Estado e nação no Brasil

Top PDF Estado e nação no Brasil:

Já andamos fartos de discussões políticas, o Brasil social é que deve atrair todos os esforços de seus pensadores [...]. Sílvio Romero, o problema do povo-nação e o pensamento social brasileiro

Já andamos fartos de discussões políticas, o Brasil social é que deve atrair todos os esforços de seus pensadores [...]. Sílvio Romero, o problema do povo-nação e o pensamento social brasileiro

Em O Brasil social, Romero demonstra a rara lucidez com que visualiza os problemas brasileiros propõe suas soluções. São apontados a concentração da riqueza, da terra e do saber, o que chama de “antinomias” brasileiras; o imperialismo das grandes potencias que se apoderam das riquezas nacionais, a apatia polí- tica do povo, o analfabetismo. Discutindo com Euclides da Cunha, a quem dirige o artigo, Romero defende a importância de se valo- rizar o sertanejo como o elemento mais importante da nação, onde está nosso presente e nosso futuro. Euclides previa o seu desa- parecimento devido à impossibilidade, por suas precárias condi- ções físicas e mentais, de sobreviver ao contato com a civilização. Romero não podia concordar com esse prognóstico do aniquila- mento do que percebia como a maioria da população brasileira. Imbuído da sua confiança no desenvolvimento brasileiro, o autor escreve um trecho que, a meu ver, resume o espírito da obra de Sílvio Romero:
Mostrar más

21 Lee mas

Leituras das relações Portugal-Brasil nas revistas A Águia e Nação Portuguesa, 1910-1926

Leituras das relações Portugal-Brasil nas revistas A Águia e Nação Portuguesa, 1910-1926

Para o brasileiro nacionalista a história de Portugal é sua até, pelo menos, a essa primeira Missa do desembarque da gente lusíada na terra ainda enigmática de Santa Cruz. É sua em todos os primores da língua que falamos e que põe no nome de Camões o expoente máximo de uma civilização em que o Brasil se inclui no mesmo pé de igualdade que Portugal. Orgulha-se o nacionalismo brasileiro da sua ascendencia portuguesa. Orgulha-se a nação portuguesa da sua descendencia brasileira. (NAÇÃO PORTUGUESA, n. 11, p. 549, 1923). É interessante observar nesse contexto, o fato de António Sardinha buscar minimizar os conflitos decorrentes da política de exploração metrópole-colônia, enfatizando que o Brasil, mesmo enquanto colônia portuguesa, recebera um tratamento diferenciado. Fora sempre uma parte transplantada de Portugal além-mar e não meramente um sítio exploratório (MULLER, 2011, p. 199).
Mostrar más

33 Lee mas

O desafio das vanguardas: nação, cosmopolitismo e intercâmbios intelectuais entre Argentina e Brasil . Estudios comparados em Argentina y América Latina

O desafio das vanguardas: nação, cosmopolitismo e intercâmbios intelectuais entre Argentina e Brasil . Estudios comparados em Argentina y América Latina

Os elementos pertencentes ao campo cultural moderno se cruzaram aqui com elementos autóctones, como é o caso do indígena no Brasil, e pertencentes à tradição, como foi o criollismo de Borges. Era necessário adequar os elementos europeus à realidade de nossos países. É então que se começa a formular uma tentativa de construir uma visão de identidade nacional, que, ao mesmo tempo em que coloca em relevo o diálogo com a Europa, ressalta aspectos tradicionais de nossa cultura, também cruzados com elementos modernos. Assim é a Revolução Francesa que antecede a «Revolução Carahiba» no Manifesto Antropófago, são a linguagem criolla e os bairros antigos de Buenos Aires em Borges, é o pau-brasil para nomear o manifesto de Oswald de Andrade (marcado por diversos elementos da cultura européia).
Mostrar más

6 Lee mas

O corpo esportivo e o nacionalismo brasileiro durante a II Guerra Mundial: uma análise a partir de um jornal da cidade de Vitória/ES/Brasil

O corpo esportivo e o nacionalismo brasileiro durante a II Guerra Mundial: uma análise a partir de um jornal da cidade de Vitória/ES/Brasil

De acordo com Negreiros (1998), na transição dos anos 1920 para os 1930, nacionalismo e autoritarismo constituíam-se em eixos fundamentais da prática política e da obra de vários intelectuais brasileiros. Para eles, a República, até então, não havia sido capaz de forjar uma “verdadeira” Nação. Assim, uma tarefa urgente se impunha: construir a Nação brasileira. Com a instauração do Estado Novo (1937-1945), esse objetivo foi alteado à prioridade. Nesse contexto, o esporte se apresentou como um dos pilares necessários à construção de um sentimento de identidade nacional.
Mostrar más

9 Lee mas

442a Estado Estado nação sociedade

442a Estado Estado nação sociedade

de busca do desenvolvimento econômico, e supõem sempre que ela tenha assegurado para si um território e um Estado, porque esta é uma condição da sua própria existência. A nação é a sociedade politicamente organizada que compartilha de uma história e um destino comuns e logra (ou tem perspectivas de) se dotar de um território e de um Estado e, assim, formar um Estado-nação. que lhe garanta autonomia, segurança e desenvolvimento econômico. 5 O conceito de “destino comum” é amplo, mas envolve sempre os objetivos de segurança externa, ordem pública interna, e desenvolvimento econômico. A nação não é um fenômeno “natural”, não existe desde tempos imemoriais; é sempre socialmente construída, e o foi, historicamente, a partir da revolução capitalista. Eric Hobsbawm (1990) demonstrou com clareza que este passado imemorial das nações não faz sentido; que elas são recentes, fazem parte do mundo moderno. Para se constituir a nação não necessita de um idioma e de uma etnia comuns, mas precisa de um Estado ou de um projeto de Estado. Neste conceito fica claro que a história e o destino ou os objetivos políticos comuns são condições necessárias para a existência de uma nação, enquanto que existem muitas exceções à exigência de idioma comum (a nação suíça é a grande exceção), e mais ainda à etnia comum: as nações, em países como o Brasil e os Estados Unidos, são essencialmente mestiças; em menor grau, todas as grandes nações hoje existentes são mestiças. Ao conceito de nação está associado o conceito de soberania popular. Conforme assinala Paulo Bonavides (2008: 196), “a nação incorpora a legitimidade do povo soberano promulgando as constituições soberanas do contrato social”.
Mostrar más

27 Lee mas

Como se deve (re)escrever a História nacional?

Como se deve (re)escrever a História nacional?

Contudo, como reconduzir ao âmbito nacional e à História nacional as experiências plurais de atores sociais, políticos, étnicos e culturais que somente impostações ideológicas muito arraigadas permitiam imaginar como homogêneas? De acordo com Norbert Elias, é a partir da relação com uma forma específica de Estado, e com as políticas públicas derivadas dele, que se constrói rasgos comuns identificáveis no corpo heterogêneo dos habitantes de uma entidade política nacional. 68 E assim sendo, pode-se afirmar, de forma contundente, que o que determina as possibilidades de prosperidade e convivência em um país não são as histórias nacionais trufadas de mitos, muitos deles nascidos da falta de liberdade, da obsessão étnica ou da ausência de cidadania; de narrativas que distorcem o passado e entorpecem o conhecimento, senão a consciência e a vontade política de quem o habita, a vontade de fazer do presente um território ético e um lugar para todos. A ideia que moveu cada página deste texto é que o presente de qualquer nação é definido pelos cidadãos, e não pela imposição da força pelos defensores de um capitalismo cínico; não pela interpretação da história e da memória nacional imposta por determinados grupos sociais que obedecem a interesses particulares; não pela solidão da torre, mas pela convivência integradora baseada no diálogo e respeito mutuo; não pela da falácia de que outro mundo (alternativa) não é possível. Se, por um lado, a pluralidade e a diversidade devem ser concebidas como recursos de valor, por outro, a escrita da história nacional não deve ser uma colcha de retalhos, nem um mosaico de memórias, não deve ser concebida como uma história em migalhas, a fragmentada história das mulheres, dos negros, dos homossexuais, dos trabalhadores, dos excluídos, das elites, mas uma história que leve em consideração a contribuição de todos os cidadãos e habitantes de um país, de todas as culturas, de todos os protagonistas silenciados, excluídos, torturados e vencidos. A escrita ou reescrita da história nacional necessariamente deve ampliar seus enfoques de acordo com os problemas enfrentados pela sociedade. Além dos temas assinalados ao longo do texto, se acrescenta outros, tais como o tráfico de mulheres, a corrupção, o machismo (de homens e mulheres) e a violência de gênero, a escravidão ainda existente em países como o Brasil, a exploração da mão-de-obra infantil, a violência urbana, os regimes ditatoriais, a democracia sequestrada ou nominal, os populismos e suas relações com a hegemonia liberal, mas também outras demandas de história e de memória, como, por exemplo, a história ambiental do país,
Mostrar más

42 Lee mas

Ocupaciones de la tierra en Brasil (1988-2010): Una lectura geográfica y la coyuntura política de la lucha por la tierra

Ocupaciones de la tierra en Brasil (1988-2010): Una lectura geográfica y la coyuntura política de la lucha por la tierra

Sobre este período, Stedile e Fernandes (1999) fazem uma leitura importante acerca da atuação do governo FHC em relação ao MST destacando duas premissas. A primeira refere-se a uma leitura de inexistência do problema agrário, assim a grande propriedade não se enquadraria como um empecilho. A segunda refere-se à subordinação da nação ao capitalismo internacional, abrindo o mercado, entregando a economia ao capital financeiro e arrolando a agricultura às margens 31 . Assim, de acordo com esses paramentos conjunturais, a repressão do governo FHC sobre o MST, principal movimento atuante e alvo de repressões no período, seguiu três variantes: a primeira era estimular o mercado de terras com a reforma agrária de mercado viabilizada pelo banco mundial; a segunda é a propaganda contra o MST objetivando desmoralizá-lo, enfraquecer o apoio da sociedade, criar a idéia de que era um inimigo da sociedade e entrave para o desenvolvimento; e o terceiro era o isolamento do MST.
Mostrar más

26 Lee mas

Plan de desarollo de Mercado Brasil

Plan de desarollo de Mercado Brasil

El Perú es considerado uno de los mayores productores y exportadores de uva del mundo. En los últimos 10 años, el boom agroexportador de la uva de mesa se acentuó por toda la costa peruana. Hoy en día, la oferta de uva proviene de diferentes compañías que aprovecharon el auge del producto para ampliar sus conocimientos y capacidades de producción. En Ica se encuentran grandes empresas del sector. En Brasil, el consumo de uva de mesa está concentrado en la región sudeste; consti- tuida por los Estados de Sao Paulo, Minas Gerais, Río de Janeiro y Espírito Santo, que a su vez representan cerca del 46% de la oferta brasilera, destacando Sao Paulo como el principal mercado consumidor. A pesar de ser un gran productor, Brasil no logra satisfacer su demanda de uvas, por lo que importa uva de mesa de Chile, Argen- tina y Perú. Cabe destacar que parte de las exportaciones procedentes de Chile y Argen- tina fueron realizadas por vía terrestre. En los mercados mayoristas de Brasil, la uva de mesa se vende en caja de 8,2 kg; mientras
Mostrar más

126 Lee mas

As Espanhas lusitanas de Eías de Tejada

As Espanhas lusitanas de Eías de Tejada

Portugal, disse Elías de Tejada, é «la nación más antigua del Occidente», sendo, como toda nação, «el resultado actual de un secular quehacer histórico, en el cual han influido los hechos físicos o psíquicos, mas no han influido directamente, sino tamizados por lo histórico» 17 . Portugal é o resultado de sua tradição, é o que resulta,

8 Lee mas

Análisis de vulnerabilidades computacionales en repositórios digitales

Análisis de vulnerabilidades computacionales en repositórios digitales

A informação é um insumo de extrema importância na história da humanidade e precisa ser resguardada. Temos ciência que ela esteve presente em todo o período da evolução histórica, desde os primórdios até os tempos atuais. “Na época em que as informações eram armazenadas apenas em papel, a segurança era relativamente simples. Bastava trancar os documentos em algum lugar e restringir o acesso físico àquele local.” (BRASIL, 2007, p. 7). Com a migração da informação para o suporte digital e sua disponibilização pelas redes de computadores este cenário foi alterado.
Mostrar más

18 Lee mas

A condição das mulheres no contexto social contemporâneo

A condição das mulheres no contexto social contemporâneo

desigualdade, estabelecida pela consequência direta da cultura patriarcal. A violência doméstica é um desrespeito aos direitos humanos e tende a ser cada vez mais debatida em todo o mundo, tanto no campo teórico como na prática. Apesar dos esforços crescentes e do aumento significativo de denúncias junto a autoridades policiais, Ministério Público, Judiciário, órgãos públicos, escolas e profissionais da saúde, existem poucas pesquisas científicas capazes de mensurar o tamanho avassalador da violência doméstica no Brasil e no mundo. A violência oriunda da ideologia da supremacia dos homens sobre as mulheres se perpetua de tal forma que está enraizada na sociedade como um atributo natural, inerente à ignorância e ao trivial no cotidiano feminino.
Mostrar más

11 Lee mas

Estratégias de integraçao entre atençao primária à saúde e atençao especializada: paralelos entre Brasil e Espanha

Estratégias de integraçao entre atençao primária à saúde e atençao especializada: paralelos entre Brasil e Espanha

Em síntese, experiências desenvolvidas por Brasil e Espanha apresentam potencialidades para melhorar a in- tegração da rede. Entre as iniciativas comuns, com graus distintos de desenvolvimento, observa-se: papel de filtro exercido pelo médico de família no sistema de saúde es- panhol, e, no Brasil, nas áreas cobertas pela ESF; territo- rialização dos serviços de saúde; estratégias para aproxi- mar profissionais e qualificar as ações de APS, como os ‘especialistas consultores’ e o ‘matriciamento’; e adoção de protocolos clínicos consensuados. Nos municípios brasileiros investigados, ressalta-se a recente implantação de sistemas descentralizados de regulação que permitem acompanhar o percurso dos usuários e as filas de espe- ra. Na Espanha, destaca-se a consolidada informatização da história clínica em APS. A criação da história clínica única é um desafio colocado aos dois países. Em ambos, é reconhecida a necessidade de políticas e investimentos para valorização dos trabalhadores e do cuidado prestado no campo da APS, bem como da promoção de maior contato pessoal e de relações diretas entre profissionais, com vistas à criação de uma cultura de colaboração, sen- do essas as iniciativas consideradas mais exitosas para in- tegração entre atenção primária e especializada.
Mostrar más

16 Lee mas

Cronología octubre de 2008

Cronología octubre de 2008

Brasil: El efecto de la cumbre del G20 financiero ocurrida el sábado en Washington, entre potencias y principales países emergentes, "es prácticamente nulo" sugerían ayer fuentes del gobierno brasileño. Primero hubo desilusión por la ineficacia de ese encuentro en la sede del FMI para proponer alternativas a la crisis mundial; pero después el escepticismo se vio reemplazado por una creciente preocupación. Nadie sabía predecir, anoche, cómo será hoy la evolución de la Bolsa de San Pablo y qué valor puede llegar a tener el dólar, divisa que el viernes terminó cotizada a 2,32 reales.
Mostrar más

9 Lee mas

Las luchas campesinas en el Estado de Paraná y modelos de la “reforma agraria” brasileña

Las luchas campesinas en el Estado de Paraná y modelos de la “reforma agraria” brasileña

As conquistas dos assentamentos no Paraná são resultantes do enfrentamento camponês ao latifúndio e ao Estado e não de uma política de reforma agrária. É assim que o campesinato paranaense e brasileiro tem retomado a sua terra usurpada pelos setores dominantes da sociedade, ou seja, pelo enfrentamento, pela rebeldia à condição imposta. A partir do apontamento de algumas lutas e conquistas camponesas no Paraná pretende- se discorrer sobre os modelos de “reforma agrária” realizados no Brasil, pois a maioria dos assentamentos rurais conquistados no estado foi através de intervenções federais. Cabe pontuar que o Paraná, não possui órgão próprio com a função de criar assentamentos. O Instituto de Terras Cartografia e Geociências do Paraná (ITCG) possui funções de regularização fundiária, cadastro rural, etc., ou seja, não é destinado a desapropriação de terras e criação de assentamentos rurais.
Mostrar más

18 Lee mas

La relación sociedad-naturaleza y algunos aspectos sobre el planeamiento y las cuestiones ambientales del Brasil

La relación sociedad-naturaleza y algunos aspectos sobre el planeamiento y las cuestiones ambientales del Brasil

O espírito desenvolvimentista da década de 1950 enraizou-se no Brasil e as décadas de 1960 e 1970 apresentaram um país com prioridade na industrialização. Desta forma, têm-se documentos que baseados na premissa de que o principal impacto era a pobreza, estimulavam, e muito, a geração de poluentes e o depauperamento dos recursos naturais. Nesse período, os governos brasileiros tiveram pouquíssima preocupação com o meio. No entanto, não se pode deixar de lembrar que a grande preocupação com o meio ambiente deu-se já a partir da década de 1960 nos EUA, propagando-se para outros países e fazendo com que eles debatessem temas como avaliação de impactos ambientais, planejamento e gerenciamento ambiental. Na década de 1970, aderiram à discussão países como Canadá, Japão, Nova Zelândia, Austrália e a Europa Ocidental e, na década de 1980, a América Latina, Europa Oriental, União Soviética e Sul e Leste Asiático. Na década de 1990, os países da África, do mundo árabe e a China iniciaram um debate sobre os problemas ambientais. Sob essa perspectiva, o Brasil se inseriu na gestão em fins dos anos de 1970 e início dos anos de 1980 (Santos, 2004, p. 21).
Mostrar más

24 Lee mas

Enfermería y antropología en Brasil: relaciones, dilemas y desafíos

Enfermería y antropología en Brasil: relaciones, dilemas y desafíos

No Brasil, o contexto social, político e educacional no qual se inicia a aproximação e relação entre Enfermagem e Antropologia foram os anos 1980. Uma década marcada pelo movimento de redemocratização do país e pela organização da sociedade civil. Na área de saúde, especificamente, havia o Movimento da Reforma Sanitária com ressonâncias tanto na formação quanto no trabalho em saúde como um todo. Na enfermagem, os programas de pós-graduação strictu-sensu passavam por um importante processo de consolidação, caracterizado, sobretudo, pela criação do primeiro Programa de Doutorado em Enfermagem da América Latina, na Universidade de São Paulo (USP). Nesse caldo político e cultural, as enfermeiras brasileiras, principalmente as docentes das escolas e faculdades de enfermagem, iniciaram uma reflexão para compreender a crise da enfermagem brasileira e sua inserção no campo do trabalho em saúde. É nesse período que se busca a realização de pesquisas qualitativas em enfermagem, tendo como referencial teórico-metodológico o materismo histórico-dialético.
Mostrar más

11 Lee mas

Aspectos de la pesca en Brasil: contexto, escenarios y perspectivas

Aspectos de la pesca en Brasil: contexto, escenarios y perspectivas

Em 2003, o livro A Ilha de Búzios: uma comunidade caiçara no sul do Brasil de Willems e Mussolini esboçaria a vida da população caiçaras de Búzios-RJ e sua relação com a cidade, através das relações econômicas e os laços familiares com parentes distantes no continente. Gustavo Moura (2009) em Águas da Coreia: uma viagem ao centro do mundo numa perspectiva etnooceanográfica, traz como proposta o diálogo entre a etnografia e a oceanografia, na perspectiva do território como local de espaço e tempo, que também é conhecimento, é uma das dimensões do território tradicional. Marcelly Correia Medeiros, (2012) – A pesca artesanal na costa da Paraíba: um enfoque etnoictiológico apresentou as classificações etnobiológicas realizadas pelos pescadores artesanais no município de Cabedelo, PB bem como seus conhecimentos a respeito da biologia, ecologia e comportamento dos peixes. Longa Romero (2014) – “O pescador é sofredor”: identidades e conflitos em torno da reprodução social da pesca artesanal na praia de Itapoã, Espírito Santo traria a problematização dos processos de auto atribuição, reconhecimento e pertencimentos identitários, dos grupos locais em torno da reprodução social de uma modalidade pesqueira que segundo ela está em vias de extinção.
Mostrar más

29 Lee mas

Disputa territorial, conceptualización y actualidad de la Reforma Agraria en Brasil

Disputa territorial, conceptualización y actualidad de la Reforma Agraria en Brasil

A reforma agrária e o fortalecimento do território campesino é, neste contexto, uma necessidade urgente que contribui para manutenção, construção e consolidação de nossa soberania, diante do avanço do agronegócio favorecido pela disputa desigual – exemplificada na figura - entre modelos de desenvolvidos distintos, com interesses distintos. Enquanto o agronegócio e seu conglomerado de empresas utilizam o território brasileiro para especulação e produção de mercadorias voltadas para o mercado internacional o campesinato tem o compromisso com o local, produzindo alimentos em quantidade e qualidade para a grande maioria da população. Por isso debater e discutir a necessidade, atualidade e sentido da Reforma Agrária é um exercido cada vez mais urgente. Dialogar e respeitar o ponto de vista contrário é fortalecer o nosso território imaterial e a nossa perspectiva, qualificando o debate e contribuindo, mesmo que parcialmente, com a reflexão a respeito de um tema tão premente no Brasil. As milhões de famílias brasileiras ou a demanda irreal da Reforma Agrária, necessitam de uma política que enfrente vá de encontro a hegemonia capitalista. Uma política adequada as suas reais necessidades e formuladas a partir das inúmeras realidades que temos num país de dimensão territorial e cultural como o nosso.
Mostrar más

30 Lee mas

Escuelas de enfermería y cursos en la historia de la profesión en Brasil (1890-1922)

Escuelas de enfermería y cursos en la historia de la profesión en Brasil (1890-1922)

E studio de enfoque central, de análisis y dis- cusión en las iniciativas y materializaciones de escuelas y cursos de enfermería, cuya delimitación temporal es 1890-1922 y geográfica, el eje Río de Janeiro y San Paulo (Brasil). La con- cepción teórica fue la de la profesionalización, según Nobert Elias. Medotológicamente, los docu- mentos escritos utilizados fueron oriundos de la prensa médica e informes institucionales, circuns- tanciados por la producción del conocimiento de artículos, disertaciones y tesis. Los resultados apuntaron para un total de diecisiete iniciativas y materializaciones de escuelas y cursos de enferme- ría antes de la implantación de la enfermería moderna en Brasil, por medio de la Escuela de Enfermeras del Departamento Nacional de Salud Pública, a comienzos de la Reforma Sanitaria, lide- rada por Carlos Chagas.
Mostrar más

6 Lee mas

O cinema e a legislação do Estado Novo: contexto e análise

O cinema e a legislação do Estado Novo: contexto e análise

Aquela realidade não foi estranha também nas condições do Estado Novo português (1933-1974). Os historiadores não são unânimes na clara classifi cação do regime e colocam- -no no vasto campo entre o totalitarismo e o autoritarismo ( cf. Braga da Cruz 1982, Cabral 1976, Loff 2008). A base do sistema criado por Oliveira Salazar foi a introdução da Nova Ordem, contrária ao sistema liberal republicano anterior. Sob o lema “Deus, Pátria, Famí- lia” era realizada a missão da regeneração da Nação, da coesão de todos os seus membros nos valores comuns. Os fundamentos ideológicos, apoiados pela Igreja católica, serviam-se das tradições conservadoras, nacionalistas e imperiais, em grande parte relativas ao glorio- so passado da época dos Descobrimentos, à verdadeira identidade rural do povo e à uto- pia corporativista. A realidade organizava-se à volta das normas para serem respeitadas, sob o olhar atento do chefe do Governo; o Estado dispunha de estruturas e instrumentos de controlo e repressão da sociedade, para manter o poder e a ordem (cf. Rosas 1998: 258- 262). As intervenções estatais não ignoraram nenhuma área do convívio social: a cultura, de igual modo como a indústria ou economia, foi redefi nida. O arquiteto daquela evolu- ção, inscrita no projeto da “política do Espírito” foi António Ferro (1895-1956).
Mostrar más

22 Lee mas

Show all 8850 documents...