recuperação de informação

Top PDF recuperação de informação:

TítuloProblemática sobre o impacto da expansão automática de consultas e desambiguação semántica na avaliação dos sistemas de recuperação de informação

TítuloProblemática sobre o impacto da expansão automática de consultas e desambiguação semántica na avaliação dos sistemas de recuperação de informação

Esta tese centra-se no âmbito das Bases de Dados textuais que contém texto pro- veniente da linguagem natural. Neste entorno é importante que quando um usuário deseja obter uma determinada informação exista um Sistema de Recuperação de Informação que facilite dita tarefa. Dito sistema deve ser capaz de recuperar docu- mentos de uma maneira eficiente (por exemplo um usuário Web não deseja esperar vários segundos para obter uma resposta), e efectiva, devolvendo aqueles documen- tos mais relevantes de cada à informação solicitada pelo usuário através de uma consulta. Nesta tese revisa-se o processo de recuperação de informação (RI), come- çando por estruturas básicas de RI como são os índices invertidos. A continuação centra-se no seu objectivo principal, a qualidade do processo de RI. O principal ob- jectivo desta tese é o estudo de cômo a expansão de consultas e a desambiguação do sentido das palavras permitem melhorar a efectividade da recuperação de informa- ção. Com estas duas técnicas, favorece-se a possiblidade de que documentos que não seriam recuperados pelo simple facto de não conter os termos que o usuário inclui na sua consulta possam ser recuperados já que a expansão destes termos incluem na busca outros termos sinónimos. Para conseguir isso, faz-se uso do recurso linguístico WordNet como o meio para levar a cabo a expansão de consultas e desambiguação do sentido das palavras. Neste caso a desambiguação joga o papel primordial de tratar de reduzir o ruído que ineludivelmente é incluido no processo de recuperação de informação ao expandir os termos de uma consulta. Os resultados experimentais concluem que a desambiguação é beneficiosa quando se faz expansão de consultas. Em resumo, as principais contribuições deste trabalho são:
Mostrar más

242 Lee mas

Emprego de técnicas de representação do conhecimento como forma de apoio à engenharia de requisitos

Emprego de técnicas de representação do conhecimento como forma de apoio à engenharia de requisitos

[12] define Recuperação de Informação (RI) como a atividade que envolve os aspectos intelectuais de descrição de informação (indexação, padronização) e sua especificação para busca, além de qualquer técnica, sistema ou máquina empregada para realizar ou auxiliar essas tarefas relevantes para o usuário. De modo a diferenciar os termos “Recuperação de Dados” (RD) e RI, [1] afirma que a RD consiste em determinar quais os documentos de uma coleção contém as palavras-chave contidas na pergunta do usuário. A principal diferença é que na RI os textos estão em linguagem natural e, na maioria das vezes, não estão bem estruturados, existindo a possibilidade de ser semanticamente ambíguos.
Mostrar más

10 Lee mas

Descargar
			
			
				Descargar PDF

Descargar Descargar PDF

48. Renato Rocha Souza. Doutor em Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Ge- rais (UFMG) e pós-doutorado em Tecnologias Semânticas para Recuperação de Informação, University of South Wales, UK. Mestre em En- genharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduação em Engenharia Elétrica, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professor e pesquisador da Escola de Matemática Aplicada (EMAp), professor cola- borador da Escola de Ciência da Informação da UFMG. É bolsista de produtividade do CNPq com pesquisa em redes neurais para organi- zação do conhecimento. rsouza.fgv@gmail.com orcid.org/0000-0002-18
Mostrar más

6 Lee mas

Historias de vida como hecho museológico tratado por el diseño de información en la curadoria digital en el Museu da Pessoa

Historias de vida como hecho museológico tratado por el diseño de información en la curadoria digital en el Museu da Pessoa

Em Design da Informação, linguagens convergentes e complexidade na rede social e ambiente digital do Facebook, (Autor, 2014) apresenta-se um estudo sobre o Design de Convergência daquele sistema, então com 500 milhões de usuários e com taxa de cerca de 100 milhões de novos usuários a cada 6 meses. Foram considerados no ambiente do Facebook dois tipos de convergência. O primeiro tipo converge as que se apresentam na estrutura da interface de interação, enquanto o segundo diz respeito as que se situam em outras camadas estruturais e super estruturais. Estas ultimas podem estar também situadas nas relações entre os internautas e o ambiente, impalpáveis e culturais. O seu entendimento conjunto é necessário para pensar as mudanças culturais advindas de ambientes com design convergente a partir da hibridização midiática e da hibridização sujeito e mídias que se tramam e criam emergências sistêmicas. “Tendo em vista tais emergências, nossa percepção é do surgimento de uma progressiva reequilibração do sistema convergido por formações culturais metamidiáticas, ou seja, resultantes da confluência das mídias e de suas linguagens, porém delas já independentes, autoportantes” (AUTOR, 2014).
Mostrar más

12 Lee mas

Da informação nossa de cada dia à Ciência da Informação: conceitos, história, teorias e questões recentes

Da informação nossa de cada dia à Ciência da Informação: conceitos, história, teorias e questões recentes

A tendência crescente à transposição da cultura, da política, da economia e das relações humanas para o ambiente rizomático das redes tem produzido análises que colocam em cheque a visão didática e linear de que a informação consiste na matéria-prima do conhecimento, estocável em bibliotecas, arquivos e/ou nos centros de documentação das organizações públicas ou privadas. Com o desenvolvimento de uma linguagem de máquina que permite gerar textos, imagens e sons em formatos digitais, consolida-se, na era da informação, a possibilidade de reverter em bits tudo ou quase tudo o que se encontra registrado em formato analógico. Com efeito, a digitalização surge como processo de trabalho que decompõe o conhecimento humano em informação. Sob esse enfoque, a informação é vista como síntese do conhecimento que, uma vez fragmentado e codificado pode ser facilmente transferido; melhor dizendo, colocado em fluxo nas redes digitais para que seja acessado e compartilhado pelos indivíduos para a produção de novos conhecimentos (Lundvall, 1996; Söderberg, 2008; Pasquinelli, 2012). Assim, seja na abordagem da economia do conhecimento, do capitalismo informacional, digital ou cognitivo, mais importante do que estocar informações é compartilhá-las, potencializando desse modo o processo de inovação nas sociedades contemporâneas. Enfim, como evidencia a discussão que se fez até aqui, o consenso sobre o conceito de informação está longe de ser resolvido, tal é a diversidade de abordagens nas ciências que utilizam o termo para produzir interpretações sobre a realidade. Contudo, mais do que encarar a situação como um problema para a CI, entende-se que a questão se configura como um terreno potencial para novos olhares e (re)leituras, haja vista o caráter mutante do conceito ao longo da história, tal como ensinam Capurro e Hjorland (2007). Mesmo que a variabilidade semântica do conceito de informação seja desafiante do ponto de vista de sua definição, teorização e, também, da comunicação entre cientistas, ao menos no nível operacional da pesquisa essa dificuldade pode ser contornada. Tal como recomendam Wersig e Neveling (1975) e Capurro e Hjorland (2007), o pesquisador deve orientar-se pelo propósito de uso do termo informação em relação ao quadro teórico que emprega, a fim de que não se perca, no dizer de Floridi (2009), em seu intricado labirinto conceitual que alimenta reflexões e debates recorrentes no campo da CI.
Mostrar más

19 Lee mas

Descargar
			
			
				Descargar PDF

Descargar Descargar PDF

Nos estudos da Ciência da Informação percebe-se que o comportamento informacional relaciona-se com ati- vidades que envolvem as necessidades de sujeitos e de como esses buscam, usam e transferem a informação em diferentes contextos. O termo comportamento infor- macional abrange as noções identificadas nos estudos sobre usuários de informação (Gasque & Costa, 2010). Segundo Davenport e Prusak (1998) o comportamen- to informacional é considerado como sendo o modo dos indivíduos tratarem a informação, considerando os processos de busca, uso, alteração, troca e acúmu- lo. Tendo em vista a importância do compartilhamento da informação para o fluxo de informação, Davenport e Prusak esclarecem que o compartilhamento de infor- mações, como um tipo de comportamento que precisa ser gerenciado, possibilita que os fluxos de informação, formais e informais, sejam efetivados entre setores e de- partamentos, valorizando os fluxos horizontais entre os indivíduos; situação que parece intensificar as trocas de informação (Davenport & Prusak, 1998, p. 116). Para Davenport e Prusak (1998) o comportamento in- formacional precisa ser gerenciado para que os fluxos de informação, formais e informais, sejam efetivados entre setores e departamentos, além de valorizar fluxos horizontais entre os indivíduos e potencializar as tro- cas de informação (Davenport & Prusak, 1998, p. 116). O compartilhamento de informações está estreitamente relacionado com o seu contexto, fator esse determinante para que ocorram as trocas informacionais individuais e coletivas em ambientes sociais, e nesse sentido os au- tores afirmam que para administrar a comunicação ou partilhar as informações de modo efetivo, os respon- sáveis precisam definir como os funcionários devem decidir que tipo de informações compartilhar e com quem fazê-lo. Os gestores não apenas devem apresen- tar o comportamento correto, mas também remover as barreiras organizacionais para a troca de conhecimen- tos – sejam eles políticos, emocionais ou tecnológicos (Davenport & Prusak, 1998, pp. 118-119).
Mostrar más

11 Lee mas

Relaciones paradigmáticas entre la Archivologia y la Ciencia de la Información: la vivencia práctica de un archivo

Relaciones paradigmáticas entre la Archivologia y la Ciencia de la Información: la vivencia práctica de un archivo

Esses resultados eram previsíveis e desejados, uma vez que a grande maioria das práticas arquivísticas é realizada nos arquivos. No entanto, o crescimento da Ciência da Informação deve representar uma contribuição para as ciências documentais, de modo que as unidades de informação da atualidade ampliassem as práticas realizadas, reformulando seus paradigmas, a partir das contribuições da Ciência da Informação, fato esse que tornaria a área e as unidades de informação cada dia mais adaptativas, inovadoras, reconhecidas e valorizadas na sociedade pós-moderna, como desejam, preconizam e vislumbram inúmeros teóricos da pós-modernidade. Embora não tenha sido intenção imediata, o estudo também confirma forte aproximação da Arquivologia com a Ciência da Informação, sendo que os paradigmas dessa ciência estão sendo inseridos, constantemente, aos fazeres arquivísticos, colaborando, assim, para o crescimento e expansão da Arquivologia. Além disso, evidencia-se que a preocupação com o acervo, suporte e tratamento técnico são paradigmas das ciências documentárias, os quais estão em consonância com o paradigma físico existente na área da Ciência da Informação, o que deduz ser a Ciência da Informação uma evolução das ciências documentárias. Uma profunda discussão desse relacionamento entre paradigmas e a evolução da Ciência da Informação à luz das ciências documentárias viabilizam o desenvolvimento de estudos futuros.
Mostrar más

16 Lee mas

Gramsci – Os intelectuais e a organização da cultura

Gramsci – Os intelectuais e a organização da cultura

Informação crítica. Individualmente, ninguém pode acompanhar toda a literatura publicada sobre um grupo de assuntos e nem mesmo sobre um só assunto. O serviço de informação crítica, para[r]

125 Lee mas

Motivação de equipes em unidades de informação

Motivação de equipes em unidades de informação

No que concerne à formação/capacitação/educação continuada percebe-se que é dada grande importância à atualização profissional, mais especificamente no que diz respeito ao comportamento humano, notou-se que a maior parte desse conhecimento é proveniente da prática diária e, em alguns casos, também, através, da leitura de textos. Sobre a educação continuada, a especialização foi uma das principais necessidades de formação identificada pelos bibliotecários diretores/gestores entrevistados, pois como bem explicou o bibliotecário da ‘Unidade de Informação A’, a atualização continuada é fundamental para que o “processo criativo não adormeça e nem fique atrofiado”.
Mostrar más

23 Lee mas

A ciência da informação e a transição paradigmática

A ciência da informação e a transição paradigmática

Tudo isto significa que o paradigma emergente pauta-se por traços ou características como são a valorização da informação enquanto fenómeno humano e social; o dinamismo informacio- nal, oposto ao “imobilismo” documental; a prioridade máxima dada ao acesso à informação, uma vez que só o acesso público justifica e legitima a custódia e a preservação; o indagar, compre- ender e explicitar (conhecer) a informação social, através de mo- delos teórico-científicos; a assunção de uma postura sintonizada com as ciências sociais e empenhada na compreensão do social e do cultural, com óbvias implicações nos modelos formativos; e a lógica científico-compreensiva em substituição da lógica instru- mental.
Mostrar más

19 Lee mas

RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL   RS

RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL RS

Entende-se como área degradada aquela que, após o distúrbio, teve eliminado a vegetação, junto com os seus meios de regeneração, como o banco de sementes, banco de plântulas, chuvas de sementes e rebrota, apresentando baixa capacidade de voltar ao seu estado anterior (VALCARCEL,2000). No município de São Gabriel, Rio Grande do Sul, a evolução da área urbana implicou em uma grande alteração na eco-paisagem local onde foi necessário a construção de estradas, algumas dessas obras tiveram um mau planejamento, o que por consequência, acarretou em um dano ambiental significativo que foi intensificado em algumas áreas. A prefeitura do município foi notificada pelo Ministério público para apresentar um projeto de recuperação da área em curto prazo. O objetivo deste trabalho é apresentar a metodologia utilizada na recuperação de uma área degradada, no interior do município de São Gabriel - RS, assim como, os resultados obtidos após dois meses de implantação. A área degradada está localizada próximo a estrada que dá acesso ao distrito Tiarajú, interior do município. Esta degradação desenvolveu-se e agravou-se por consequência da retirada de solo para elevação da estrutura da estrada local, no ano de 2003. Foram estudados modelos de recuperação para o local e optou-se pelo plantio de mudas em linhas e na lateral do local onde havia um talude, foi escolhida a paliçada como obra de bioengenharia a ser implantada. Apesar de um pequeno incêndio criminoso ter acontecido na área depois da implantação, constatou-se que até o presente momento as espécies plantadas estão apresentando um ótimo desenvolvimento onde todas sobreviveram, além do aparecimento de vegetação rasteira, e também foi observado que o talude conseguiu estabilizar a erosão com a obra de bioengenharia. Desta forma, espera-se que as mudas continuem com o bom desenvolvimento, com vigor, podendo ter recursos bióticos e abióticos para manter seu equilíbrio e ser auto-sustentável a longo prazo,
Mostrar más

6 Lee mas

Competencia informacional como recurso emancipatório – estudio de caso con portadores de Diabetes Mellitus

Competencia informacional como recurso emancipatório – estudio de caso con portadores de Diabetes Mellitus

Para esses autores, o domínio emancipatório significa exercer a autoemancipação. Portanto, tomar a competência informacional a serviço do processo de emancipação humana, no âmbito desta pesquisa, passa a ser ação do próprio portador da doença. Essa emancipação não acontecerá por concessão, mas será uma conquista efetiva dos portadores da patologia, demandando um processo de aprendizagem ao longo da vida, em constante construção. Os desafios dos diabéticos, nessa perspectiva, são tomados em um contexto histórico e social, onde se observa a emergência de diferentes atores e fontes de informação, no qual a proposição fundamental da competência informacional é estimular processos que promovam a emancipação individual e coletiva de todos. Daí a necessidade de trazer à tona o debate e uma proposta de competências informacionais polarizadas pelo saber, saber fazer e ser. Uma vez desenvolvidas, devem promover as potencialidades humanas dos portadores da doença e fortalecer, pela aprendizagem responsável, a sua autonomia frente a si mesmo e aos outros.
Mostrar más

13 Lee mas

Descargar
			
			
				Descargar PDF

Descargar Descargar PDF

No contexto de uma síntese de alguns métodos e técnicas de avaliação de serviços en- contrados na literatura sobre o assunto, este artigo relata a experiência da aplicação da técnica de cliente oculto, ou mystery shopping, para a avaliação de atendimento ao público numa rede de bibliotecas públicas no interior do estado de São Paulo, Brasil. Detalha- se como a técnica foi aplicada e os resultados tabulados são apresentados. Excluindo o grupo de controle, 60% das bibliotecas avaliadas conseguiram uma avaliação de “exce- lente” para a variável “informar”, que se refere à capacidade do funcionário atendente em resolver as perguntas e as pesquisas dos usuários, resultado esse muito satisfatório. Em relação à forma com a qual os “clientes ocultos” foram atendidos, a avaliação glo- bal foi igualmente boa, tendo 50% das bibliotecas alcançado o valor “excelente” para a função “acolhimento”. A aplicação da técnica se deu no contexto da oferta da disciplina de “Serviço de Referência e Informação” no curso de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação de uma universidade federal brasileira, com os alunos da supra- citada disciplina agindo como “clientes ocultos” dos serviços prestados aos usuários nas bibliotecas públicas avaliadas. Nesse sentido, espera-se que o exercício contribua para a formação de profissionais bibliotecários reflexivos que possam futuramente propor ações baseadas em evidências.
Mostrar más

12 Lee mas

Estresse ocupacional em profissionais de Tecnologia de Informação

Estresse ocupacional em profissionais de Tecnologia de Informação

230 Como relatado anteriormente, é possível observar estas situações em diferentes profissões, sendo algumas mais estudadas como enfermagem, professores e profissionais de tecnologia da informação, foco deste estudo. Em relação a este último grupo de profissionais a relação entrea prática profissional e o estresse pode ser compreendida, de maneira simplificada, a partir de duas perspectivas. Uma delas está centrada na tecnologia de informação constituindo um dos elementos estressores no trabalho de outros profissionais (que não os de TI, especificamente). É o caso do adoecimento de bancários derivado das mudanças laborais e do uso intensivo de recursos tecnológicos com a finalidade de aumento da produtividade (Bessi, Schreiber, Puffal&Tondolo, 2015) ou da ambiguidade na relação dos profissionais de saúde com a tecnologia (Pires, Bertncini, Trindade, Matos, Azambuja & Borges, 2012).
Mostrar más

18 Lee mas

NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO DE PACIENTES ONCOLÓGICOS E DE SEUS FAMILIARES

NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO DE PACIENTES ONCOLÓGICOS E DE SEUS FAMILIARES

Trata-se de uma pesquisa quantitativa, exploratória-descritiva, com delineamento transversal, oriunda de um projeto de pesquisa ³Necessidades de informação de pacientes oncológicos e de seus familiares´ ILQDQFLDGR SHOR Hdital 375/2016 - Programa de Desenvolvimento Acadêmico (PDA)- Iniciação a Pesquisa, da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). O projeto está em fase de coleta de dados, sendo realizado em uma clínica filantrópica de radioterapia e oncologia de um município da fronteira oeste do Rio Grande do Sul/Brasil.

7 Lee mas

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA

pode ocorrer em qualquer momento da aula a introdução ± despertando o interesse dos alunos para o tema; b desenvolvimento ± aprofundando o estudo dos conceitos sobre a Segunda Lei da Te[r]

6 Lee mas

EP-RDF: sistema para armazenamento e recuperação de imagens baseado em ontologia

EP-RDF: sistema para armazenamento e recuperação de imagens baseado em ontologia

criado um documento RDF intermediário. Esse documento tem a função de tornar as consultas (Módulo II) mais rápidas (otimizadas), pois funciona como um elemento norteador das consultas, ou seja, esse documento intermediário direciona para quais documentos serão realizadas as pesquisas, por exemplo, se está sendo consultada imagens referente ao curso de Sistemas de Informação, não há porque serem feitas consultas desnecessárias em outros cursos. Esse documento intermediário obedece a hierarquia estabelecida pela ontologia que rege a forma de descrição das imagens. Partindo-se do pré-suposto que foram descritas apenas 7 (sete) imagens, referentes a três cursos distintos, o documento intermediário estaria organizado da seguinte forma (Listagem 2).
Mostrar más

12 Lee mas

Comportamento informacional em teses e dissertações na ciência da informação no Brasil entre 2007-2012: revisão de literatura

Comportamento informacional em teses e dissertações na ciência da informação no Brasil entre 2007-2012: revisão de literatura

Nota-se que os orientadores da temática de Recuperação da Informação se encontram tematicamente mais homogêneos e consolidados, enquanto que, os orientadores dos temas confluentes a comportamento informacional se encontram dispersos e heterogêneos entre os termos afins, apesar do consenso parcial em relação aos termos pertinentes ao estudo da temática comportamento informacional, não há um termo representativamente unânime. Somente nos casos dos termos Tomada de Decisão e Estudo de Usuários observasse uma estabilidade maior, que pode ser apurada com maior detalhe na Figura 2. Como foi apontado anteriormente, o termo Tomada de Decisão foi o mais citado nos títulos dos trabalhos, e Estudo de Usuários o segundo mais citado nas palavras-chave, ficando abaixo somente de Recuperação da Informação.
Mostrar más

22 Lee mas

Informação e teoria quântica

Informação e teoria quântica

Ainda relacionado com a terceira vertente, é necessário destacar as contribui- ções e a figura de Charles Bennett. Ele é um químico que, junto com Rolf Landauer, ao incorporar-se, depois de doutorado, ao IBM Research Center, passou a dedicar-se à chamada física da computação (um ramo da física dedicado a resolver os problemas de implementações de processos reversíveis em máquinas de Turing que são irreversíveis). Em 1984, ele e Gilles Brassard publicam um artigo (Bennett & Brassard, 1984), no qual usam os estados emaranhados dos experimentos EPR na comunicação, especificamente na criptografia. Eles propõem um protocolo que usa a mecânica quântica para distri- buir chaves de decodificação das mensagens entre dois usuários, sem nenhuma possi- bilidade de que alguém possa descobri-las. Ou seja, temos aqui uma informação “clás- sica” que é codificada em estados quânticos não ortogonais. Stephen Weisner, nos finais dos anos 1960, havia proposto um mecanismo semelhante ao de Bennett e Brassard. A inspiração de Weisner estava relacionada com a possibilidade de criar uma “moeda quântica” que não poderia ser falsificada, a partir das propriedades particulares do processo de medida na mecânica quântica. O trabalho de Weisner não somente não foi bem recebido pelos seus professores, como tampouco foi aceito para publicação (cf. Nielsen & Chuang, 2010, p. 10), um outro caso semelhante ao de Clauser (cf. Freire Jr., 2006) ou do Herbert (cf. Kaiser, 2011), quando a pesquisa em fundamentos não era bem vista entre os físicos norte-americanos (cf. Freire Jr., 2009). O trabalho de Weisner
Mostrar más

23 Lee mas

A arquitetura da informação e o bibliotecário

A arquitetura da informação e o bibliotecário

Portanto, refletindo sobre os conceitos apresentados, podemos concluir que conhecer os usuários, suas necessidades, hábitos, comportamentos e experiências são fundamentais para elaborar a arquitetura de informação de web sites, mas não são suficientes. É necessário também entender as características do conteúdo que será apresentado (volume, formato, tipos, estrutura, governança, dinamismo, etc.) e as especificidades do contexto de uso (objetivo do web site, cultura e política da empresa, ambiente de uso, restrições tecnológicas, recursos humanos etc.). As três dimensões, usuário – conteúdo – contexto e suas interdependências, são únicas para cada web site e o papel do arquiteto é justamente conseguir balanceá–las, para que a informação certa seja acessada pela pessoa certa no momento certo (Rosenfeld e Morville, 2002).
Mostrar más

11 Lee mas

Show all 10000 documents...