Baixa concordância entre os critérios de referência da fitnessgram para adolescentes

Descargar (0)

Texto completo

(1)

www.rpped.com.br

REVISTA

PAULISTA

DE

PEDIATRIA

ARTIGO

ORIGINAL

Baixa

concordância

entre

os

critérios

de

referência

da

fitnessgram

para

adolescentes

Diogo

Henrique

Constantino

Coledam

a,

,

João

Pedro

Batista

Júnior

b

e

Maria

Fátima

Glaner

b

aInstitutoFederaldeEducac¸ão,CiênciaeTecnologiadeSãoPaulo(IFSP),Boituva,SP,Brasil bUniversidadeEstadualdeLondrina(UEL),Londrina,PR,Brasil

Recebidoem16demaiode2014;aceitoem7desetembrode2014 DisponívelnaInternetem31dejaneirode2015

PALAVRAS-CHAVE Adolescente; Aptidãofísica; Saúde; Sobrepeso Resumo

Objetivo: Analisaraassociac¸ãoeaconcordânciadoscritériosdereferência(CR)dafitnessgram

paraaptidãoacardiorrespiratória,índicedemassacorporal(IMC)eforc¸aemjovens.

Métodos: Participaramdoestudo781 jovens, 386dosexo feminino,entre 10a 18anosde Londrina (PR). Foramaplicadostestes deaptidãocardiorrespiratóriae forc¸amuscular efoi calculadooIMC.Aassociac¸ãoentreostestesfoianalisadapormeiodaregressãodePoisson para se obterarazão deprevalência(RP) eosrespectivos intervalosde confianc¸ade 95%, enquantoqueaconcordânciadoscritériosfoifeitacomoíndiceKappa.

Resultados: Foramencontradas associac¸õessignificativasentreaaptidãocardiorrespiratória eIMC(RP=1,49,1,27-1,75),forc¸amusculareIMC(RP=1,55,1,17-2,08),aptidão cardiorrespi-ratória eforc¸a muscular (RP=1,81,1,47-2,24). A concordância entreo atendimentodosCR varioudefracaarazoável,de48,8%(k=0,05;p=0,10)paraaptidãocardiorrespiratóriaeIMC, 52,9%(k=0,09;p=0,001)paraaforc¸amusculareIMCe38,4%(k=0,22;p<0,001)paraaaptidão cardiorrespiratóriaeforc¸amuscular.

Conclusões: ApesardeosCRparaaaptidãocardiorrespiratória,IMCeforc¸amuscularestarem associados, aconcordância encontradaentreelesvarioudefraca arazoável.Paraavaliara aptidãofísicarelacionadaàsaúderecomenda-seaaplicac¸ãodetodosostestes,umavezque cadatestetemcaracterísticasespecíficas.

© 2014Associac¸ãodePediatria deSãoPaulo. PublicadoporElsevier EditoraLtda.Todosos direitosreservados.

Autorparacorrespondência.

E-mail:diogohcc@yahoo.com.br(D.H.C.Coledam). http://dx.doi.org/10.1016/j.rpped.2014.11.010

(2)

KEYWORDS Adolescent; Physicalfitness; Health;

Overweight

Lowagreementbetweenthefitnessgramcriterionreferencesforadolescents

Abstract

Objective: Toanalyzetheassociationandagreementoffitnessgramreferencecriteria(RC)for cardiorespiratoryfitness,bodymassindex(BMI)andstrengthinyouth.

Methods: Thestudyincluded781youth,386females,aged10to18yearsofLondrina-PR.It wereperformedcardiorespiratoryfitnessandmuscularstrengthtestsandwascalculatedbody massindex.TheassociationbetweenthetestswasanalyzedusingPoissonregressiontoobtain prevalenceratio(PR)andconfidenceintervalsof95%,whileagreementofthereferencecriteria wastestedbyKappaindex.

Results: Significant associations were found between cardiorespiratory fitness and BMI (PR=1.49,1.27-1.75),musclestrengthandBMI(PR=1.55,1.17-2.08),cardiorespiratoryfitness andmusclestrength(PR=1.81,1.47-2.24).Theagreementbetweenreferencecriteriaranged fromweaktofair,48.8%(k=0.05,p=0.10)forcardiorespiratoryfitnessandBMI,52.9%(k=0.09,

p=0.001)formusclestrengthandBMIand38.4%(k=0.22,p<0.001)forcardiorespiratoryfitness andmusclestrength.

Conclusions: AlthoughRCforcardiorespiratoryfitness,musclestrengthandBMIareassociated, theagreementbetweenthem rangedfromweak tofair.Toevaluatehealthrelatedphysical fitnessitissuggesttheexecutionofalltests,sinceeachtesthasspecificcharacteristics. © 2014Associac¸ãode Pediatriade SãoPaulo. Publishedby Elsevier EditoraLtda.All rights reserved.

Introduc

¸ão

Aaptidãofísicapodeserdefinidacomoacondic¸ãoque possi-bilitaaosujeitofazeresforc¸osfísicos,édivididaemaptidão física relacionada à saúde e ao desempenho atlético. Os componentesda aptidão físicarelacionada à saúdesão a aptidãocardiorrespiratória,aforc¸amuscular,aflexibilidade eacomposic¸ãocorporal.

Fatores de risco cardiometabólicos e de saúde men-tal de adolescentes são associados com a aptidão cardiorrespiratória,1,2 com o sobrepeso3,4 e com a forc¸a

muscular,5,6 além de a obesidade também apresentar

associac¸ão comdoresmusculoesqueléticas.7 Para

diagnos-ticaradolescentesque possamestar emriscoassociadosà baixaaptidãofísicarelacionadaàsaúde,foramelaborados critérios de referência (CR), o maisrecente a bateria de testesfitnessgram.8OsCRsãovalores(pontosdecorte)que

devemseratingidos,ouultrapassados,paraquesetenham condic¸õesdesejáveisdesaúde.

Emadolescentes,arelac¸ãoentrediferentes componen-tesdaaptidãofísicajáfoidemonstrada.Hárelac¸ãopositiva, quevariade moderadaa forte,entrea forc¸amuscular, a velocidadeeaagilidade.9Damesmaforma,aaptidão

car-diorrespiratóriaserelacionadeformapositiva,defracaa moderada, com a forc¸a e a velocidade.10 Por outro lado,

hárelac¸ãoinversaentreo índice demassa corporal(IMC) e aaptidão cardiorrespiratória,a forc¸a, a velocidadee a agilidade.11

Recentemente, Dumith et al.12 demonstraram que o

desempenho em diferentes testes de forc¸a muscular, velocidade,agilidadeeaptidãocardiorrespiratóriasão for-temente relacionados, enquanto que o IMC se relaciona apenas com os testes que requerem sustentac¸ão ou pro-pulsão da massa corporal. Hipotetiza-se que, por existir essaforterelac¸ãoentreoscomponentesdaaptidão física,

possivelmenteumúnico testepossarepresentar o desem-penho físico doindivíduo e evitar, assim,uma bateria de testescompleta,oqueacarretarianadiminuic¸ãodotempo despendido para aplicar as medidas, além de aumentar a praticidade para analisara aptidão física relacionada à saúde.12

Para o melhor entendimento da relac¸ão entre os dife-rentestestes paraaaptidão físicarelacionadaàsaúdede adolescentes eda possibilidadedeuso deumúnico teste comooseuindicador,deveseranalisadosehá concordân-ciaentreosCRdosrespectivostestes.Abateriadetestesde aptidão físicarelacionada àsaúde---fitnessgram8---sofreu

alterac¸ões(em 2010)nospontos decorte,deacordocom a idadee osexo. Naliteraturacientíficajáexistem algu-mas informac¸ões a respeito da concordância entre os CR paraflexibilidade,13 aptidãocardiorrespiratória,14forc¸a15e

oIMC.16

Apesar dea correlac¸ão entreoscomponentes da apti-dãofísica relacionadaà saúdejáter sidodemonstrada, a associac¸ãodaclassificac¸ãodosadolescentesentreos dife-rentescomponentes aindanãofoianalisada.Essa análise, assim como a da concordância entre os CR, pode forne-cer informac¸ões que fundamentem ou não a hipótese da avaliac¸ão devários componentesda aptidão física relaci-onadaà saúdeapartirdeumúnicoteste.Dessaforma,o objetivodopresenteestudofoianalisaraassociac¸ãoea con-cordânciaentreosCRdabateriafitnessgramparaaaptidão cardiorrespiratória,oIMCeaforc¸aemadolescentes.

Método

Estudodotipotransversal,oqualfazpartedoprojeto deno-minadoInfluênciadoProgramadeEducac¸ãoFísicasobrea SaúdedosAdolescentes,aplicadonaredeestadualdeensino

(3)

emLondrina(PR),entreabrilejulhode2012.Ométodopara aselec¸ãoamostralfoioprobabilístico,comdois conglome-rados (escolaesaladeaula) eestratificadoporregião da cidade(norte,sul,leste,oesteecentro)e sexo,feitoem doisestágios.Primeiramenteumaescoladecadaregiãoda cidade foi sorteada aleatoriamente e em cada escola foi usada uma quantidade dealunos proporcional ao número dealunosdaregião,comousodassalasdeaulas comple-tas.

OestudofoiaprovadopeloComitêdeÉticaemPesquisa em Seres Humanos da Universidade Estadual de Londrina (CEP: 312/2011), de acordo com a resoluc¸ão 196/96 do Conselho Nacional de Saúde. Todos os responsáveis pelos escolares, que concordaram que eles participassem do estudo,assinaramoTermodeConsentimentoLivree Escla-recido,noqual foraminformadostodosos procedimentos queseriamfeitosetodasasformasdecontatospara escla-recimentodepossíveisdúvidas.

O cálculo do tamanho amostral necessário teve como parâmetrosa populac¸ão de 55.475 escolares,a prevalên-cia de atendimento aos critérios de saúde para aptidão físicarelacionadaàsaúdede50%,17ointervalodeconfianc¸a

de95% eumerroamostral de5%. Umnúmeromínimode 382 escolares seria necessário. Foi acrescido o efeito de delineamentodedois,devidoaousodeconglomeradosna amostragem,efoiadicionadaumapossívelperdaamostral de20%. Oscritérios deinclusão foram:ter entre10 e 18 anos, estar matriculado na rede estadual de ensino, fre-quentar as aulas de educac¸ão física e não ter limitac¸ão física/ortopédicaqueimpedisseafeituradosprocedimentos doestudo.

Foram analisados 965 adolescentes, no entanto foram incluídos apenas 781, uma vez que foram analisados os dadosapenasdosadolescentesquefizeramcompletamente ostestes eresponderamaoquestionáriodecondic¸ão soci-oeconômica. A perda amostral foi de 23,5%. Todos os procedimentosforamfeitosnaescolaemqueoalunoestava matriculado noperíodo damanhãouda tarde, duranteo horário de aula. Os alunos foram orientados a não fazer esforc¸ofísicoextenuanteoualterarsuarotinadiárianodia anteriorenodiadacoletadedados.

Foi aplicado um questionário socioeconômico, foram tomadasmedidasantropométricasefeitos doistestes físi-cos. O questionário foi respondido em sala de aula, as medidas antropométricas e os testes físicos foram toma-dase feitos na quadrapoliesportivadaescola,nomesmo dia.Todas asmedidasforamtomadasnestaordem: antro-pometria,testedeflexãodecotovelos etestedeaptidão cardiorrespiratória.

Osadolescentesdoestudoforamagrupadosquantoasua condic¸ão socioeconômica. Essafoi estimada pormeiodos Critérios deClassificac¸ãoEconômica doBrasil,18 que

esta-beleceníveis deacordocoma estimativaderenda média familiar:A1(R$11.480),A2(R$8.295),B1(R$4.754),B2(R$ 2.656),C1(R$1.459),C2(R$962),D(R$680)eE(R$415). Paraaanálisedosdados,osadolescentesforamagrupados emcondic¸ãosocioeconômicaalta(A1-B1),média(B2-C2)e baixa(DeE).

Aestaturafoimedidacomumestadiômetrocomescala de 1mm com o auxílio de um cursor. A massa corporal foi medida em uma balanc¸a digital com escalade 100g. O IMC foi calculado por meio daequac¸ão massa corporal

Tabela1 Característicasdaamostra

Variável n(%)

Sexo

Masculino 386(49,4)

Feminino 395(50,6)

Condic¸ãosocioeconômica

Alta(A1-B1) 103(13,2) Média(B2-C2) 420(53,8) Baixa(DeE) 258(33) IMC AtendeCR 586(76,3) NãoatendeCR 185(23,7) Aptidãocardiorrespiratória AtendeCR 371(47,5) NãoatendeCR 410(52,5)

Forc¸amuscular

AtendeCR 273(35,0)

NãoAtendeCR 508(65,0)

CR,Critériodereferência;IMC,índicedemassacorporal.

(kg)/estatura(m)2.Aaptidãoaeróbiafoiestimadapormeio

dotestevaivém(20m).19 Aforc¸amuscularfoimedidapor

meiodotestedeflexãodecotovelos.OsCRadotadospara IMC,aptidão cardiorrespiratóriaeforc¸amuscularforamos propostos pela fitnessgram.8 Estes classificam os

adoles-centes, em func¸ão da faixa etária e sexo, nas seguintes categorias:1)nãoatendeaoCR-altorisco;2)nãoatende aoCR-algumrisco;3)atendeaocritério-zonasaudávelde aptidão.

Inicialmenteosdadosforamanalisadospormeioda esta-tística descritiva --- frequência absoluta e relativa. Para verificar a associac¸ão entre os resultados foi usado o teste de qui-quadrado (␹2). As variáveis que

apresenta-ram associac¸ão (p≤0,05) no teste de ␹2 foram incluídas

nomodelo deregressãodePoissoncomajuste robustode variânciapara estimativa darazão de prevalência (RP) e os respectivos intervalos de confianc¸a de 95%. Uma vez que os desfechos analisados têm prevalência superior a 10%,optou-se porusaro ajuste robustodavariânciapara obterumintervalodeconfianc¸amaispreciso.Asvariáveis foramajustadas para idade, sexo e condic¸ão socioeconô-micae foiconsideradaasignificânciade5%.Paraanalisar a concordância dos CR, foi usado o índice Kappa (k), assim como a concordância relativa de classificac¸ão dos indivíduosentreostestes.OsvaloresdeKappaforam inter-pretados de acordo com Landis & Coch:20 < 0 = pobre;

0-0,20=fraca; 0,21-0,40=razoável; 0,41-0,60=moderada; 0,61-0,80=forte;0,81-1,00quaseperfeita.

Resultados

Ascaracterísticas daamostraestão descritasna tabela1. Aproporc¸ãode adolescentesdosexo masculino(49,4%) e feminino(50,6%)foisemelhante.Amaioria(53,8%)foi clas-sificadacomcondic¸ãosocioeconômicamédia,seguidapela baixa(33%). Paraa aptidão cardiorrespiratória,47,5% dos

(4)

Tabela2 Associac¸ãoentreoscritériosdereferência(CR)paraaaptidãocardiorrespiratória,aforc¸amusculareoIMC

ACR,n(%) NãoACR,n(%) p

Forc¸aMuscular

IMC ACR 228(38,3) 368(61,7) <0,001 NãoACR 45(24,3) 140(75,7) Aptidãocardiorrespiratória IMC ACR 293(49,2) 303(50,8) 0,014 NãoACR 78(42,2) 107(57,8) Aptidãocardiorrespiratória

Forc¸aMuscular ACR 172(63,0) 101(37,0) <0,001

NãoACR 199(39,2) 309(60,8)

IMC,índicedemassacorporal;ACR,atendemaoscritériosdereferência.

adolescentesatenderamaoCR,76,3%atenderamparaoIMC e35%paraaforc¸amuscular.

Osresultadosdaanálisebivariada(tabela2)indicamque foramencontradasassociac¸õespositivasentreosCRparaa aptidãocardiorrespiratória,oIMCeaforc¸amuscular.Houve maiorproporcãodeatendimentoaoCRparaaaptidão car-diorrespiratória (49,2 vs 42,2%) e a forc¸a muscular (38,3 vs24,3%)entreaquelesqueatenderamao CRparaoIMC. Ainda,entreosadolescentesqueatenderamaoCRparaa aptidãocardiorrespiratória,houvemaiorproporc¸ãono aten-dimentoparaoCRdaforc¸amuscular(63,0vs39,2%).

Como foram encontradas associac¸ões (p<0,05) entre todososCR(tabela2),todasasvariáveisforamincluídasna análisemultivariada,ajustadaparasexo,idadeecondic¸ão socioeconômica(tabela3).Apósoajuste,foram encontra-dasrazõesdeprevalênciaparaoatendimentoaoCRparaa aptidãocardiorrespiratória49%superiornosqueatendemao CRparaoIMC,comparadoscomosquenãoatendem.Para aassociac¸ãoentreoCRdoIMCcomaforc¸amuscular, indi-víduosqueatendemaoCRparaoIMCapresentamrazãode prevalência55%superioraoCRparaaforc¸amuscular, com-paradoscom osquenão atendemao CRpara IMC.Para a associac¸ãoentreaforc¸amusculareaptidão cardiorrespira-tória,indivíduosqueatendemaoCRparaaforc¸amuscular apresentamrazão de prevalência81% superior de atendi-mentoaoCRparaaaptidãocardiorrespiratória,comparados comosquenãoatendemaoCRparaaforc¸a.

Quanto aosresultadosdeconcordânciaentreo atendi-mentoaoCR,paraostestesdeaptidãocardiorrespiratória eIMC, foramencontradoso valor dek=0,05e concordân-ciarelativade48,8%.ParaaconcordânciaentreoCRpara oIMCcom odotestedeforc¸amuscular,k=0,09 e concor-dânciarelativade52,9%.AconcordânciadoCRparaaforc¸a musculareaaptidãocardiorrespiratóriafoik=0,22ea con-cordânciarelativa foide38,4%.As concordânciasentreos testesforamclassificadascomofracasarazoáveis.

Discussão

Arelac¸ãoentreoscomponentesdaaptidãofísicaeo desem-penhoatlético,taiscomoaforc¸a,aagilidade,avelocidade, a aptidão cardiorrespiratória e o IMC, já foi descrita na literatura.9-12 Entretanto,aanálise daassociac¸ãoentreos

CRe aaptidãofísicarelacionadaàsaúde,comoaaptidão

cardiorrespiratória, o IMC e a forc¸a,ainda nãohavia sido feita. Nopresenteestudo, aanálise foifeitapormeiode variáveiscategóricas,comousodoatendimentoaosCR.Os resultadosdemonstraramqueháassociac¸ãoentreosCRpara aaptidãocardiorrespiratória,aforc¸aeoIMC.Noentanto, háumaconcordânciaquevariadefracaarazoávelparao atendimentoconcomitanteentreosCR.

Ocorreu maior razão de prevalência (49%) de atendi-mento ao CR para a aptidão cardiorrespiratória nos que atendemao CRparao IMC,oqueindica piordesempenho notestedeaptidãocardiorrespiratórianosqueapresentam sobrepeso. Isso podeser explicado pela limitac¸ão que os adolescentescomsobrepesotêmparaaumentarademanda cardiorrespiratória, requerida para movimentar a maior massa corporal, o que é evidenciado pelos valores seme-lhantesdeconsumodeoxigênio, nolimiardelactatoeno esforc¸omáximocomparadocomadolescenteseutróficos.21

Alémdisso,devidoàmaiormassacorporal,osadolescentes comsobrepesosãosobrecarregadosmetabolicamente,oque resultaemmaiorquantidaderelativadeoxigênioconsumida duranteoexercíciosubmáximo.21

A maior massa corporal ocasionada pelo sobrepeso tambémpodeexplicaraassociac¸ãoencontradaentreo aten-dimentodoCRparaaforc¸amusculareoIMC,noqualhouve maiorrazãodeprevalência(55%)paraoatendimentodoCR paraforc¸amuscularnos queatendem oCRpara oIMC. O testedeforc¸ausadonopresenteestudofoiodeflexãode cotovelos,oqualéinfluenciadotantopelagordurarelativa quantopelamassacorporal.22Essesresultadoscorroboram

outros estudos que demonstraram que adolescentes com sobrepeso têm pior desempenho em testes de forc¸a que necessitampropulsãoousustentac¸ãodamassacorporal.11,12

Para a associac¸ão entre a forc¸a muscular e a aptidão cardiorrespiratória,osresultadosapontaramquehámaior proporc¸ão(81%)deatendimentoaoCRparaaforc¸amuscular nosqueatendemaoCRparaaaptidãocardiorrespiratória.A relac¸ãofoiencontradaemoutrosestudos,entretantoos tes-tesusadosforamdiferenteseasvariáveisforamanalisadas deformalinear.10,12Emadultos,foidemonstradoqueoteste

deflexãodecotoveloséumindicadordeforc¸amáxima, gor-duracorporalecapacidadeaeróbiamáxima,23 apesardeo

mecanismoresponsávelpelasrelac¸õesaindanãoser conhe-cido. Nopresenteestudo, umaspectoquepodemediar a associac¸ãoentreoatendimentoaoCRparaaforc¸amuscular eaaptidãocardiorrespiratóriaéaatividadefísicahabitual

(5)

Tabela3 Análisemultivariadadaassociac¸ãoentreoatendimentodoscritériosdereferênciaparaaaptidãocardiorrespiratória, aforc¸amusculareoIMC

Critériosanalisados RP(IC95%) Variânciarobusta p

IMCvsaptidãocardiorrespiratória 1,49(1,27-1,75)a 0,120 <0,001

IMCvsforc¸amuscular 1,55(1,17-2,08)b 0,228 0,002

Forc¸amuscularvsaptidãocardiorrespiratória 1,81(1,47-2,24)c 0,228 <0,001

RP,razãodeprevalênciaajustadaparaosexo,aidadeeacondic¸ãosocioeconômica;IC95%,intervalodeconfianc¸ade95%.

a TestedeWald=307,55,p<0,001.

b TestedeWald=63,78,p<0,001.

c TestedeWald=93,85,p<0,001.

dosadolescentes.RecentementeMorrowetal.24

demons-traramqueadolescentesqueatendemàrecomendac¸ãode atividade física semanal têm razão de chance 3,1 vezes superiordeatenderatodososCRparaaaptidão cardiorres-piratória,oIMC,aforc¸amusculareaflexibilidade, compara-doscomosquenãoatendemàrecomendac¸ãodeatividade física.Possivelmentehá relac¸ãodecausae efeitoentrea atividadefísicaeodesempenhoemtestesdeaptidãofísica. Apesardasassociac¸õesencontradasentreoatendimento aosCRparaaaptidão cardiorrespiratória,oIMC eaforc¸a muscular, aconcordância noatendimentoaosCR dos tes-tes é classificada de fracaa razoável, variac¸ão de 38,4 a 52,9%.Abaixaconcordânciaencontradapodeserexplicada pelos métodos usados na elaborac¸ão dos CR. A validac¸ão dos CR da fitnessgram propostos para o IMC teve como objetivoidentificaradolescentesquepossamestaremrisco baseados na estimativa da gordura relativa, obtida por meio das dobras cutâneas tricipital+subescapular ou tri-cipital+panturrilha.25 Com relac¸ão aos CR para aptidão

cardiorrespiratória,osCRforamvalidadoscomobjetivode identificaradolescentesemriscodeseremacometidospela síndrome metabólica, utilizando como parâmetro do con-sumomáximo deoxigênioanalisado deformadireta.26 Ao

contráriodoIMC e daaptidãocardiorrespiratória, paraos testes de forc¸a ainda não está estabelecido um desfecho relacionado àsaúde,o maisusadoé orelato dedoresna regiãolombar.27

Umaspectoaserconsideradoaoanalisaraconcordância entre o teste de forc¸a muscular e o de aptidão cardior-respiratória é a especificidade dos testes em relac¸ão às atividadesfísicasfeitasporadolescentes.Odesempenhoem testesmotoresédependentedoníveldeatividadefísicado indivíduo24egrandepartedoacúmulodeatividadefísicados

adolescentesprovémdasatividades esportivasedo trans-porteativo, tarefas predominantementeaeróbias e feitas emsuamaioriacomousodosmembrosinferiores.Poroutro lado, tarefas que exigem forc¸a de membros superiores e demandamenergiaanaeróbia,taiscomoflexãodecotovelo, nãosãocomumentefeitaspelosadolescentes,oquepode justificaroseubaixodesempenhonesseteste.Nopresente estudo,issopodeserobservadodevidoàmenorprevalência deatendimentoaoCRparaforc¸amuscular,quando compa-radacomaaptidãocardiorrespiratória(35%vs47,5%).

Os resultados indicam que não deve ser usado apenas umtestecomoindicadorgeraldaaptidãofísicarelacionada à saúde. Apesar de a aptidão cardiorrespiratória, a forc¸a muscular e o IMC estarem associados, a concordância do atendimento aos CR apresentada pelos testes se mostrou

inaceitávelpara apoiara hipótese deque umtestepossa representaraaptidãofísicarelacionadaàsaúdede adoles-centes.Dessaforma,sugere-sequesejamaplicadostodosos testesquecompõemabateriadeaptidãofísicarelacionada àsaúde,paraquesetenhadiferentesindicadoresdesaúde emadolescentes.

Apesar detersidoanalisadaa associac¸ãoe concordân-ciaentrediferentesaspectosdaaptidãofísicarelacionada àsaúdedeadolescentes,anãoinclusãodefatoresderiscoà saúdeimpediuidentificarquaistestessãomelhores predito-resdasaúdeemadolescentes.Estudosfuturosdevemincluir fatoresderisco àsaúdedeadolescentes, fatoque auxili-aránoentendimentodaescolhadetestesespecíficospara estimaraptidãofísicarelacionadaàsaúdedestes.Ainda,a aplicabilidadedosachadosestálimitadasomentea adoles-centes que apresentamcondic¸õesde seremsubmetidos a bateriadetestesdafitnessgram.

Financiamento

Oestudonãorecebeufinanciamento.

Conflitos

de

interesse

Osautoresdeclaramnãohaverconflitosdeinteresse.

Referências

1.BaileyDP,BoddyLM,SavoryLA,DentonSJ,KerrCJ.Associations betweencardiorespiratoryfitness,physicalactivityand cluste-redcardiometabolicriskinchildrenandadolescents:theHappy study.EurJPediatr.2012;171:1317---23.

2.GreenleafCA,PetrieTA,MartinSB.Psychosocialvariables asso-ciatedwithbodycompositionandcardiorespiratoryfitnessin middle school students. Res Q Exerc Sport. 2010;81 Suppl 3:S65---74.

3.FriedemannC,HeneghanC,MahtaniK,ThompsonM,PereraR, WardAM.Cardiovascular diseaseriskinhealthychildrenand its associationwithbodymass index: systematicreview and meta-analysis.BMJ.2012;345:e4759.

4.Forste R, Moore E. Adolescent obesity and life satisfaction: perceptionsofself,peers,family,andschool.EconHumBiol. 2012;10:385---94.

5.Artero EG, Ruiz JR, Ortega FB, Espa˜na-Romero V, Vicente-Rodríguez G,MolnarD,etal. Muscularandcardiorespiratory fitnessareindependentlyassociatedwithmetabolicriskin ado-lescents:theHelenastudy.PediatrDiabetes.2011;12:704---12.

(6)

6.Padilla-Moledo C,Ruiz JR,Ortega FB, MoraJ, Castro-Pi˜nero J.Associationsofmuscularfitnesswithpsychologicalpositive health,healthcomplaints,andhealthriskbehaviorsinSpanish childrenandadolescents.JStrengthCondRes.2012;26:167---73.

7.DeereKC,ClinchJ,HollidayK,McBethJ,CrawleyEM,Sayers A, et al.Obesity is a riskfactor for musculoskeletalpainin adolescents: findings from a population-based cohort. Pain. 2012;153:1932---8.

8.Plowman SA,Sterling CL,CorbinCB, MeredithMD, WelkGJ, MorrowJRJr. Fitnessgram/Activitygramreferenceguide. 4th ed.Dallas:TheCooperInstitute;2010.

9.Coledam DH, DeArruda GA,Dos-SantosJW, DeOliveira AR. Relationship of vertical, horizontal and sextuple jumps with agility and speed in children. Rev Bras Educ Fis Esporte. 2013;27:43---53.

10.Ré AH, Bojikian LP, Teixeira CP, Böhme MT. Relac¸ões entre crescimento,desempenhomotor,maturac¸ãobiológicaeidade cronológica em jovensdosexomasculino. RevBrasEducFis Esporte.2005;19:153---62.

11.Bovet P, Auguste R, Burdette H. Strong inverse association betweenphysicalfitnessandoverweightinadolescents:alarge school-basedsurvey.IntJBehavNutrPhysAct.2007;4:24.

12.Dumith SC, VanDusenD,KohlHW. Physicalfitness measures amongchildrenandadolescents:aretheyallnecessary.JSports MedPhysFitness.2012;52:181---9.

13.De Arruda GA,De OliveiraAR. Agreement between the cri-teria for children and adolescents’ flexibility established by the physical best and the fitnessgram. Rev Educ Fis/UEM. 2012;23:183---94.

14.PaludoAC,FernandesRA,BlasquezG,ZambrinLF,Serassuelo JuniorH.Concordancebetweentwoclassificationsfor cardio-respiratoryfitnessinchildren.RevPaulPediatr.2012;30:404---8.

15.Sherman T, Barfield JP. Equivalence reliability among the FITNESSGRAMupper-bodytestsofmuscularstrengthand endu-rance.MeasPhysEducExercSci.2006;10:241---54.

16.GlanerMF.Bodymassindexasindicativeofbodyfatcompared totheskinfolds.RevBrasMedEsporte.2005;11:243---6.

17.SchubertA,JanuárioRS,CasonattoJ,SonooCN.Bodyimage, nutritionalstatus, abdominalstrength, and cardiorespiratory fitnessinchildrenandadolescentspracticingsports.RevPaul Pediatr.2013;31:71---6.

18.Abep[páginanainternet].CritériodeClassificac¸ãoEconômica

doBrasil [acessadoem 12de abrilde 2012].Disponível em:

http://ow.ly/yCuz5.

19.LégerLA, Mercier D,GadouryC, LambertJ. Themultistage 20 metre shuttle run test for aerobic fitness. J Sports Sci. 1988;6:93---101.

20.LandisJR,KochGG.Themeasurementofobserveragreement forcategoricaldata.Biometrics.1977;33:159---74.

21.NormanAC,DrinkardB, McDuffieJR,GhorbaniS, YanoffLB, YanovskiJA,etal.Influenceofexcessadiposityonexercise fit-nessandperformanceinoverweightchildrenandadolescents. Pediatrics.2005;115:e690---6.

22.Castro-Pi˜neroJ,ArteroEG,Espa˜na-RomeroV,OrtegaFB, Sjös-trömM,SuniJ,etal.Criterion-relatedvalidityoffield-based fitness testsinyouth: a systematicreview.Br JSports Med. 2009;44:934---43.

23.VaaraJP,KyröläinenH,NiemiJ,OhrankämmenO,HäkkinenA, KocayS,etal.Associationsofmaximalstrengthandmuscular endurancetestscoreswithcardiorespiratoryfitnessandbody composition.JStrengthCondRes.2012;26:2078---86.

24.MorrowJR Jr, Tucker JS, Jackson AW, Martin SB, Greenleaf CA,PetrieTA.Meetingphysicalactivityguidelinesand health--relatedfitnessinyouth.AmJPrevMed.2013;44:439---44. 25.LaursonKR,EisenmannJC,WelkGJ.Bodymassindexstandards

basedonagreementwithhealth-relatedbodyfat.AmJPrev Med.2011;41Suppl2:S100---5.

26.WelkGJ,LaursonKR,EisenmannJC,CuretonKJ.Development ofyouth aerobic-capacitystandards using receiver operating characteristiccurves.AmJPrevMed.2011;414Suppl2:S111---6. 27.ZhuM,MaharMT,WelkGJ,GoingSB,CuretonKJ.Approaches fordevelopment ofcriterion-referencedstandards in health--relatedyouthfitnesstests. AmJPrevMed.2011;414 Suppl 2:S68---76.

Figure

Actualización...

Referencias

Related subjects :