ANÁLISE FÍSICO QUÍMICA DA QUALIDADE DA ÁGUA E DO SOLO NO ALAGADIÇO PRÓXIMO DA UNIPAMPA

Texto completo

(1)ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA QUALIDADE DA ÁGUA E DO SOLO NO ALAGADIÇO PRÓXIMO DA UNIPAMPA. Daniela Almeida Mota 1 Paulo Castro Cardoso da Rosa 2 Andressa Machado Campos 3 Iago Fernando Santos Moreira 4 Caiuan Santos Nascimento 5 Thiago Henrique Lugokenski 6. Resumo: A água é um dos elementos mais importantes do planeta Terra, constituindo um bem essencial a todo ser vivo. É um dos compostos de maior distribuição e importância na crosta terrestre e cobre cerca de 70% da mesma. É o elemento essencial e indispensável à manutenção da vida, não apenas por suas características peculiares, mas pelo fato de que nenhum processo metabólico ocorre sem sua ação direta ou indireta. Nestas condições, torna-se imprescindível que sua presença no ambiente esteja em quantidade e qualidade apropriadas para sua posterior utilização. A qualidade da água é resultante de fenômenos naturais e de ações antropogênicas, em função do uso e ocupação do solo na bacia hidrográfica, seja por meio de uma forma concentrada, com a geração de efluentes domésticos ou industriais, ou de uma forma dispersa, com a aplicação de insumos agrícolas e manejo inadequado do solo, contribuindo para a incorporação de compostos orgânicos e inorgânicos nos cursos de água e desta forma, alterando diretamente a sua qualidade. As lagoas ou banhados, termo comumente usados no Rio Grande do Sul, são ambientes de alta concentração energética, pois produzem grandes quantidades de matéria orgânica devido ao excesso de nutrientes existentes nesse ecossistema. Isso significa que há muito alimento, boas condições para o desenvolvimento da fauna e flora bem diversificadas. Os banhados são formações comuns na paisagem pampeana do Rio Grande do Sul e, no passado, estes ecossistemas ocupavam grandes extensões da zona costeira e também de regiões mais internas do estado. Entretanto, atualmente, podem ser considerados como ecossistemas vulneráveis e ameaçados devido ao crescimento urbano, assoreamento, drenagem e poluição. Visto esses aspectos, o objetivo desta pesquisa é obter uma análise da qualidade da água da lagoa e do solo situados ao redor do campus da UNIPAMPA, campus Caçapava do Sul, Rio Grande do Sul, para verificar se há algum risco para a comunidade acadêmica que ali exercem suas atividades. O estudo foi desenvolvido no Município de Caçapava do Sul/RS, na lagoa atrás da UNIPAMPA. Para executar o projeto foram realizadas, primeiramente, pesquisas relacionadas ao tema em artigos científicos. Logo após houveram saídas de campo ao redor da lagoa para a demarcação dos pontos. Os quatro pontos foram escolhidos de forma a assegurar que as amostras fossem significativas para a caracterização do local. Para as coletas de água e solo foram utilizadas garrafas de vidro e, no momento em que era coletado, foram vedadas para evitar contaminação. A coleta aconteceu na parte da manhã. Os resultados das análises de condutividade, oxigênio dissolvido e pH da água classificaram os quatro pontos como de boa qualidade. Mas os testes com azul de metileno mostraram que há presença de microrganismos na água. O pH do solo está em um meio ácido e foram encontrados alumínio, ferro e fósforo. Então, conclui-se que, embora a lagoa situada ao redor da UNIPAMPA apresente um aspecto de poluição, os resultados das análises mostraram que esta encontra-se dentro dos padrões permitidos pelos órgãos de fiscalização ambientais, como o CONAMA..

(2) Palavras-chave: Qualidade da água; Ecossistema; Poluição.. Modalidade de Participação: Iniciação Científica. ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA QUALIDADE DA ÁGUA E DO SOLO NO ALAGADIÇO PRÓXIMO DA UNIPAMPA 1 Aluno de graduação. danih.mota@gmail.com. Autor principal 2 Aluno de graduação. pcastrocardosodarosa@gmail.com. Co-autor 3 Aluno de graduação. andressacamposma@gmail.com. Co-autor 4 Outro. iagofsm@gmail.com. Co-autor 5 Aluno de graduação. caiuansantosn@gmail.com. Co-autor 6 Docente. thiagolugokenski@unipampa.edu.br. Orientador. Anais do 9º SALÃO INTERNACIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - SIEPE.

(3) ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA QUALIDADE DA ÁGUA E DO SOLO NO ALAGADIÇO PRÓXIMO DA UNIPAMPA 1. INTRODUÇÃO A água é um dos elementos mais importantes do planeta Terra, constituindo um bem essencial a todo ser vivo. É um dos compostos de maior distribuição e importância na crosta terrestre e cobre cerca de 70% da mesma. É o elemento essencial e indispensável à manutenção da vida, não apenas por suas características peculiares, mas pelo fato de que nenhum processo metabólico ocorre sem sua ação direta ou indireta. Nestas condições, torna-se imprescindível que sua presença no ambiente esteja em quantidade e qualidade apropriadas para sua posterior utilização (BRAGA et al., 2002; REBOUÇAS, 2002). A qualidade da água é resultante de fenômenos naturais e de ações antropogênicas, em função do uso e ocupação do solo na bacia hidrográfica, seja por meio de uma forma concentrada, com a geração de efluentes domésticos ou industriais, ou de uma forma dispersa com a aplicação de insumos agrícolas e manejo inadequado do solo, contribuindo para a incorporação de compostos orgânicos e inorgânicos nos cursos de água e desta forma, alterando diretamente a sua qualidade (CORADI; FIA; PEREIRA-RAMIREZ, 2009). As lagoas ou banhados, termo comumente usados no Rio Grande do Sul, são ambientes de alta concentração energética, pois produzem grandes quantidades de matéria orgânica devido ao excesso de nutrientes existentes nesse ecossistema. Isso significa que há muito alimento, boas condições para o desenvolvimento da fauna e flora bem diversificadas. Os banhados são formações comuns na paisagem pampeana do Rio Grande do Sul e, no passado, estes ecossistemas ocupavam grandes extensões da zona costeira e também de regiões mais internas do estado (BURGER, 2000). Entretanto, atualmente, podem ser considerados como ecossistemas vulneráveis e ameaçados devido ao crescimento urbano, assoreamento, drenagem e poluição. Visto esses aspectos, o objetivo desta pesquisa é obter uma análise da qualidade da água do alagado e do solo situados ao redor do campus da UNIPAMPA, campus Caçapava do Sul, Rio Grande do Sul, para verificar se há algum risco para a comunidade acadêmica que ali exercem suas atividades. 2. METODOLOGIA O estudo foi desenvolvido no Município de Caçapava do Sul/RS, no alagado atrás da UNIPAMPA (figura 1)..

(4) Figura 1. Alagado da UNIPAMPA. Para executar o projeto foram realizadas, primeiramente, pesquisas relacionadas ao tema em artigos científicos. Logo após houveram saídas de campo ao redor do alagado para a demarcação dos pontos. Os quatro pontos foram escolhidos de forma a assegurar que as amostras fossem significativas para a caracterização do local. Para as coletas de água e solo foram utilizadas garrafas de vidro e, no momento em que era coletado, foram vedadas para evitar contaminação. A coleta aconteceu na parte da manhã. A figura 2 apresenta os pontos onde foram realizadas as coletas.. Figura 2. Pontos de coleta. Os aspectos físico-químicos utilizados para determinar o pH do solo e da água, oxigênio dissolvido (OD), condutividade elétrica da água foram analisados, respectivamente, utilizando os equipamentos: medidor de pH (pHmetro), medidor de oxigênio dissolvido e condutivímetro de bancada, ambos calibrados. Segundo Troppmair (1988), através do processo de redução do Azul de Metileno pode verificar o índice de poluição de um meio aquoso no que se refere ao excesso de matéria orgânica presente na água. O método relata que a ³GHFRPSRVLomR DQDHUyELD GH VXEVWkQFLDV RUJkQLFDV p IHLWD SRU SURFHVVRV GH.

(5)

(6) está em um meio ácido e foram encontrados alumínio, ferro e fósforo. Então, conclui-se que, embora o alagadiço situada ao redor da UNIPAMPA apresente um aspecto de poluição, os resultados das análises mostraram que esta encontra-se dentro dos padrões permitidos pelos órgãos de fiscalização ambientais, como o CONAMA. 5. REFERÊNCIAS BRAGA, B.; HESPANHOL, I..; CONEJO, J. G. L.; BARROS, M. T.; SPENCER, M.; PORTO, M.; NUCCI, N.; JULIANO, N.; EIGER, S., Introdução à Engenharia Ambiental. São Paulo: Prentice Hall, 2002. BRASIL. Resolução CONAMA 357, de 17 de março de 2005. Ministério do Meio Ambiente. Disponível em: ’http://www.mma.gov.br/port/conama/res/reV UHV SGI“ Acesso em: 01 de dezembro de 2016 BURGER, M. I. 2000. Situação e ações prioritárias para conservação de banhados e áreas. úmidas. da. Zona. Costeira.. Disponível. em:. <http://www.unisinos.br/nupe/arquivos/banhados.pdf.> Acesso em: 01 de dezembro de 2016. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Diário Oficial [da] União,Brasília, n. 53, 18 mar. 2005, p. 58-63. CORADI, P.C.; FIA,R.; PEREIRA-RAMIREZ, O. Avaliação da qualidade da água superficial dos cursos de água do município de Pelotas -RS. Ambi-Água, Taubaté, v.4, n.2, p.46-56, 2009. Disponível em: <www.ambi-agua.net/seer/index.php/ambiagua/article/download/.../331>. Acesso em: 02 de dezembro de 2016. REBOUÇAS, R. (Org.). 2002. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 2.ed. São Paulo, Escrituras. 704p TROPPMAIR, H. Biogeografia e Meio Ambiente. Rio Claro: Divisa, 2004..

(7)

Figure

Actualización...

Referencias

Actualización...