - Gazeta de Caçapava. Itaqui, São Gabriel e Jaguarão não integram a pesquisa porque ou as empresas não mantêm iniciativas online ou os respectivos sites estão desatualizados.. Palavras-chave: Crise, Dilma ou Governo Dilma, Impeachment,. Modalidade de Participação: Iniciação Científica. CRISE POLÍTICA BRASILEIRA DE 2016 NOS JORNAIS DAS CIDADES DE ABRANGÊNCIA DA UNIPAMPA 1 Aluno de graduação. emanuellerighi@gmail.com. Autor principal 2 Docente. mararibeirorodrigues@hotmail.com. Orientador. Anais do 9º SALÃO INTERNACIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - SIEPE Universidade Federal do Pampa | Santana do Livramento, 21 a 23 de novembro de 2017.

(2) CRISE POLÍTICA BRASILEIRA DE 2016 NOS JORNAIS DAS CIDADES DE ABRANGÊNCIA DA UNIPAMPA 1. INTRODUÇÃO 2 SUHVHQWH WUDEDOKR HVWi UHODFLRQDGR j SHVTXLVD LQWLWXODGD ³FULVH SROtWLFD brasileira de 2016 nos jorQDLV GDV FLGDGHV GH DEUDQJrQFLD GD 8QLSDPSD´ desenvolvimento no Grupo de Pesquisa História da Mídia, campus São Borja. O projeto tem como principal objetivo acompanhar a produção das empresas jornalísticas da região para analisar o fato noticioso definido como Crise política ± Impeachment da Presidente Dilma. As palavras-chaves que foram base da pesquisa são: crise, Dilma ou Governo Dilma, Impeachment, comissão de Impeachment. Todos sob a retranca Política. O material que está sendo coleta refere-se ao período desde a instalação da comissão especial de impeachment, dia 17 de março de 2016 até a votação no senado, 10 de agosto. Deste período interessa a pesquisa produção de características noticiosas, colunas assinadas e editoriais dos jornais que foram publicados e que estiveram acessíveis em suas iniciativa online, seja ela por wesite ou mídias socais ± facebook. Das dez cidades que compõem o espaço geográfico de abrangência da Unipampa - mesorregião sudoeste e sudeste do Rio Grande do Sul - estão sendo monitorados os jornais de sete cidade: Alegrete ± Gazeta de Alegrete; Bagé ± minuano; Dom Pedrito ± Poncho Verde; Santana do Livramento ± A Plateia; São Borja ± Folha de São Borja; Uruguaiana ± Cidade; Caçapava do Sul ± Gazeta de Caçapava. Destaca-se que Itaqui, São Gabriel e Jaguarão não integram a pesquisa porque ou as empresas não mantêm iniciativas online ou os respectivos sites estão desatualizados. 2. METODOLOGIA Utiliza-se como metodologia análise de conteúdo, conforme Bauer & Gaskell (2002), pois permite apreender uma dimensão qualitativa dos elementos captados no horizonte empírico. Embora tenha predominado na análise de conteúdo clássica um formalismo estatístico ± descrição numérica de algumas características do texto ±, tem-se utilizado esse método, mais contemporaneamente, para estudar os elementos qualitativos do material, o que permite captar atitudes, crenças e tendências em um enunciado. Para melhor compreensão do material empreendeu-se a codificação, elemento que, segundo os autores, garante ao trabalho a coerência, transparência e fidedignidade. O processo de codificação coerente não resulta das meticulosidades de classificar tudo, mas sim da lógica e da simplicidade que fluem de um único princípio organizador. A transparência também é derivada desse referencial, pois ela serve de guia para o codificador. Já a fidedignidade deve ser considerada pelo pesquisador, porque contribui para melhorar o processo de codificação. &RQIRUPH %DXHU *DVNHOO S ³D ILGHGLJQLGDGH GHSHQGH GD quantidade de treinamento, da definição das categorias, da complexidade do UHIHUHQFLDO GH FRGLILFDomR H GR PDWHULDO´ (VVHV WUrV HOHPHQWRV MXQWDPHQWH FRP a validação, que se refere ao grau de possibilidade que o resultado da pesquisa.

(3) apresenta em explicitar corretamente o texto e o contexto, são os critérios de qualidade que fundamentam o discurso metodológico da análise de conteúdo. Codificação está relacionada ao trabalho de clipping. Etapa associado ao PpWRGR GH DQiOLVH GH FRQWH~GR TXH FRQVLVWH HP ³UHFRUWDU´ R PDWHULDO referente às palavras chaves da pesquisa. O código está relacionado ao material de acordo com os gêneros jornalísticos - informativo e opinativo, e, ao tipo de texto: como notícia, reportagem, editorial, nota, artigo de opinião, entrevista, ensaio. 3. RESULTADOS e DISCUSSÃO O projeto está em duas frentes: uma de buscar o material nos jornais e outra de análise do material já coletado. Para esta apresentação os dados são única e exclusivamente do Jornal Gazeta de Alegrete. Fundada em 1º/10/1882, por iniciativa de Luis de Freitas Vale, então Barão de Ibirocaí. Por isso, se autorrepresenta como o jornal mais antigo do Rio Grande do Sul, expressado em seu experiente, que se encontra na página 02. Tem uma periodicidade semanal e circula aos Sábados, com uma tiragem de 1000 exemplares, que atende a seus 800 assinantes. A interface web iniciou em 2005 e utiliza o facebook. A empresa é de caráter familiar. Funciona junto à rádio (do mesmo grupo) e a uma Imobiliária, também propriedade da família. A equipe que responde pelo jornal e o produz é pluriativa, ou seja, não possuem o jornal como única fonte de renda. Redação formada por poucos indivíduos, dos quais apenas um é jornalista diplomado. A atual diretora assumiu o jornal quando seu pai, atual dono, ficou doente e tem como formação arquitetura. Mouillaud (2002) aponta que o jornal se fez o substituto do espaço público e nele se articula e se reproduz o discurso da própria empresa jornalística e de outros enunciadores, ressonância de diversas e diferentes vozes públicas. Permeia assim vários discursos que cruzam. A dinâmica ± dispositivo/ texto- coloca em relevo a informação, figura da visibilidade, tendo uma profundidade e destaque, LVWR p ³R TXH vêm a frente com relação a um fundo sem imagem [...]. Os cenários da vida privada, assim como aqueles da vida pública são, em sua maioria, pré construídos. Os jornalistas trabalham com baterias de informações prepaUDGDV´ 028,//$8' p.43). Um dos elementos que contribuem para a definição de que o acontecimento comum na sociedade se transfigura em informação que está relacionado aos critérios de noticiabilidade. Mais especificamente na proximidade das notícias. Esse princípio diz respeito não apenas a questão geográfica ± notícias de âmbito nacional, regional e local, que demandam, convivência e coabitam o espaçotemporal; também se refere a um fator de identificação que ocorre com as temáticas das notícias veiculadas e a possibilidade de troca das mesmas com outros grupos. Alsina (1993) explica que é como implicações afetivas e psicológicas que os grupos adquirem no compartilhamento do conhecimento comum a respeito de determinados temas. Ainda assim, a mediação que é fornecida a partir de jornalismo local, reorganiza a interação social, dependendo da proximidade dos parceiros sociais e do estatuto comunitário. Correia (1998) e Dornelles (2010) apontam semelhanças para pressionar que são as fortes relações entre as elites locais e os meios de comunicação; a existência de mais espaço para artigo de opinião e colaboração.

(4) externa; e uma conexão de pontas entre o conteúdo dos artigos e as preocupações expressas nos espaços de reunião pública, alguns ligação com anúncios publicitário, espaço para leitor de manifestações do leitor. A imprensa nas cidades do interior mantém um carácter regional forte, tornando-se a base de vozes ilustres no discurso das regiões brasileiras. Na Gazeta de Alegrete isto não é diferente, o jornal em sua página 02, tradicionalmente de opinião, porém a Gazeta traz a editoria de Geral, tratou da crise política a partir da perspectiva do interesse privado, isto se evidencia na publicação do a pedido, no dia 19 de março, cuja autoria era da Confederação da Agricultura e Agropecuária do Brasil (CNA), esse material é espaço pago na página do jornal e carrega as preocupações do setor, muito embora estes estejam conectados com os interesses públicos o viés de tratamento da crise política foi dado pelo discurso do outros e a partir do âmbito nacional. Também o tema foi pontuado em artigos opinativos com viés religioso que faz alusões muito vagas a crise usando expressões que o ex-presidente Luis Inacio Lula GD 6LOYD FRVWXPDYD XVDU FRPR ³QXQFD DnWHV QD KLVWyULD «´ H ID]HQGR UHIHUrQFLD DRV superfaturamentos da copa do mundo e da lava jato. As manifestações contra o governo Dilma que aconteceram em todo país foram repercutidas na Gazeta em forma de notícia, com foto. Assim como a greve nacional dos trabalhadores da educação ocorrida em março. Na primeira notícia há a descrição dos fatos, na segunda, que envolve a educação apresenta outro tom, embora traga a manifestação das fontes do Cpers sindicato e de alguns manifestantes, há uma parte do texto que o jornalista dá seu depoimento sobre o WHPD H GHFODUD VXD HPSDWLD j FDWHJRULD DILUPDQGR TXH ³ VHPSUH GLJR TXH PH WRUQHL jornalista, mas que minha vocação sempre foi de ensinar. (...) Essas é a mais nobre GDV SURILVV}HV ´ A matéria jornalística traz informações e ângulos que se referem a uma realidade, mas não reproduziu na íntegra. A notícia é um corte da realidade, isto é, uma representação. O texto coloca as informações como figura de visibilidade em relevo, que tem profundidade e destaque, isto é, "o que é aparente frente a um fundo sem imagem " (MOUILLAND , 2002, p. 37) . A informação visível é a estrutura, destacando a focado, unificados em uma cena. Porém a visibilidade não é ser ou não fazer (visível) tem simplesmente modos de potência, um duplo sentido de a capacidade e autoridade, como Foucault (2001) indica, a visibilidade é limitada , fixada a um sentido que foi determinada e carrega um endereço . Toda e qualquer LQIRUPDomR JHUD GHVFRQKHFLGD LQYLVtYHO TXH QmR SRGH VHU R GHVWDTXH GR YLVtYHO ³$ informação é o que é possível e o que é legítimo mostrar, mas também o que GHYHPRV VDEHU R TXH HVWi PDUFDGR SDUD VHU SHUFHELGR ´ 028,//$1' 2002, p. 38). Nesse sentido, o ponto de tensão indicado por Groth ( ... ) que relaciona a diferença entre o que a comunidade gostaria de saber e que a instituição jornalística quer saber é observado. Apesar de ocorrer disparidades a relação entre estes dois continua por causa do equilíbrio estabelecido entre as expectativas do primeiro e os interesses deste último. O jornal na verdade se transforma no espaço de intersecção. 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este relatório tenta abranger um pouco da pesquisa dos jornais observados, trazendo um olhar diferenciado do público leigo, vendo no modo como os jornais da.

(5) região estão trabalhando no modo de fazer notícia. O impeachment foi um fato histórico para a história do Brasil, assim as notícias traziam uma grande carga de sentidos em suas publicações, sendo elas notas, reportagens, crônicas ou artigos de opiniões. Percebemos ao longo da pesquisa que os jornais, mostravam implícito seu lado político, assim retratando ao seu modo a crise. 4. REFERÊNCIAS a. Periódicos: FONSECA, J. A.; MEURER, E. J. Inibição da absorção de magnésio pelo potássio em plântulas de milho em solução nutritiva. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 21, 47-50, 1997. b. Livro: KONHNKE, H. Soil physics. 2.ed. New York: MacGraw Hill, 1969. c. Capítulo de livro: JACKSON, M. L. Chemical composition of soil. In: BEAR, F. E., ed. Chemistry of the soil. 2.ed. New York: Reinhold, 1964. p.71-141. d. Trabalho em Anais: 9(7725, / )HUUR ³OLYUH´ SRU FiOFXOR ,Q 15º Congresso Brasileiro de Ciência do Solo. Campinas, 1975. Anais. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1976. p.127-128. e. CD-ROM: SILVA, M. L. N.; FREITAS, P. L.; BLANCANEAUX, P. et al. Índice de erosividade de chuva da região de Goiânia (GO). In: 15º Congresso Brasileiro de Ciência do Solo. 1996. Anais. Águas de Lindóia: Embrapa, 1996. CD-ROM f. Internet: MENDES, G. El Niño and La Niña. Disponível em: < http://www.stormfax.com/elnino.htm>. Acesso em 15 out. 2000..

(6)

Figure

Actualización...

Referencias

Actualización...