Jardins de infância

Top PDF Jardins de infância:

A Educação Musical nos jardins de infância e no primeiro ciclo da escola portuguesa, num contexto de interdisciplinaridade para a aquisição de competências

A Educação Musical nos jardins de infância e no primeiro ciclo da escola portuguesa, num contexto de interdisciplinaridade para a aquisição de competências

O conhecimento do contexto familiar e do meio em que a criança está inserida, é fundamental no sentido de compreender as suas características adequando o processo educativo às suas necessidades. A observação contínua e o recurso às formas de registo das crianças serão instrumentos determinantes. O ambiente educativo e as situações e experiências de aprendizagem, devem levar à participação das crianças no processo de avaliação. Torna-se importante avaliar o processo e os efeitos de forma consciente adequando o processo educativo às necessidades de cada criança e do grupo e à sua evolução. Relativamente à avaliação do desenvolvimento e das aprendizagens de cada criança e do grupo, a avaliação poderá ser feita através de portefólio. Cabe ao Educador promover a continuidade educativa num processo marcado pela entrada para a Educação Pré-Escolar e pela transição para a escolaridade obrigatória. É também função do Educador, proporcionar as condições necessárias para que cada criança tenha uma aprendizagem com sucesso na fase seguinte, competindo-lhe em colaboração com os Pais e em articulação com 1.º CEB, facilitar a transição da criança para a escolaridade obrigatória. O registo de avaliação do desenvolvimento das crianças será global, informativo e qualitativo e incidirá nas intencionalidades pedagógicas, competências e aprendizagens essenciais definidas no Perfil de Competências para as crianças dos Jardins de Infância do Agrupamento. No final de cada período será feita a avaliação individual de cada criança mediante o tipo de registo escrito proposto pelo Departamento da Educação Pré-Escolar e aprovado pelo Conselho Pedagógico. Essa avaliação será comunicada, no final de cada período lectivo, aos Pais/Encarregados de Educação, no dia indicado para esse efeito. No final do ano lectivo, será entregue, em reunião marcada para o efeito ao 1º CEB uma avaliação escrita relativamente ao desenvolvimento, aprendizagens, percurso e evolução das crianças que irão transitar para o 1º ano de escolaridade. A avaliação é um elemento de apoio estratégico ao desenvolvimento e regulação da acção educativa pois permite, por um lado, analisar o percurso efectuado e por outro perspectivar/planificar o amanhã. Assim, o relatório final de avaliação do PCG, elaborado pelo educador, deverá ficar acessível para consulta no Jardim de Infância.
Mostrar más

478 Lee mas

Educação para a igualdade de género: leituras a partir da realidade de cinco jardins de infância do distrito de Portalegre, Portugal

Educação para a igualdade de género: leituras a partir da realidade de cinco jardins de infância do distrito de Portalegre, Portugal

Resumo: O propósito deste artigo prende-se com a promoção da igualdade de oportunidades em Portugal, num quadro de cidadania a partir do jardim de infância, e nele procuramos conhecer as conceções de educadoras de infância e de crianças em idade pré-escolar sobre a problemática da igualdade no seu contexto pedagógico. Para o efeito, baseamo- -nos na leitura e respetiva análise dos resultados de investigações orientadas desenvolvidas em cinco Jardins de Infância do distrito de Portalegre, Portugal. Os estudos que nos serviram de base inserem-se numa abordagem de natureza qualitativa, em que os sujeitos protagonistas (educadoras e crianças) são observados e escutados através de processos de questionário e de entrevistas. Suportamos a nossa análise no quadro teórico que construímos a partir de uma revisão do estado da arte sobre a temática da igualdade de oportunidades entre homens e mulheres e realça-se que esta é uma temática pouco valorizada no contexto do jardim de infância pelas profissionais, com reflexo em comportamentos e atitudes estereotipa- das das crianças, pelo que fomos levados, no final deste texto, a propor algumas atividades a desenvolver no contexto de jardim de infância que fomentem a igualdade e permitam desconstruir estereótipos sociais.
Mostrar más

22 Lee mas

A estrutura da inteligência na infância: desenvolvimento e diferenciação cognitiva

A estrutura da inteligência na infância: desenvolvimento e diferenciação cognitiva

Procurou-se jardins-de-infância e escolas de 1º ciclo, localizados em meios urbanos e rurais, aos quais se dirigiram pedidos escritos. Este pedido foi acompanhado de explicitação da natureza e objetivos do trabalho, bem como das condições de realização do mesmo. Complementarmente, foi submetido um pedido de autorização para aplicação de inquéritos/realização de estudos de investi- gação em meio escolar à Direção Geral da Educação (DGE). As crianças foram selecionadas tendo em conta as variáveis consideradas na definição da amostra, recebendo os seus encarregados de educação também um pedido por escrito de autorização para a aplicação da ECCOs 4/10, explici- tando objetivos e condições do estudo. As crianças foram igualmente informadas dos objetivos e da natureza das tarefas a realizar, e da confidencialidade dos seus resultados. A bateria foi aplicada indi- vidualmente e tomou o tempo letivo necessário cedido pelos professores, que rondou aproximada- mente os 60 a 90 minutos.
Mostrar más

10 Lee mas

Enquesta de serveis municipals : encreuaments 02 Eixample. 2013

Enquesta de serveis municipals : encreuaments 02 Eixample. 2013

28.2.B.- EM PODRIA DIR QUINS D’AQUESTS JARDINS INTERIORS D’ILLA RECUPERATS CONEIX? (Espontània, no suggeriu. Anoteu literalment amb el màxim de detall. Multiresposta) (Pels que coneix) HI HA ANAT? (Pels que hi ha anat) QUINA VALORACIÓ EN FA ENTRE 0 I 10, ESSENT 0 LA PUNTUACIÓ MÍNIMA I 10 LA MÀXIMA? Coneix Ha anat Valoració Sí No (0-10, NS=98, NC=99) ____________ |___||___| .......... 1 ....... 2 ............... |___||___| ____________ |___||___| .......... 1 ....... 2 ............... |___||___| ____________ |___||___| .......... 1 ....... 2 ............... |___||___| ____________ |___||___| .......... 1 ....... 2 ............... |___||___| ____________ |___||___| .......... 1 ....... 2 ............... |___||___| (Aneu al barri corresponent) (Barri de Sagrada Família) 28.2.C.- CONEIX LA BIBLIOTECA SAGRADA FAMÍLIA? HI HA ANAT? I QUINA VALORACIÓ EN FA ENTRE 0 I 10, ESSENT 0 LA PUNTUACIÓ MÍNIMA I 10 LA MÀXIMA? Sí, la coneix No hi ha anat .... 13 (Aneu a P28.2.D) Hi ha anat No la coneix ...... 14
Mostrar más

200 Lee mas

A percepção de criatividade por educadores de infância do brasil e de Portugal

A percepção de criatividade por educadores de infância do brasil e de Portugal

Observa-se ao longo das narrativas sobre a educação de infância que o ser criativo, o estimular a criativida- de e o possibilitar a expressão criativa são acções e tarefas da educação de infância, bem como do profissional que atua e desempenha um papel nesta etapa educacional (Campos & Rosemberg, 2009). E em referência a incentivar a criatividade tem-se que a criança poderá desenvolver a curiosidade sobre o mundo e habilidades básicas de aprendizagem, possibilitando o seu conhecimento conceitual do mundo ao seu redor, facilitando o desenvolvimento das habilidades de resolução de problemas ofertando às crianças oportunidades de serem expressivas e criativas em vários domínios; incentivando o seu crescimento em todos os domínios de desenvol- vimento (Porter, 1999).
Mostrar más

6 Lee mas

Qualidade da vinculação e comportamento antissocial na infância

Qualidade da vinculação e comportamento antissocial na infância

Bowlby (1969; 1973; 1975) enfatizou que a vinculação torna-se evidente quando uma criança está fortemente inclinada para procurar proximidade ou contacto com uma pessoa específica, nor- malmente um dos pais, em situações de ansiedade, stresse, doença ou fadiga. No seu estudo de 44 jovens envolvidos em furtos, Bowlby (1944) antecipou o papel da vinculação no desenvolvimento do comportamento antissocial, identificando as experiências de separação na infância, bem como o carácter não afectivo que estas experiências induziram em crianças, como importantes factores etio- lógicos (van IJzendoorn, 2002).
Mostrar más

10 Lee mas

TítuloDo brincar e a sua posibilidade: narrações de lugares de infância

TítuloDo brincar e a sua posibilidade: narrações de lugares de infância

Na actualidade, desfrutar do tempo de escola como se tratando duma viagem dissociativa com retomo no aqui-e-agora, arrebatando-a do esquecimento e flexibilizando-nos, constituiu urna for[r]

10 Lee mas

Pedagogia da infância: aprendendo com bruner

Pedagogia da infância: aprendendo com bruner

A pedagogia da infância recolhe ainda o contributo de Bruner (2010) sobre a narrativa, enquan- to meio de dar sentido ao mundo e à experiência. Como salienta Kishimoto (2007) a narrativa, como forma de discurso oral, descreve factos em sequência do passado, real ou imaginário e é essa sequência que veicula o significado. Neste sentido, a narrativa representa um meio através do qual a criança “começa a participar na cultura, usando a linguagem e o seu discurso narrativo in vivo” (Bruner, 1997, p.133). Segundo o autor é indispensável que o sistema de ensino ajude os que estão em crescimento numa cultura, a descobrir uma identidade dentro dessa cultura, esclarecendo que “só na forma narrativa poderá cada qual construir uma identidade e descobrir um lugar na cultura a que pertence. As escolas podem cultivá-la, alimentá-la, deixar de a dar por garantida” (Bruner, 2000, p.69).
Mostrar más

10 Lee mas

Sessió ordinària del 03 d'octubre de 2019

Sessió ordinària del 03 d'octubre de 2019

24. – (19g317) DECLARAR improcedent, d’acord amb l’establert a l’apartat 4art lletra d) de l’article 114 del Decret Legislatiu 1/2010, de 3 d'agost, pel qual s'aprova el Text refós de la Llei d'urbanisme de Catalunya, l’advertiment del propòsit d’iniciar expedient d’expropiació per ministeri de la llei formulat per la Sra. María Mercedes Cuyás Palazón, advocada, i en nom i representació de la senyora Francisca Grau Moreno, de 10 de juliol de 2019, en relació a la finca número 28 del carrer Tenerife, qualificada de parcs i jardins actuals de caràcter local (clau 6a) i vial (clau 5), i inclosa a l’actuació aïllada 1 Can Baró (AA-CBA 1) per la Modificació del Pla General Metropolità en l’àmbit dels Tres Turons, aprovada definitivament el 15 de novembre de 2003, pels motius que figuren a l’informe de la Direcció de Serveis de Gestió Urbanística de l’entitat pública empresarial Institut Municipal d’Urbanisme, de 13 de setembre de 2019, que a efectes de motivació s’acompanya al present i es té per íntegrament reproduït.
Mostrar más

12 Lee mas

Informe anual 2007

Informe anual 2007

Per altra banda i per tercer any consecutiu, ProEixample ha organitzat el cicle de festes infantils als interiors d’illa de l’Eixample, dissabtes de maig i juny. Els Jardins d’Ermessenda de Carcassona, els de Flora Tristán, els de Carme Biada i els de Lina Òdena han estat escenari d’aquestes festes que han inclòs diversos espectacles d’animació infantil, com ara, cançons, danses o contes per als més menuts. Aquests actes han tingut molt bona acollida i han aplegat una significativa assistència. Finalment, en el marc de la dinamització de l’Eixample com a centre comercial, s’han signat convenis amb les associacions de comerciants de Cor Eixample, Sant Antoni Centre Comercial i Eix Model Sopena. L’objecte principal d’aquests convenis és establir un marc de col·laboració entre
Mostrar más

98 Lee mas

TítuloSaint Jean aux jardins d'Adonis: l?Esprit du rituel et la lettre de l'idéologie

TítuloSaint Jean aux jardins d'Adonis: l?Esprit du rituel et la lettre de l'idéologie

Saint Jean aux jardins d'Adonis l?Esprit du rituel et la lettre de l'id?ologie Saint Jean aux jardins d'Adonis L'Esprit du rituel et la lettre de l'id?ologie Georges RA VIS GIORDANI Universit? de Prov[.]

8 Lee mas

Cinema, Educação e Infância: Fronteiras entre Educação e Emancipação

Cinema, Educação e Infância: Fronteiras entre Educação e Emancipação

Assim, se a infância é, neste sentido, travessia, percurso, modos de experimentações, na sua relação com o cinema, com as imagens, não importam as ‘mensagens’, ‘crenças’, ideologias que o cinema apresenta, mas sim, as experiências que ele nos convoca, os afetos que dispara, as sensações que nele e a partir dele acontecem e os sentidos que são produzidos. O cinema, como experiência, pode ser território de produção de sentidos, pode ser travessia de territórios em que eventos acontecem. Não território de lugares dados de clichês construídos, modulados por tecnologias que não administram somente ideologias, mas sim, tecnologias que criam modos de ser, mas pensamos aqui um cinema infantil, um cinema infância, um devir cinema, que cria condição de exposição, de experimentações, de montagens de possibilidades outras, de bricolagens
Mostrar más

14 Lee mas

Estatuts de Parcs i Jardins de Barcelona [2002 text refós]

Estatuts de Parcs i Jardins de Barcelona [2002 text refós]

L’entitat Parcs i Jardins de Barcelona Insti- tut Municipal és un organisme autònom de caràcter comercial i de serveis, constituït per l’Ajuntament de Barcelona per a la prestació dels serveis i les altres activitats que es deter- minen en els articles següents d’aquests Esta- tuts, de conformitat amb allò que preceptuen els articles 237 de la Llei Municipal de Cata- lunya, 199 del Reglament d’Obres, Activitats i Serveis dels Ens Locals 45.3 a) de la Carta de Barcelona.

5 Lee mas

Estatuts de Parcs i Jardins de Barcelona [2002 text no oficial]

Estatuts de Parcs i Jardins de Barcelona [2002 text no oficial]

L’Institut no farà cap tipus de contractació a excepció d’aquelles acordades en el Consell d’Administració, amb representació dels treballadors/es, demostrant que Parcs i Jardins no té suficient infrastructura pròpia o no és favorable a la creació de nova infrastructura o que el servei contractat no afecta els objectius bàsics reflectits en l’article 2 dels Estatuts. El model de gestió en què es basarà l’Institut Municipal de Parcs i Jardins permetrà atendre la conservació de totes les zones verdes públiques municipals mitjançant execució directa amb personal propi i generalment fix.
Mostrar más

14 Lee mas

El Roserar Amargós - Jardins del Teatre Grec: el primer roserar de Barcelona

El Roserar Amargós - Jardins del Teatre Grec: el primer roserar de Barcelona

Algunes espècies generalistes pel que fa a l’hàbitat són el pit-roig o la merla, amb el seu inconfusible crit d’alerta. Cal no oblidar la presència d’ocells que provenen del nord d’Europa buscant temperatures més suaus a l’hivern, com ara el tord, el mosquiter comú i el pinsà comú, que freqüenta parcs i jardins tot i ser un ocell principalment forestal. La primavera marca l’arribada de tot un seguit d’espècies estivals que, un cop hagin criat, tornaran marxar a finals d’estiu o principis de tardor cap al sud. És fàcil veure ballesters, falciots i orenetes en plena cacera d’insectes. Els fruits carnosos constitueixen una part important de la dieta de moltes espècies d’ocells, principalment a la tardor i a l’hivern, que és quan necessiten més nutrients per afrontar la migració o bé per mantenir-se en un bon estat en el cas d’ocells hivernants o sedentaris. Montjuïc és un lloc de descans i alimentació per a un bon nombre d’espècies migradores. Hi ha nombroses plantes amb fruits carnosos les llavors dels quals els ocells dispersen. Aquests ocells pertanyen principalment a les famílies dels túrdids (tords, merles, grives i pit-roigs), sílvids (tallarols) i muscicàpids (papamosques). Els rosers poden ser arbustos molt atractius per a la fauna, especialment si es tracta d’espècies silvestres portadores de flors senzilles en lloc de dobles, ja que facilitaran l’accés dels insectes pol·linitzadors. El piracant, el marfull, el llentiscle i l’heura, entre d’altres, també produeixen fruits que aprofiten els ocells.
Mostrar más

28 Lee mas

Comptes anuals 1999 de l'Institut Municipal de Parcs i Jardins de Barcelona

Comptes anuals 1999 de l'Institut Municipal de Parcs i Jardins de Barcelona

PARCS I JARDINS DE BARCELONA, INSTITUT MUNICIPAL (en endavant l’INSTITUT) és un organisme autònom de caràcter comercial i de serveis, constituït per l’AJUNTAMENT DE BARCELONA, amb patrimoni adscrit pel mateix i personalitat jurídica pròpia. Per aquest fet rep de l’Ajuntament de Barcelona el finançament necessari per dur a terme la seva activitat.

18 Lee mas

TítuloO profissional de educaçâo social num lar de infância e juventude

TítuloO profissional de educaçâo social num lar de infância e juventude

Os Lares de Infância e Juventude, visando o interesse superior das crianças e jovens aco- lhidos, desempenham um papel fundamental no desenho e desenvolvimento dos projectos de vida dos menores. Deste modo, as práticas que veiculam têm de (cor)responder às neces- sidades, aos problemas, às aspirações, às ca- racterísticas e às potencialidades dos seus ac- tores, de modo a garantir a aquisição de uma educação para a cidadania e, o mais possível, um sentido de identidade, de autonomia e de segurança, promotor do seu desenvolvimento integral. Esta exigência apela a uma equipa técnica multidisciplinar, formada por profis- sionais críticos, reflexivos e espontâneos. O educador social, como profissional de proxi- midade e de relação, agente crítico e reflexivo, pode ajudar os Lares a criarem estruturas que levem à participação activa dos seus interlo- cutores (crianças e jovens, educadores, famí-
Mostrar más

14 Lee mas

MVM 2019 CALENDARI DE PROGRAMACIÓ VALENCIÀ

MVM 2019 CALENDARI DE PROGRAMACIÓ VALENCIÀ

11 h · Jardins del Palau · Arts de Carrer del Mediterrani Taller de Circ.. La Finestra Nou Circ.[r]

20 Lee mas

TítuloEducaçâo Ambiental em jardins botânicos: um caso brasileiro

TítuloEducaçâo Ambiental em jardins botânicos: um caso brasileiro

Os jardins botânicos foram chamados a implementar a Estratégia Mundial para a Conservação e a elaborar seus próprios planos através de parcerias, no sentido de defender a conservação das plantas e atrair a atenção do público, por intermédio de programas educacionais apropriados, com abordagem que privilegiasse a pre- servação da diversidade genética e o de- senvolvimento sustentável. As estratégias sugerem que alguns princípios comuns deveriam estar presentes nos programas educativos de todos os jardins. Sugeria, por exemplo, que os métodos para a con- servação fossem valorizados no sentido de convencerem os visitantes do alcan- ce das ciências e da importância do pa- pel dessas instituições. A orientação era para que as atividades educativas fossem múltiplas e variadas conquistando o públi- co para a sua mensagem. A intenção era
Mostrar más

13 Lee mas

Show all 10000 documents...