O Plano de Ações Articuladas ( PAR ) e a formação continuada de professores em quatros municípios do Estado do Mato Grosso do Sul, Brasil

13 

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto completo

(1)

I ENCUENTRO INTERNACIONAL DE EDUCACIÓN Espacios de investigación y divulgación.

29, 30 y 31 de octubre de 2014

NEES - Facultad de Ciencias Humanas – UNCPBA Tandil – Argentina

V.3 Continuidades y transformaciones en la formación docente

O Plano de Ações Articuladas ( PAR ) e a formação continuada de professores em quatros municípios do Estado do Mato Grosso do Sul, Brasil

(2)

2 INTRODUÇÃO

Especialmente depois dos anos de 1990, as políticas de formação de professores têm tomado um lugar importante em várias esferas da sociedade, tanto nas esferas governamentais, como também nas associações científicas, acadêmicas e sindicais. O interesse de organismos internacionais com essa temática está vinculado:

[...] à concepção utilitarista da educação, como instrumento que pode promover o crescimento econômico, por meio da formação de “capital humano” que possa servir sobretudo aos interesses do mercado. É nessa lógica que ocorrem as reformas nos sistemas educacionais. As políticas educacionais incidiram fortemente sobre o docente – protagonista privilegiado do processo educacional. A preocupação com a formação desse profissional passou a ser uma constante nas agendas dos diferentes países e nas reformas empreendidas [...]. (MAUÉS, 2009, p.5)

De acordo com Pimenta (1999), é importante investir na formação do professor, já que, na sociedade contemporânea, cada vez mais é indispensável que um professor tenha seu trabalho voltado para a cidadania dos estudantes. Apresentando a necessidade e urgência de melhorar a qualidade educacional do Brasil, precisa-se que a formação continuada do docente alcance a escola de um modo absoluto. Assim é preciso de esforço para que o professor ocupe seu espaço e que seja reconhecido nos planos de ação dos governos.

E é através das Políticas públicas que o Estado implementa um projeto de governo, através de programas ou ações voltadas para setores diversos da sociedade (AZEVEDO, 2004), dentro desses setores está o educacional, fazendo assim que tenha a possibilidade de mudar a qualidade da educação. O Plano de Ações Articuladas (PAR) é uma dessas formas dos municípios terem financiamento educacional e assim tentar melhorar vários aspectos da educação municipal, inclusive a formação docente.

(3)

3

Tendo como objetivo relacionar a formação continuada de professores com a melhora da qualidade da educação, o que vem assim desencadear políticas de formação continuada para docentes no Brasil e como o PAR vem influenciado no desenvolvimento de políticas de formação continuada nos municípios estudados, contudo analisando também outras políticas nacionais. Assim perante o exposto a questão norteadora da pesquisa será: Qual é a relação do Plano de Ações Articuladas (PAR) na formação continuada de professores nos municípios sul-mato-grossenses estudados?

Metodologicamente esse trabalho será desenvolvido por meio da pesquisa qualitativa-quantitativa, subsidiada pelas fontes bibliográfica, documental e empírica. De acordo com Gamboa (2013, p.105) pesquisa quantidade-qualidade é quando se buscam: “equilíbrio entre as polarizações sujeito-objeto, quantidade-qualidade, explicação-compreensão, registro controlado dos dados-interpretação etc”.

Afinal, o estudo será construído a partir dos depoimentos e documentos com a literatura existente sobre a temática de estudo em questão. Sendo assim, a metodologia para a pesquisa é muito importante, pois colabora para encontrar uma resposta com fundamentos para a problemática, e assim possa contribuir para o desenvolvimento do conhecimento científico.

1. FORMAÇÃO CONTINUADA NA POLÍTICA EDUCACIONAL: EM DOCUMENTOS INTERNACIONAIS E NACIONAIS

Essa temática vem sendo discutida mundialmente, com vários focos: ora o foco está nos cursos limitados, com estrutura que se faz após acabar a universidade ou entrar na rede de ensino; ora se foca quaisquer tipos de atividades, mais amplas, porém que aumente o conhecimento do docente e que possa ajudar no seu desempenho profissional, ou seja, é relevante neste caso toda ocasião que possa trazer algum tipo de informação para refletir, em qualquer ambiente. Há inúmeras possibilidades de definir formação continuada. (GATTI, 2008).

(4)

4

formação é um elemento importante de desenvolvimento profissional, mas não é o único e talvez não seja o decisivo.” (IMBERNÓN, 2009, p.34)

Portanto, a formação continuada tem a função de proporcionar ao professor o aprimoramento de seu saber, com acesso às novas informações e novos conceitos, para que assim, possa analisar de uma forma mais eficaz, as diversas situações de ensino existentes, juntamente com os formadores. Todavia, é importante levar em conta a história do docente, e considerar seus conhecimentos adquiridos durante sua trajetória.

Os Documentos internacionais dão ênfase de alguma forma, que é preciso preparar o docente para se ter e formar novas gerações para o mundo, isso nem a escola nem os professores estão preparados para realizar para com seus alunos. De acordo com Lessard e Tardif (2008), os organismos internacionais fazem uma série de medidas, tendo foco principal melhorar a qualidade educacional, como por exemplo, mais tempo para formação (tanto na escola como na formação continuada dos professores), entre outros aspectos que também são importantes para a educação.

Um dos principais fatores dentro dos processos da educação de qualidade é o corpo docente, pois não tem como substituir o professor na mudança da educação, na mudança dentro da escola, na formação de valores para seus alunos e no alcance de uma aprendizagem de qualidade relevante para a vida. Como esses educadores têm um papel de extrema importância no processo da educação de qualidade, precisa ter assim capacitação e formação adequada. (UNESCO, 2004)

A qualidade da educação também pode ser melhorada através da formação continuada dos docentes, porém uma formação mais intensa e com supervisão de outros professores. Sendo assim essencial para o aprimoramento educacional, melhorar a formação desses professores, criar incentivos para esses professores, ou seja, valorizar o trabalho docente. (OCDE, 2014)

No entanto, não é somente em documentos internacionais que estão dando ênfase para a formação continuada de professores. Existem também documentos nacionais que colocaram a formação docente como sendo uma parte importante para o aperfeiçoamento da educação no Brasil, como por exemplo, a LDB e PNE.

(5)

5

níveis e diferente fase da educação, como também a realização de programas, cursos para os professores que estão em atividade, para que esses possam se aperfeiçoar.

Outro avanço nas políticas educacionais no Brasil foi a aprovação primeiramente do Plano Nacional de Educação (PNE) em 2001 e depois em 2014, com quatro anos de demora, onde a formação continuada docente tem relevância.

Depois de uma análise sobre a política de formação de professores, o PNE (BRASIL, 2001, p. 141) mostra que é necessário ter dedicação sobre a formação docente:

A qualificação do pessoal docente se apresenta [...] como um dos maiores desafios para o Plano Nacional de Educação, e o Poder Público precisa se dedicar prioritariamente à solução deste problema. A implementação de políticas públicas de formação inicial e continuada dos profissionais da educação é uma condição e um meio para o avanço científico e tecnológico em nossa sociedade e, portanto, para o desenvolvimento do País, uma vez que a produção do conhecimento e a criação de novas tecnologias dependem do nível e da qualidade da formação das pessoas.

Já o novo Plano Nacional de Educação – PNE, que foi aprovado pela lei nº 13.005 de 2014 (BRASIL, 2014a), foi estabelecida em relação à formação continuada de professores que o educador é um dos protagonistas da educação, como um caminho para conseguir a efetivação da qualidade da educação brasileira.

Por meio das legislações apresentadas, foi possível perceber que em relação à formação de professores, sempre haverá conflitos, ou por centralizar muito ou por descentralizar muito, tentando atender aos interesses de todos os níveis educacionais brasileiros.

2. FORMAÇÃO DE PROFESSORES POR MEIO DO PAR NOS MUNICÍPIOS DO MATO GROSSO DO SUL

(6)

6 [...] constituir em um dos mais importantes instrumentos de planejamento educacional nos estados e municípios brasileiros, destacando-se assim como elemento central na gestão da educação pública contemporânea e, dessa forma, como um aspecto relevante a ser considerado ao tratar da temática da qualidade da educação.

Das quatros dimensões existentes no PAR, esse artigo focará na dimensão 2, que nos mostra sobre formação docente. Seguindo as ideias de Albuquerque (2013, p.) o PAR: “[...] constitui importante instrumento de apoio técnico e financeiro da União para as redes públicas básicas, particularmente as redes escolares públicas com índices mais baixos no Ideb”.

No entanto o foco desse trabalho é pesquisar sobre a formação continuada no PAR dos munícipio de Corumbá, Coxim, Dourados e Ponta Porã, que estão localizados no Estado do Mato Grosso do Sul, tem uma população estimada em 2013 de 2.587.269, fica na região Centro-Oeste do Brasil, possui uma área de 357.145,532 Km², com uma densidade demográfica de 6,86hab/km² e é composto num total de 79 municípios e sua capital é Campo Grande. (IBGE, 2014). Está localizado geograficamente, com a Bolívia e Paraguai, como se pode ver na Imagem 1.

Imagem 1: Mapa do Estado do Mato Grosso do Sul.

Fonte: Disponível em: http://webcarta.net/carta/mapa.php?id=249&lg=pt. Acesso em 24.07.2014.

(7)

7

críticos, onde são considerados aspectos negativos e devendo assim de apoio técnico e/ou financeiro urgente do MEC. (MEC, 2011)

No município de Corumbá deu no diagnostico do PAR em relação com a formação continuada de seus professores que precisavam de financiamento referente a ações para melhorar a quantidade dentro das instituições escolares, dos profissionais de serviço que participam de programas voltados para a gestão escolar, e fazer políticas sobre formação docente para assim cumprir a Lei 10.639 de 2003.

E por meio do Termo de Cooperação Técnica Nº 23845 (MEC, 2014) que entre o Ministério da Educação - MEC e o município de Corumbá/MS, no Anexo 1em relação ao índice 2 sobre Formação de Professores e de Profissionais de Serviços e Apoio Escolar, nos mostra que o município, para conseguir melhorar os itens que relacionou no seu diagnóstico, tem que:

1. Disponibilizar 150 kit(s) de material para suporte ao processo didático de implantação da Lei 10.639/03, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais. 2. Qualificar 52 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Alimentação Escolar). 3. Qualificar 26 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Gestão Escolar). 4. Qualificar 52 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Meio Ambiente e Manutenção e Infra-estrutura Escolar) . 5. Qualificar 26 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Multimeios Didáticos). 6. Capacitar 150 professor(es) cursista(s) em História e Cultura Afro-brasileira e Africana, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais.

Depois do diagnóstico feito pelo município de Corumbá, o Termo de Cooperação, que tem a descrição de todas as atividades previstas pelo PAR, está bem estabelecido com as ações que o município precisava realizar para melhorar com o diagnóstico do PAR, tendo assim em relação à formação docente, que o município precisa de kits para suporte didático de acordo com a lei 10.639/2003 e capacitar profissionais da educação através do Profuncionário (em alimentação escolar, gestão escolar, manutenção escolar, recursos tecnológicos) e capacitar professores em História e Cultura Afro-brasileira.

(8)

8

para assim cumprir o estabelecido na Lei 10.639 de 2003 e essa politica tem que estar voltada para melhorar o desenvolvimento de todos componentes curriculares.

E por meio do Termo de Cooperação Técnica nº 25221 (MEC, 2014) que entre foi estabelecido entre o Ministério da Educação - MEC e o município de Coxim/MS, no Anexo 1em relação ao índice 2 sobre Formação de Professores e de Profissionais de Serviços e Apoio Escolar, nos mostra que o município tem que fazer diversas ações para melhorar os itens avaliados no diagnóstico do PAR.

1. Capacitar 44 professor(es) cursista(s) em curso de formação continuada, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento - Professores Educação Infantil. 2. Disponibilizar 126 kit(s) de material para suporte ao processo didático de implantação da Lei 10.639/03, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais. 3. Capacitar 4 professor(es) cursista(s) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação continuada para professores que atuam com crianças de 6 anos pela (S) Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento - Professores Anos Iniciais do Ensino Fundamental. 4. Capacitar 8 professor(es) cursista(s) dos anos/séries finais do ensino fundamental, em curso de aperfeiçoamento na área de Alfabetização e Linguagem, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento em Alfabetização e Linguagem para Anos Finais do Ensino Fundamental. 5. Capacitar 4 professor(es) cursista(s) dos anos/séries finais do ensino fundamental, em curso de aperfeiçoamento na área de Artes e Educação Física, pela (S) Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento em Artes e Educação Física. 6. Capacitar 8 professor(es) cursista(s) dos anos/séries finais do ensino fundamental, em curso de aperfeiçoamento na área de Educação Matemática e Científica, pela (S) Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento em Educação Matemática e Científica para Anos Finais do Ensino Fundamental. 7. Capacitar 4 professor(es) cursista(s) dos anos/séries finais do ensino fundamental, em curso de aperfeiçoamento na área de ensino de Ciências Humanas e Sociais, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento em Ciências Humanas e Sociais para Anos Finais do Ensino Fundamental. 8. Qualificar 16 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Alimentação Escolar). 9. Qualificar 8 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Gestão Escolar). 10. Qualificar 16 funcionário(s) de serviço e apoio escolar, pelo Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Meio Ambiente e Manutenção e Infra-estrutura Escolar) . 11. Capacitar 126 professor(es) cursista(s) em História e Cultura Afro-brasileira e Africana, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais. 12. Capacitar 16 professor(es) cursista(s) em curso presencial, pela SEESP - Programa Educação Inclusiva: Direito à Diversidade.

(9)

9

formação de professores, que o município precisa de formação continuada para docentes dos três níveis da educação básica, kits para suporte didático de acordo com a lei 10.639/2003, capacitar profissionais da educação por meio do Profuncionário (em alimentação escolar, gestão escolar e manutenção escolar) e capacitar professores em História e Cultura Afro-brasileira.

No município de Dourados por meio no diagnóstico do PAR, precisam de financiamento para voltadas para politicas de formação de professores (inicial e continuada) para assim acontecer o cumprimento da Lei 10.639 de 2003; a política voltada para melhorar o desenvolvimento profissional dos que atuam na educação infantil e que foquem na melhoria de desempenho de todos os componentes curriculares.

E através do Termo de Cooperação Técnica nº 19609 (MEC, 2014) que entre si celebram o Ministério da Educação - MEC e o município de Dourados/MS, no Anexo 1em relação ao índice 2 sobre Formação de Professores e de Profissionais de Serviços e Apoio Escolar, nos mostra que o município tem que:

1. Capacitar 100 professor(es) em curso de formação continuada, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento - Professores Educação Infantil. 2. Capacitar 100 professor(es) que atuam na Educação Infantil em temas da diversidade pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação para a Diversidade e Cidadania. 3. Disponibilizar 120 kit(s) de material para suporte ao processo didático de implantação da Lei 10.639/03, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais. 4. Capacitar 90 professor(es) que trabalham nas escolas do campo, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação do Campo. 5. Capacitar 150 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação continuada nos demais componentes curriculares, pela (S) Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento - Demais Componentes Curriculares. 6. Capacitar 150 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação em Alfabetização e Letramento e Educação Matemática, pelo Pró-Letramento - Programa de Formação Continuada de Professores das Séries Iniciais do Ensino Fundamental . 7. Capacitar 80 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação continuada em temas da diversidade, pela SECAD - Formação para Diversidade - Gênero e Diversidade na Escola. 8. Disponibilizar 1 kit(s) de material para capacitação de professores, especifico da Educação no Campo, pela SECAD - CAMPO - Tecnologias da Educação do Campo. 9. Capacitar 120 professor(es) em História e Cultura Afro-brasileira e Africana, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais.

(10)

10

município precisa de formação continuada para professores da educação infantil sobre diversidade, kits para suporte do processo didático e capacitar os professores em formações continuadas sobre leitura, escrita, tecnologia do campo e história e cultura afro-brasileira.

O munícipio de Ponta Porã precisa de financiamento para realizar ações voltadas para política para a formação continuada, com o objetivo de melhor a aprendizagem de todos os componentes curriculares; habilitar os docentes que não tem habilitação na educação infantil; possibilitar que os professores tenham formação superior ou participam de cursos em diversas modalidades e fazer políticas de formação visando o estabelecido na lei 10.639 de 2003.

E através do Termo de Cooperação Técnica nº 17143 (MEC, 2014) que entre si celebram o Ministério da Educação - MEC e o município de Ponta Porã/MS, no Anexo 1em relação ao índice 2 sobre Formação de Professores e de Profissionais de Serviços e Apoio Escolar, nos mostra que o município tem que:

(11)

11 Brasil - Licenciatura em Pedagogia. 14. Capacitar 18 professor(es) que trabalham nas escolas do campo, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação do Campo. 15. Capacitar 15 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de especialização em Educação Matemática e Cidadania, pela UAB - Universidade Aberta do Brasil - Especialização em Matemática e Cidadania. 16. Capacitar 10 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação continuada para professores que atuam com crianças de 6 anos pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento - Professores Anos Iniciais do Ensino Fundamental . 17. Capacitar 15 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação continuada em Alfabetização e Letramento e Educação Matemática, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento em Alfabetização e Letramento e Educação Matemática. 18. Capacitar 15 professor(es) dos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em curso de formação em Alfabetização e Letramento e Educação Matemática, pelo Pró-Letramento - Programa de Formação Continuada de Professores das séries Iniciais do Ensino Fundamental. 19. Capacitar 10 professor(es) que atuam na Educação Infantil em temas da diversidade pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação para a Diversidade e Cidadania. 20. Capacitar 10 professor(es) em curso de formação continuada, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento - Professores Educação Infantil. 21.Capacitar 15 professor(es) em curso de especialização, pela UAB - Universidade Aberta do Brasil - Especialização para Professores da Educação Infantil. 22. Disponibilizar 1 kit(s) de material para capacitação de professores, especifico da Educação no Campo, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação do Campo. 23. Capacitar 10 professor(es) dos anos/séries finais do ensino fundamental, em curso de formação continuada em Matemática e Língua Portuguesa, pelo Gestar II - Programa de Gestão e Aprendizagem Escolar. 24. Capacitar 9 professor(es) dos anos/séries finais do ensino fundamental, em curso de aperfeiçoamento na área de ensino de Ciências Humanas e Sociais, pela Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica - Aperfeiçoamento em Ciências Humanas e Sociais. 25. Habilitar 15 professor(es) que atuam nos anos/séries iniciais do ensino fundamental, em nível superior, Pedagogia, pela UAB - Universidade Aberta do Brasil - Licenciatura em Pedagogia. 26. Capacitar 6 professor(es) que trabalham nas comunidades indígenas, pela SECAD - INDÍGENA - Formação Continuada para Professores das Comunidades Indígenas. 27. Capacitar 20 professor(es) em História e Cultura Afro-brasileira e Africana, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais. 28. Disponibilizar 20 kit(s) de material para suporte ao processo didático de implantação da Lei 10.639/03, pela SECAD - Formação para Diversidade - Educação das Relações Étnico-raciais.

Depois do diagnóstico feito no município de Ponta Porã, o Termo de Cooperação está de acordo com o diagnóstico, tendo em vista que em relação a formação de professores, o município precisa de kits de material didático, capacitar profissionais da educação através do Profuncionário (em alimentação escolar e tecnologia escolar, gestão escolar) e capacitar em formações continuadas professores sobre leitura, escrita, artes, ciências e história e cultura afro-brasileira.

(12)

12

Depois do exposto sobre as políticas de formação continuada de professores, fica evidente que na última década a União se esforçou muito para elevar o nível da formação dos professores, para assim tentar melhorar a qualidade educacional no Brasil. Sendo a formação continuada tem sido avaliada nos últimos tempos como uma ferramenta importante para o desenvolvimento do professor, onde eles são considerados os que fazem a diferença para se ter ou não um ensino de qualidade. Assim os governantes começaram a investir nessa direção, capacitando os profissionais da educação para que ao mesmo tempo eles ficassem com a “responsabilidade” da educação e também atender a demanda das instituições de ensino que precisavam desse profissional. (MAUÉS, 2012).

O PAR, assim como todos os programas cujo objetivo é melhorar a educação pública, precisa de assistência técnica do formulador da política, sendo essa o MEC, para melhor diagnóstico e implementar esses programas nos municípios. (MEC, 2011) É importante que nas ações de política de formação continuada, o professor seja consultado de forma coletiva, pois assim valorizam os docentes, levando em conta a diversidade de suas experiências. (SILVA, 2011)

Podemos perceber que os quatro municípios tem em comum em relação a formação continuada do diagnostico e o termo de compromisso diversas ações, entre elas as seguintes: os quatros municípios precisam de kits de material didático, capacitar profissionais da educação através do Profuncionário (em alimentação escolar, gestão escolar e tecnologia escolar) e capacitar professores em formações continuadas sobre os componentes curriculares e principalmente em relação a história e cultura afro-brasileira.

REFERÊNCIA

AMORIM, Milene Dias. A Qualidade da Educação Básica no PDE: Uma Análise a partir do Plano de Ações Articuladas. Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-graduação em Educação, Dissertação de Mestrado, Dourados, 2011.

BRASIL. LEI No 10.172, DE 9 DE JANEIRO DE 2001. Plano Nacional de Educação - PNE. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm>, acesso em 10.03.2014.

(13)

13

<http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm>, acesso em 01.07.2014.

______. LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional [recurso eletrônico]. – 8. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2013. 45.p

CAMPOS, Elisabete Ferreira Esteves. Políticas públicas em educação: uma proposta participativa de formação de professores. Revista ACOALFAplp: Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua portuguesa, São Paulo, ano 2, n. 3, 2007.

GATTI, Bernardete A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação. [online]. 2008, vol.13, n.37, pp. 57-70. ISSN 1413-2478. Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n37/06.pdf>, acesso em 15.02.2014.

GATTI, Bernardete A; BARRETO, Elba Siqueira de Sá (Coord.). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em:

<http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001846/184682por.pdf>, acesso em 10.03.2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/>, acesso em 15.06.2014.

IMBERNÓN, F. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009.

LESSARD, C.; TARDIF, M. As transformações atuais do ensino: três cenários possíveis na evolução da profissão do professor? In: TARDIF, M.; LESSARD, C. (Orgs.). O ofício de professor: histórias, perspectivas e desafios internacionais. Petrópolis: Vozes, 2008.

MAUÉS, O. C. A política da OCDE para a educação e a formação docente. A nova regulação? Redalyc, v. 34, n.1, pp. 75-85, abr. 2012.

______. Regulação Educacional, Formação e Trabalho Docente. Estudos em Avaliação Educacional. São Paulo, n. 44, p.473-492, set./dez. 2009.

MEC. Instrumento diagnóstico PAR municipal 2011-2014. Maio 2011.

______. PAR - PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS. Relatório público do PAR dos municípios de Corumbá, Coxim, Dourados e Ponta Porã. 2014. Disponível em: <http://simec.mec.gov.br/cte/relatoriopublico/principal.php>, acesso 30.03.2014.

OCDE. Dividing the pie in Brazil: income distribution, social policies and the new middle class. 2014. Disponível em:

Figure

Actualización...