PDF superior A DEMOCRACIA NA FORMAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA

A DEMOCRACIA NA FORMAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA

A DEMOCRACIA NA FORMAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA

Essas medidas estudadas são as que tem impacto direto na educação, no caso a medida provisória que propôs a reforma do ensino médio nas escolas públicas, o projeto de emenda a constituiç[r]

6 Lee mas

A IMPORTÂNCIA DA CAPOEIRA NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR:  VIVÊNCIAS PRÁTICAS NO 1°ANO

A IMPORTÂNCIA DA CAPOEIRA NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: VIVÊNCIAS PRÁTICAS NO 1°ANO

Ao nos reportarmos a implementação da Lei Federal 10.639/03, nos propomos a minimamente contextualizar este aparato legal, buscando na trajetória do Movimento Social Negro entender como as propostas deste segmento se configuraram em ações afirmativas, considerando-se o momento histórico que o país estava vivendo quando da aprovação da referida lei. Explora-se aqui, as motivações que fazem surgir a necessidade das ações afirmativas e quais encaminhamentos são dados a partir do aparato estatal. Busca-se assim fundamentar nossa compreensão de que a capoeira por ser uma arte brasileira, desenvolvida em um momento de extrema exploração da mão de obra escrava do povo negro que foi trazido brutalmente para o Brasil para exercer o trabalho braçal necessário para o "enriquecimento" dos colonizadores europeus. Neste processo, ocorre a expropriação dos bens culturais e materiais de África, os quais são preservados como estratégia de resistência do povo negro. Neste contexto, busca-se demonstrar que a capoeira pode constituir-se em uma ferramenta pedagógica no trato com a implantação da lei federal 10.639/03 na escola, fazendo sentido então buscarmos compreender algumas estratégias de luta do povo negro no Brasil nos aproximando e refletindo sobre suas perspectivas. Após termos vivido mais de 300 anos de escravidão e considerando que fomos o último país da América latina a abolir a escravidão, e que, portanto, ainda hoje pagamos a conta deste processo, pois vivemos as consequências das mazelas que o sistema escravocrata nos deixou como herança, dentre elas podemos citar as graves desigualdades sociais e raciais, além do mito da "democracia racial", o qual faz que muitas vezes não se assume o racismo existente no país. Entendendo a capoeira como Patrimônio Histórico imaterial, tombada pelo IPHAN e 2009, consideramos que a esta modalidade das lutas proporciona resultados e benefícios apresentados depois da implementação do projeto na comunidade. Em algumas observações realizadas na escola próximo ao bairro a escola Moacir Pereira Jaques durante o recreio identificamos que os alunos da escola participantes do projeto, realizavam rodas de capoeira ensinando aos demais colegas movimentos da capoeira, mobilizando assim, boa parte dos alunos onde muitos observavam atentamente principalmente alunos do 1° ano ao 5° ano do ensino fundamental. O objetivo do trabalho foi analisar as possibilidades de inserção da capoeira nas aulas de Educação Física escolar, com crianças a partir do 1º ano do ensino fundamental com subsidio das vivencias desenvolvidas no Projeto Capoeira Joao Paulo II.
Mostrar más

6 Lee mas

TítuloA abordagem da temática ambiental nos TCCs do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Piauí

TítuloA abordagem da temática ambiental nos TCCs do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Piauí

A formação superior que leve em consideração as questões ambientais é uma preocupação que tem como consequência pesquisas sobre o tema. E diante da importância que os meios de comunicação possuem na formação da opinião pública, esta pesquisa tem como objeto fazer uma análise de como a temática ambiental vem sendo abordada nos Trabalhos de Conclusões do Curso (TCCs) de Comunicação Social/habilitação em Jornalismo da

16 Lee mas

Tecnologias no Cotidiano Escolar: Limites e Possibilidades / Technology in school life: limits and possibilities

Tecnologias no Cotidiano Escolar: Limites e Possibilidades / Technology in school life: limits and possibilities

Resumo:   Este   trabalho   é   o   resultado   de   um   estudo   de   caso   que   investigou   e  analisou a integração de tecnologias, nomeadamente, o objeto de aprendizagem: “O  que   fazer   para   reduzir  o   impacto   ambiental   causado   pelo   uso   das   pilhas?”,   no  ensino   de   Química,   numa   escola   pública   de   ensino   médio,   no   município   de  Uberaba­MG.  Participaram da investigação vinte e sete alunos e uma professora do  ensino   médio.   Foram   adotados  como   procedimentos   para   a   pesquisa:   a   revisão  bibliográfica,   a   aplicação   de  questionários   com   perguntas   abertas   e   fechadas,   a  realização   de   entrevistas   semi­estruturadas   e   a   observação.   Os   resultados  apontaram   que   a   integração   das   tecnologias   no   contexto   escolar   depende   de  múltiplos determinantes, entre os quais, uma infraestrutura tecnológica adequada,  investimentos   na   formação   docente,   revisão   das   concepções   sobre   ensino   e  aprendizagem e convicções sobre como potencializar as aprendizagens dos alunos  via tecnologias e repensar os ambientes de aprendizagem. Os resultados sugerem  que   a   integração   das   tecnologias   se   deve   mais   ao   entusiasmo   pela   forma  diferenciada de ensinar e aprender do que pela adoção de visões educativas que  produzam mudanças na forma de conceber e pôr em prática os processos formativos  ao ter disponíveis outros recursos didáticos diferentes dos tradicionais – quadro e  giz. Desse modo, é necessária uma política que assegure a discussão e reflexão sobre  a integração das tecnologias no ambiente escolar que signifique uma melhoria na  escola.
Mostrar más

17 Lee mas

O lugar da pesquisa na formação de alunos da licenciatura em Filosofia na UFG

O lugar da pesquisa na formação de alunos da licenciatura em Filosofia na UFG

4 a realidade escolar, interrogando seus sentidos, seus modelos de formação, suas deformações, mas sobretudo, vincular toda essa reflexão com o ensinar a Filosofia. Nossa preocupação é fazer com que o estagiário seja capaz de pensar a escola, e a Filosofia nesta escola, rompendo com uma visão fragmentada do ensinar, que muitas vezes vê a disciplina Filosofia, mas não vê o contexto, o mundo fragmentado em que ela está inserida. Ter visão de conjunto tem sido um objetivo almejado pelo nosso projeto. Ao longo dos dois anos de estágio, o aluno descobre a “escola real”, objeto de pensamento, rompendo com estereótipos ou lembranças afetivas de sua experiência pessoal nessa instituição; começa a perceber e a construir uma identidade profissional, conhecendo mais de perto as dificuldades que envolvem esta profissão no Brasil; descobre as implicações das políticas públicas sobre os processos de formação; convive com os alunos da educação básica, partilhando de seus dilemas, de seu mundo, de sua cultura; avalia a possibilidade de pôr em prática ou não aquilo que se aprende na teoria; pensa o lugar da Filosofia na formação de adolescentes; e, fundamentalmente, faz do estágio uma experiência de formação e não apenas uma atividade de “descrição da realidade escolar” (Cf. Pimenta & Silva, p. 106-107). Ao entrar na sala de aula, para sua intervenção ou para a regência, o estagiário tem compreensão da educação como um processo amplo, cujas implicações éticas, políticas e epistemológicas vão além da escolha de conteúdo ou da metodologia. O que implica um pensar radical sobre o que é o educar, o ensinar, o aprender, como também, sobre o sentido público de uma escola e seu papel na formação daqueles que devem participar criticamente do espaço público. O estagiário vai, assim, desenvolvendo uma autonomia no pensamento e uma criatividade na ação pedagógica, descobrindo e propondo caminhos originais de intervenção pedagógica.
Mostrar más

9 Lee mas

Os Ciclos de Formação e Desenvolvimento Humano e a realidade da Educação Física na escola pública

Os Ciclos de Formação e Desenvolvimento Humano e a realidade da Educação Física na escola pública

Esta pesquisa objetivou compreender a realidade da organização escolar estruturada em Ciclos de Formação e Desenvolvimento Humano, a partir do olhar dos professores de educação física que atuam na escola pública. Como objetivo específico procurou investigar as mudanças que ocorreram a partir da implantação do novo modelo e quais as consequências pedagógicas para o ensino da educação física na escola. A pesquisa fundamentou-se no método da pesquisa-ação e do trabalho coletivo, mediado por diálogos e reflexões com os professores/as de Educação Física onde se procurou identificar as problemáticas, os conceitos, as concepções, as formas de avaliação educativa e os posicionamentos dos professores acerca do novo modelo escolar. Os resultados das análises possibilitaram identificar os elementos mais recorrentes relacionados aos problemas e estrangulamentos dos ciclos e as ações propositivas acerca da qualidade da prática da educação física nos ciclos de escolarização. De forma geral, pode se afirmar que os Ciclos de Desenvolvimento promovem avanços sobre o processo de escolarização e que a educação física apresenta contribuições significativas no processo de aprendizagem, principalmente em razão do trabalho coletivo. Foi possível constatar que o modelo seriado permanece enraizado nas práticas dos professores no cotidiano da escola, sustentado pela resistência à mudança, pela não compreensão do modelo de ciclos e pela dificuldade de ir contra a lógica hegemônica do modelo da escola capitalista.
Mostrar más

9 Lee mas

O subprojeto cultura esportiva da escola: estabelecendo relações com a formação inicial

O subprojeto cultura esportiva da escola: estabelecendo relações com a formação inicial

Mais especificamente, (Stefane; Mizukami, 2006) as autoras investigaram os professores de educação física atuantes na rede pública, com a finalidade de analisar a preparação profissional oferecida durante o processo de formação inicial, destacando aspectos relevantes ao processo de formação. Segundo a pesquisa, os principais problemas estavam relacionados há existência de um currículo inadequado para a formação, a grade curricular, algumas disciplinas e a falta de relação entre elas. No entanto, a maior parte dos professores participantes do estudo afirmou que o curso de graduação influencia diretamente no trabalho docente, considerando influências positivas na prática pedagógica.
Mostrar más

9 Lee mas

Intelectuais e Universidade: O Ensino Superior no Congresso de Instrução Pública (Rio de Janeiro, 1883-1884)

Intelectuais e Universidade: O Ensino Superior no Congresso de Instrução Pública (Rio de Janeiro, 1883-1884)

Antonio Almeida Oliveira (Bastos, 2007) foi convidado para dar parecer em duas questões: a questão 2 - Criação de uma Universidade. Sua organização. Faculdades que a devem constituir. Condições de autonomia das Faculdades existentes nas Províncias e da Escola de Minas de Ouro Preto em relação à Uni- versidade -; e a questão 3 - Organização do Conselho Universitário e do Con- selho Superior de Instrução Pública. Atribuições de cada um deles. Criação de uma Inspetoria Geral de Instrução Superior. As duas são respondidas em um só texto, com 20 páginas e 24 seções, em que o autor se detém exclusivamente na primeira, pois se posiciona contra a criação de uma universidade «como medida centralizadora», considerada «um luxo nacional», convicto de que é «antes um mal que um bem». Para expor sua tese, começa apresentando a história da uni- versidade e da sua situação nos países europeus (especialmente Inglaterra, Ale- manha) e nos Estados Unidos, no século XIX. Para a situação brasileira, é contra a centralização de uma universidade na Corte, propugnando a «necessidade de descentralizar a vida intelectual», o que daria condições às províncias de atrair os «homens instruídos». Além disso, defende uma universidade com caráter profis- sional e não somente para conferir «graus científicos». Considera incompatível a manutenção das Faculdades, nas províncias, e a universidade na Corte, quanto aos aspectos administrativos e financeiros, defendendo a manutenção das pri- meiras. Contrapondo-se à tese de criar uma universidade no Brasil, coloca o foco de análise na necessidade de organizar adequadamente o «ensino inferior», isto é, o ensino primário mais o ensino secundário, ampliando os programas e tornando-os científicos. Considera que
Mostrar más

22 Lee mas

La perspectiva CTS y la formación docente en la visión de profesores de educación primaria brasileña

La perspectiva CTS y la formación docente en la visión de profesores de educación primaria brasileña

Os professores convidados para participar da pesquisa atuam na rede pública de ensino do Estado do Rio de Janeiro, em uma escola situada no município de Niterói, tendo como núcleo a UFRJ. Esses professores participaram de um conjunto de atividades que incluíam reuniões de estudos sobre a temática CTS, discussões sobre a prática docente e planejamento de atividades que foram desenvolvidas em sala de aula. Foi proposto, no contexto do projeto ao longo de 12 meses com os professores da educação básica, um trabalho participativo valorizando a interação entre a universidade e a escola. Foram realizadas oficinas de formação nas escolas de atuação dos professores e o desenvolvimento e acompanhamento de propostas didáticas nas aulas de ciências.
Mostrar más

29 Lee mas

Os custos na formação do preço da hora de voo em uma escola de aviação de Mato Grosso

Os custos na formação do preço da hora de voo em uma escola de aviação de Mato Grosso

Alguns termos técnicos podem ter seus significados deduzidos por si só. Porém, certamente, surgem dúvidas quando comparados com outros termos, isso deve, principalmente, a semelhança entre muitos deles. Diante disto, percebe-se que a área de custos possui terminologia própria que, todavia, muitas vezes é uti- lizada erroneamente. Com isso, serão expostos os principais termos utilizados na contabilidade de custo fins de facilitar o entendimento do trabalho em geral. O gasto é um conceito extremamente amplo e que se aplica a todos os bens e serviços adquiridos. O gasto incorre quando acontece um sacrifício financeiro para a obtenção de algum ativo ou serviço. No momento em que a empresa está utilizando recursos financeiros para as compras e pagamentos em geral, ela estará incorrendo num gasto.
Mostrar más

29 Lee mas

PRODOCÊNCIA e PIBID: narrativas de iniciação à docência

PRODOCÊNCIA e PIBID: narrativas de iniciação à docência

A parceria universidade-escola na formação inicial de professores carrega em si potencialidades, desafios e a necessidade de romper com concepções e práticas pautadas na racionalidade técnica. O reconhecimento da escola como importante lócus para a formação inicial de professores não substitui o papel da universidade, pelo contrário potencializa-o. O que está em questão não é a substituição da teoria pela prática, porque assim como a formação teórica não dá conta da compreensão da realidade educacional, a prática também não dará, por isso a importância de reconhecê-las como inseparáveis. Quanto a isso, Guimarães afirma que “da mesma forma que não se pode esperar que a intuição, a espontaneidade e a experiência assegurem um aprendizado consistente da profissão docente, também podemos afirmar que da formação teórica não se deduz diretamente a melhoria da formação profissional do professor”. (2008: 691)
Mostrar más

12 Lee mas

Filosofia da educação na formação do pedagogo: discurso da autonomia e construção da heteronomia

Filosofia da educação na formação do pedagogo: discurso da autonomia e construção da heteronomia

O exercício do poder da instituição da sociedade, sobre os indivíduos por ela produzidos, efetiva-se através do conjunto de instituições que visam à escolaridade e que se realiza na família, na escola, nas leis, nos costumes, na religião, na cultura, e cujo conteúdo, ou seja, as significações imaginárias sociais, depois de internalizadas pelos indivíduos, constituem para os mesmos a sua matriz de referência, que será assumida como verdade, e na qual se fundamentará seu pensar, sentir e agir. É o assumir o internalizado como natural e verdadeiro, que prende o indivíduo em clausura cognitiva. Todavia, o exercício do infrapoder exercido sobre a psique de cada um pelo sócio- histórico (sociedade instituída) no processo de socialização nunca o é de forma absoluta. Uma série de fatores impede a fabricação do indivíduo social de modo total e absoluto. Dentre eles, destacamos: “o mundo, enquanto “mundo pré-social – limite do pensamente -, ainda que não “significando nada em si mesmo, está sempre presente, como provisão inexaurível de alteridade, como risco sempre iminente de rasgadura no tecido das significações, com que a sociedade o vestiu” (CASTORIADIS, 1992, 128-9), isto é, o a-sentido do mundo que ameaça sempre o sentido instaurado pela sociedade, a capacidade invencível da psique de preservar seu núcleo monádico e sua imaginação radical que nunca poderá ser completamente socializada e transformada exaustivamente conforme o que as instituições lhe pedem; as outras sociedades e suas significações imaginárias sociais que põem em perigo o sentido instaurado pela sociedade considerada e o próprio imaginário radical da sociedade, isto é, o imaginário instituinte, pois a sociedade contém sempre, em sua instituição e suas significações imaginárias, um avanço em direção ao futuro, e o futuro exclui uma codificação prévia e exaustiva das decisões a serem tomadas.
Mostrar más

18 Lee mas

Os sentidos da escola pública para jovens pobres da cidade do Recife

Os sentidos da escola pública para jovens pobres da cidade do Recife

Para a escrita da carta 3 sobre a escola possível, já no décimo primeiro dia de observação, levamos a canção Só depende de mim, um rap de um grupo de jovens da cidade do Recife. Os estudantes ficaram surpresos por levarmos um estilo musical que comumente não é utilizado para atividades de sala de aula. Eles participaram cantando a música, acompanhando a letra com a cópia dela na mão e seguindo a cadência da batida. Mais uma vez, recorremos a um recurso da escola, o som, para a leitura do CD. Nessa carta, a mobilização para sua escrita, apesar da empolgação com a música, foi menor, muitos desistiram da produção. Acreditamos que o fato em si esteja associado à natureza da questão suscitada na carta, à escrita sobre a escola possível, a relatar como sua contribuição pode ser dada no sentido da transformação da realidade de que tanto reclamam. Pensamos que o sentimento de impotência e de incapacidade por parte de alguns jovens possa explicar essa “desistência”, por acreditar que como alunos e jovens não podem fazer nada para mudar a sua realidade.
Mostrar más

12 Lee mas

CURRÍCULO E A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO NA ESCOLA SUPERIOR PEDAGÓGICA DO BIÉ (ESPB)

CURRÍCULO E A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO NA ESCOLA SUPERIOR PEDAGÓGICA DO BIÉ (ESPB)

Orienta as posições curriculares que se concretizam em acções específicas do desenho curricular, como a elaboração de planos e os programas de estudo. Possibilita compreender as intencionalidades e as expectativas relativas aos planos e programas de estudo que devem ser planificados e aplicados à cada nível de concretização do currículo. Os enfoques geram distintos modelos curriculares para dar resposta às seguintes questões: dar respostas, entre outras, às seguintes questões: como precisar os objectivos quanto à formação que se quer alcançar com os estudantes? Propor conteúdos ou limitar-se a sugerir critérios para a sua selecção? O que vão aprender os estudantes? Como conseguir que os estudantes aprendam? A conceptualização curricular é um momento de grande tensão. A fundamentação racional da selecção das matérias e conteúdos do currículo é apenas uma parte do conceito. Há que ter em conta os conflitos entre as disciplinas por questões de status, os recursos e territórios (Goodson, 1987). Isto explica, como refere Marchesi (1998), que apesar dos avanços científicos e técnicos, o currículo tende a manter a mesma estrutura de disciplinas ao longo dos tempos. O currículo é no entanto, e consensualmente, perspectivado por vários autores como um plano de estudos, ou seja, um conjunto estruturado de matérias de ensino traduzido na distribuição variada de tempos lectivos semanais ou de unidades de crédito a cada uma das disciplinas (Ribeiro, 1993:75).
Mostrar más

12 Lee mas

FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DA INCLUSÃO: RELATO DE UM MINICURSO

FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DA INCLUSÃO: RELATO DE UM MINICURSO

Também é necessário aprender a diversificar os métodos em sala de aula, fugindo do ensino tradicional, como slides e vídeos, meios estes, que não atingem todos os alunos na escola. O minicurso conseguiu sensibilizar os alunos presentes e mostrar o efeito positivo que essa prática tem na vida de alunos cegos e demais alunos. Outro ponto que vale ressaltar, é o fato de que a alta procura pelo minicurso, evidenciou a falta que essa preparação faz durante a graduação. É necessário criar novas maneiras de incluir e levar não apenas como um minicurso, mas também como um componente curricular fixo e completo, talvez assim a inclusão seja mais valorizada no nosso país.
Mostrar más

6 Lee mas

FORMAÇÃO MUSICAL DE PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA: IMPACTOS DE UM PROJETO DE EXTENSÃO

FORMAÇÃO MUSICAL DE PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA: IMPACTOS DE UM PROJETO DE EXTENSÃO

A elaboração do projeto justificou-se a partir de demanda da escola, ouvidos seus agentes. Ademais, a escola situa-se no entorno do campus, o que significa uma forma de aproximação do Curso de Música com a comunidade junto a qual está inserido. Tem como objetivo geral auxiliar a implementação da música na referida escola e, como objetivos específicos: a) proporcionar formação musical a alunos e professores através de concertos didáticos; b) capacitar professores a proporem aos alunos atividades que incluam a música a partir de suas áreas específicas ou por meio de projetos interdiscipliQDUHV PDV TXH EXVTXHP D ³FRPSUHHQVmR GRV HOHPHQWRV LQHUHQWHV j SUySULD OLQJXDJHP >PXVLFDO@´ %(//2&+,2 S F propiciar aos discentes do Curso de Música, participantes do projeto, um espaço/tempo privilegiado para a prática pedagógica, rompendo com o encapsulamento da Universidade, aproximando-os do mundo da vida profissional (FAZENDA, 2011, p. 73).
Mostrar más

7 Lee mas

Pibid: o subprojeto cultura esportiva da escola

Pibid: o subprojeto cultura esportiva da escola

Resumo: O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID/CAPES, com o Subprojeto “Cultura Esportiva da Escola” tem como foco de ação a criação de um campo de atuação na docência na escola de educação básica aos futuros educadores em formação inicial e formação continuada, desenvolvendo práticas e estratégias educacionais na área da Educação Física escolar. O subprojeto acontece em diferentes momentos, como: levantamento de informações sobre a realidade escolar; discussão no coletivo dos envolvidos; planejamento e aplicação de um programa de práticas esportivas/formativas e, avaliação do subprojeto como espaço de formação inicial na docência em escola pública. Resultados parciais: organização de grupo de estudo semanal; ampliação das possibilidades de participação em programa de práticas esportivas/formativas; melhoria e qualificação da 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias
Mostrar más

8 Lee mas

Escola pública: resistência em tempos de dissolução

Escola pública: resistência em tempos de dissolução

A escola como instituição social é de certo modo um símbolo de resistência. Desde seu aparecimento vem a usurpar um lugar que não era seu, ou melhor vem a constituir-se a partir de um lugar que precisa ser firmado. Assim, usurpa a criança e o jovem do mundo do trabalho, e oferece a eles as possibilidades de conhecimento das coisas e das ideias postas em seu mundo. Atravessa, sem dúvidas, muitos momentos que representam esse paradoxo. A abertura para um espaço tempo dedicado ao saber, estabelece a participação dos indivíduos com base nos elementos do aprender e do ensinar. Excluindo qualquer (pré)condição que atrele seu estado econômico, étnico ou cultural a permanência ou não nesse espaço do saber. Não há dúvidas de que o espaço de saber [escolar] sofreu na história muitas mudanças. Da antiga Grécia aos dias atuais a relação entre o mestre, o discípulo e o saber foi permitindo um movimento de reconstrução do lugar do conhecimento, hoje representado, para muitos, pela escola.
Mostrar más

12 Lee mas

Pensamento e ética: um olhar para experiência formativa à luz de Hannah Arendt

Pensamento e ética: um olhar para experiência formativa à luz de Hannah Arendt

9 proposto por Arendt, abordamos a realidade da Escola de Referência em Ensino Médio Corsina Braga, cuja proposta de Educação Integral se ancora na visão de Educação Interdimensional defendida pelo educador Antônio Gomes da Costa (2008), que fundamenta o programa nas Escolas de Referência do Estado de Pernambuco – Brasil. Tal perspectiva parte do reconhecimento das quatro dimensões constitutivas do ser humano: “pensamento, sentimento, desejo e relação do homem com o mistério da vida e da morte” (pp. 16-17), como aspectos que compõem a noção de integralidade, compreendida pela articulação e caráter indissociável dessas dimensões. Nesse viés, a formação proporcionada pela instituição pressupõe a articulação com a formação ética dos jovens. Da leitura dessa realidade, considerando os relatos dos professores da instituição, destacam-se: as concepções de pensamento dos docentes, as dificuldades dos estudantes e o significado da ética para os docentes.
Mostrar más

18 Lee mas

TítuloIntervenção na parentalidade: o caso específico da formação de pais

TítuloIntervenção na parentalidade: o caso específico da formação de pais

Grande parte dos programas de interven9ao na parentalidade tem como pano de fundo estes referentes conceptuais assumindo como objectivo a substitui9ao dos padroes de interac9ao negativos[r]

15 Lee mas

Show all 10000 documents...