PDF superior A formação de adultos, aquisição de competências e empregabilidade

A formação de adultos, aquisição de competências e empregabilidade

A formação de adultos, aquisição de competências e empregabilidade

A formação de adultos constitui uma estratégia utilizada para colmatar as necessidades educativas dos cidadãos, dando uma forte contribuição para a aquisição de competências pessoais e profissionais com impacto na sua empregabilidade. Portugal atravessa uma situação económica muito difícil e, consequentemente, o desemprego tem vindo a aumentar, verificando-se uma taxa de desemprego de 13,9%, em 2014 e 11,3% na Região Autónoma dos Açores (Instituto de Emprego e Formação Profissional, 2015). A investigação desenvolvida emergiu do interesse em compreender se a sociedade portuguesa, em geral, e as Políticas de Educação, Formação e Emprego, em particular, estão a acompanhar e a preparar o nosso atual público desempregado. Neste seguimento, pretendeu-se avaliar o impacto do Programa de Aquisição Básica de Competências
Mostrar más

13 Lee mas

Vinculação, autocompaixão e resiliência em jovens adultos: relações com as competências sociais

Vinculação, autocompaixão e resiliência em jovens adultos: relações com as competências sociais

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - Escola de Psicologia e Ciências da Vida 110 Em estudos futuros seria pertinente incluir na amostra os formandos que frequentam os cursos de formação nos outros dois Centros DUAL, Lisboa e Porto, jovens a frequentar outros Centros de Formação Profissional do país, estudantes universitários e jovens recentemente inseridos no mercado de trabalho, de modo a obter uma amostra mais representativa da população jovem adulta, abrangendo os vários fatores do seu desenvolvimento e das suas realidades, ambiente familiar, social, áreas geográficas, história escolar, incluindo outras variáveis que melhor expliquem as dificuldades específicas de aquisição e da proficiência das competências sociais dos jovens adultos (Matos & Tomé, 2012); (Matos, Simões, Camacho, Reis, & Equipa Aventura Social, 2014). Existe todo um conjunto de fatores de risco à volta da população jovem ligados a variáveis familiares e contextuais que podem influenciar o seu desenvolvimento de forma positiva ou negativa (Matos & Tomé, 2012). Tendo por base os estudos de Matos e Tomé (2012), seria pertinente acrescentar a avaliação das práticas parentais a este estudo, na medida em que os autores referem que práticas ineficazes, autoritárias ou permissivas, poderão ser facilitadoras do aparecimento de problemas de comportamento nos jovens. Estas variáveis familiares não foram consideradas neste estudo, sendo que futuramente poder-se-ia avaliar a influência das mesmas no desenvolvimento das competências sociais junto da população jovem adulta.
Mostrar más

146 Lee mas

O impacto da conclusão de um curso EFA B3 e das competências de Linguagem e Comunicação na vida profissional dos adultos

O impacto da conclusão de um curso EFA B3 e das competências de Linguagem e Comunicação na vida profissional dos adultos

Resumo: O presente artigo, baseado num trabalho de investigação, pretende evidenciar o impacto que os cursos EFA (Educação e Formação de Adultos) de nível básico tiveram nas mudanças ocorridas na vida profissional dos adultos. Os cursos EFA, que surgiram em Portugal em 2000, enquadram-se nas grandes linhas orientadoras da aprendizagem ao longo da vida seguidas na Europa e têm como principais objectivos aumentar a competitividade, promover a empregabilidade, reforçar a coesão social e elevar os níveis de educação e qualificação da população. Tendo em conta esta premissa, a educação de adultos deve dotar os cidadãos de competências necessárias para dar resposta às exigências actuais, isto é, deve dotá-los de competências que lhes permitam adaptar à sociedade e às necessidades de cada momento, promovendo a autonomia, a adaptabilidade, a flexibilidade, a criatividade e a participação crítica na vida social e profissional. Neste momento, a Iniciativa Novas Oportunidades1, da qual fazem parte os cursos EFA, encontra-se numa fase de reestruturação, sendo importante, por isso, analisar o contributo desta oferta formativa para a qualificação da população portuguesa e para a sua inserção no mercado de trabalho, aferindo se os adultos que frequentam estes cursos adquirem competências que lhes permitam enfrentar os desafios da nova sociedade e do mercado de trabalho, tal como preconizado pelas políticas europeias relativamente à educação de adultos.
Mostrar más

13 Lee mas

Análise de Discursos Europeus sobre Educação e Formação de Adultos e Aprendizagem ao Longo da Vida

Análise de Discursos Europeus sobre Educação e Formação de Adultos e Aprendizagem ao Longo da Vida

Esta dimensão constrói uma visão específica de Trabalho, já que ela se refere, essencialmente, a um tipo particular de trabalho, aquele cuja produtividade é visível, ou seja cujos efeitos se repercutem, directamente, em termos do funcionamento da economia e da produção de mais-valias. É neste sentido que a dimensão trabalho aparece quase exclusivamente associada às ideias de empregabilidade e de espírito empresarial/empreendedorismo e sob estas formas emerge como a noção mais presente, dominante e subordinante de outras dimensões de análise e das políticas enunciadas. Em ambas as formas são enfatizados os processos a que os indivíduos devem estar dispostos ou em que se devem envolver para que, adquirindo as qualidades de empregável e de empreendedor, se “adaptarem com flexibilidade a um mundo em rápida mutação e altamente interligado”. O direito ao trabalho – que em Portugal, por exemplo, é um direito constitucionalmente consignado – transforma-se numa luta individual pelo trabalho, sendo que as questões do emprego, ou da falta deste, tendem a deixar de ser considerados problemas sociais para passarem a ser percepcionados como problemas individuais, passando a caber a cada um responsabilizar-se pela sua situação face ao emprego/desemprego. Como salienta Claude Dubar (1998, cit. in Canário, 2000: 37), “A qualificação enquanto objecto de uma negociação colectiva cede o seu lugar à competência, avaliada para cada indivíduo e pela entidade empregadora”, passando cada um a ser responsável pela sua “empregabilidade”, na medida em que possa gerir a encenação das competências que melhor o adaptam ao mercado de trabalho.
Mostrar más

12 Lee mas

A Educação Musical nos jardins de infância e no primeiro ciclo da escola portuguesa, num contexto de interdisciplinaridade para a aquisição de competências

A Educação Musical nos jardins de infância e no primeiro ciclo da escola portuguesa, num contexto de interdisciplinaridade para a aquisição de competências

felicidade ao serem capazes de cantar canções. De uma certa forma, cantar liga-as ao mundo dos adultos, dos irmãos mais velhos, dos familiares que acompanham canções, das pessoas que cantam nas festas e nos aniversários. As crianças gostam de cantar melodias de todo o tipo, sejam canções de embalar, tradicionais ou populares ou associadas a festividades e celebrações. A forma como as aprendem tem por base a repetição, cantando vezes sem conta até as saberem. Embora cantar sem instrumento seja satisfatório para as crianças, um acompanhamento à viola, ao órgão, cavaquinho ou à flauta, ajuda-as a manterem-se no tom. Para apresentar uma nova canção, o educador deve cantá-la toda de uma só vez, observando quantas crianças se lhe juntam porque já sabem parte ou a totalidade da letra da canção. Depois cantar uma frase sozinho, parar e repetir com todos a cantar. Cantar o verso seguinte sozinho e cantá-la de novo com todos a cantar em conjunto. Repetir este procedimento verso a verso até ter cantado toda a canção. Seguidamente, cantar toda a música do princípio ao fim, com todos a cantar e sem parar entre os versos. Embora nesta altura, nem todos saibam as palavras, vêm a sabê-las, mais cedo ou mais tarde. Uma nova canção deverá ser cantada durante vários dias até ver que a maioria das crianças estão à-vontade a cantá-la. O educador pode pedir aos pais que lhe mostrem as suas canções favoritas no meio familiar de cada um, para que possa juntá-las no repertório das suas crianças pré-escolares. A voz é um veículo de grande poder de expressão e de comunicação que pode manifestar estados de alma e emoções muito diversas. Cantar individual ou colectivamente, é a base da educação musical. Todas as crianças têm a capacidade para cantar, sendo uma necessidade da mesma forma que é o movimento, a brincadeira ou a palavra. Por isso a canção no jardim de infância deve ser um elemento quotidiano de convivência e de formação. Devem escolher-se canções cujas dificuldades estejam ao alcance das crianças. Assim, dever-se-á ter em conta, a idade, os interesses, as brincadeiras, a capacidade motriz e cognitiva, a maturidade musical das crianças e o registo das canções. Estes factores levarão à escolha de canções que contenham intervalos, figuras, combinações rítmicas e extensão adequados. Durante a etapa infantil devem ser cantadas canções tradicionais do país em que as crianças vivem, visto estas terem ingredientes musicais, linguísticos e são do interesse das crianças. Através das canções tradicionais, as crianças adquirem uma visão do mundo, dos acontecimentos quotidianos e das actividades dos adultos.
Mostrar más

478 Lee mas

Competências Financeiras: A Importância Percebida por Profissionais de Secretariado

Competências Financeiras: A Importância Percebida por Profissionais de Secretariado

Este estudo traz também uma contribuição teórica, ou seja, mapeou as principais competências financeiras exigidas pelas empresas, na percepção dos profissionais de secretariado. E ainda apresenta contribuições práticas: a) facilitando a identificação das principais competências financeiras dos profissionais de secretariado, por meio da pesquisa aplicada e análise dos dados coletados; b) criando uma ferramenta para a área de recursos humanos e contratantes em geral, na identificação das principais competências financeiras desse profissional, por meio da Escala de Competências Financeiras do Profissional de Secretariado; e, por fim, c) auxiliando as instituições de ensino que oferecem os cursos de secretariado a analisar se as disciplinas que envolvem finanças estão baseadas, de alguma forma, nas dimensões propostas pela escala: conceito, interpretação de informações e aplicação. Além de também demonstrar os principais conceitos e uso de tais competências exigidas pelo mercado de trabalho na percepção desses profissionais.
Mostrar más

27 Lee mas

Tempo e modalidade na aquisição de espanhol língua materna

Tempo e modalidade na aquisição de espanhol língua materna

Por fim, as autoras ressaltam que não houve dados do verbo flexionado na 2ª pessoa do plural, inclusive, houve poucos casos de verbos no plural. Elas explicam que este resultado é esperado nas fases iniciais de aquisição. Da mesma forma, o número expressivo de sujeitos vazios (diferentemente do que costuma ocorrer na fala adulta) faz parte de um estágio da aquisição inicial, sendo universalmente encontrado, mesmo em línguas de sujeito obrigatório. Algumas hipóteses foram refutadas. As autoras acreditavam que as marcas de plural emergiriam mais tarde, entretanto, estas já aparecem na primeira idade analisada, tanto as marcas de pessoa e número do sujeito quanto as de flexão do verbo. Da mesma forma, a expectativa de que houvesse mais dados de problemas de concordância entre sujeito e verbo nas fases iniciais da aquisição não foi confirmada, pois os resultados mostraram que as crianças analisadas tendem a fazer a concordância esperada na fala adulta. As autoras concluem que a concordância emerge cedo, juntamente com as marcas de plural, mas estas últimas tardam mais para se consolidar, sendo produtivas somente a partir dos 2;8.
Mostrar más

201 Lee mas

TítuloNovas oportunidades para a mellora da empregabilidade en persoas con discapacidade intelectual: programas de formación sociolaboral

TítuloNovas oportunidades para a mellora da empregabilidade en persoas con discapacidade intelectual: programas de formación sociolaboral

Para acceder a mostra da parte cuantitativa, contactarase vía e-mail e enviaráselles unha folla coa información do estudo, un consentimento informado, así como, o propio cuestionario a t[r]

69 Lee mas

Competências gerenciais no setor público do agronegócio

Competências gerenciais no setor público do agronegócio

O atual cenário global de frequentes transformações nas esferas sociais, econômicas, políticas, ambientais e tecnológicas demanda lideranças capazes de demonstrar e exercer todo seu repertório de conhecimentos, habilidades e atitudes na gestão das instituições e organizações. Este cenário complexo assinala a necessidade de tomadas de decisão inovadoras e novas competências para líderes de diversos setores. As organizações envolvidas no setor de agronegócios também estão imersas nesse ambiente de múltiplas exigências e transformações, sejam elas públicas ou privadas, a montante, a jusante ou regulamentadoras do setor. A realidade do setor de agronegócios do Brasil coloca como desafio aos seus gestores atuar em um cenário composto por um conjunto de fatores econômicos, políticos e sociais adversos. No entanto, mesmo inserido neste cenário, o agronegócio brasileiro apresenta grandes oportunidades devido ao potencial de seu território, produtividade e aos resultados já alcançados. Assim, considerando o panorama do agronegócio brasileiro, no qual o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) atua diretamente através do ambiente institucional, e as demandas impostas aos gestores do setor, é importante o uso de métodos adequados para identificar as competências gerenciais necessárias para o alcance das estratégias organizacionais. Portanto, o objetivo da pesquisa é mapear as competências gerenciais para o MAPA com vistas à identificação de lacunas de competências que possam orientar ações estratégicas de capacitação. Trata-se de pesquisa descritiva, aplicada, bibliográfica, documental e de campo, cuja metodologia integra a abordagem qualitativa. As análises de documentos estratégicos da instituição e das contribuições dos grupos focais resultaram na definição de cinco Perspectivas Estratégicas de atuação
Mostrar más

112 Lee mas

Aquisição dos verbos irregulares do Português Brasileiro

Aquisição dos verbos irregulares do Português Brasileiro

Sob esse viés, o presente artigo discute o processo da regularização verbal como sendo uma fase da aquisição da classe verbal irregular e centra sua investigação na empregabilidade destas formas regularizadas, considerando os modos Indicativo e Subjuntivo. São modos verbais que apresentam em suas conjugações alternâncias fonológicas consonantais (em medir, por exemplo, /d/ alterna-se com /s/, como em meço). Assim, tanto o indicativo como o subjuntivo são modos verbais, em que as alternâncias são um fenômeno recorrente nas flexões, o que pode contribuir para que a aquisição verbal irregular seja considerada uma classe de aquisição tardia.
Mostrar más

22 Lee mas

TítuloGestâo de conflitos e competências da mediaçâo

TítuloGestâo de conflitos e competências da mediaçâo

A pensar nas potencialidades dos alunos e na hipótese de se colocarem como recursos, algumas escolas implementaram já programas de formação de mediadores, cujo objectivo é a resolução de conflitos (também no sentido da prevenção). No entanto, a maioria das escolas não tem, apesar disso, contemplados nos seus Projectos Educativos ou nos Projectos Curriculares de Turma programas deste âmbi- to, até porque a Mediação Escolar, como aspecto formal é uma área recente, que se tem vindo a implementar devagar. Nestes progra- mas de mediação escolar inscrevem-se alunos que o podem fazer por diversas razões: princí- pios morais, tendências pacíficas e pacifistas, altruísmo, autopromoção, sensação de lide- rança, sentimento de superioridade, gosto por controlar, exibicionismo, vantagens e contra- partidas propostas pela escola, etc., sendo o critério de selecção, muitas vezes, baseado na boa vontade e disponibilidade dos alunos. No entanto, há alunos com verdadeiras capacida- des de mediadores que, não obstante a for-
Mostrar más

13 Lee mas

Os videojogos promovem o desenvolvimento de competências sociais?

Os videojogos promovem o desenvolvimento de competências sociais?

O jogo esteve sempre presente em várias culturas e civilizações. Com as novas tecnologias digi- tais, o ser humano passou a experienciar novas formas de sentir, pensar, agir e interagir, utilizando a máquina como um meio de comunicação…outra maneira de estar na e em sociedade. Segundo vários autores, os videojogos são considerados como um instrumento de socialização que promo- vem o desenvolvimento de competências sociais do indivíduo. Por conseguinte, podemos referir que jogar jogos de vídeo com um grupo facilita o contacto social e as interações sociais entre os indivíduos, através da troca de conhecimentos acerca dos jogos e dos respetivos equipamentos, sendo que esta atividade geralmente envolve a cooperação entre os jogadores.
Mostrar más

10 Lee mas

Desenvolvimento de competências sociais no cuidador informal

Desenvolvimento de competências sociais no cuidador informal

A realização da componente da ação leva-nos pensar que a diminuição da sobrecarga no cuidador informal está relacionada com o desenvolvimento de competências sociais. Neste sentido, diversos autores apelam à importância de desenvolver competências no cuidador informal. Sobre este tema, Faleiros, 2009 cit. in Pinto e Barham, 2014 destaca a importância de desenvolver habilidades e fornecer informações ao cuidador, tais como diferenciar comportamentos e emoções e desenvolver capacidades para lidar com situações difíceis. Estudos realizados por Pinto e Barham, 2014:535, onde foram realizadas visita domiciliárias e entrevistas (instrumentos também presentes no nosso estudo) verificaram que “várias formas de usar habilidades sociais e a capacidade de resolução de problemas também estavam associadas a uma menor perceção de sobrecarga (...) ”. De acordo com os mesmos autores, existem formas de diminuir a sobrecarga, também utilizados e servindo de base para o nosso trabalho, nomeadamente modificar a forma de pensar e agir perante o cuidado e alterar a forma de lidar com os cuidados e o seu significado.
Mostrar más

134 Lee mas

Alinhamento das competências individuais com as competências essenciais para o negócio: estudo de caso em uma empresa de energia

Alinhamento das competências individuais com as competências essenciais para o negócio: estudo de caso em uma empresa de energia

A medição da prontidão estratégica do capital hu- mano (PECH) pode ser evidenciada pela existência de resultados quantitativos extraídos de indicadores que avaliem a razão entre o nível requerido das com- petências estratégicas (NRCE) e o nível atual de dis- ponibilidade destas competências estratégicas (NDCE) nos ocupantes das funções estratégicas. As variáveis independentes da pesquisa são as eta- pas e requisitos do modelo de competências pro- posto, sendo as etapas 1 a 9 do modelo adaptadas de Becker, Huselid e Ulrich (2000), Fleur y e Fleur y (2003), Kaplan e Nor ton (2004a, 2004b, 2004c), Fon- seca (2005) e Masîh (2005), e os 3 requisitos extra- ídos do modelo de competências proposto por Ma- sîh (2005). A variável independente é a medição da prontidão estratégica do capital humano. (PECH) A análise dos dados comparou cada modelo de ges- tão de competência das áreas estudadas com o mo- delo teórico proposto, verificando a aderência de cada etapa do modelo de competência com os cri- térios da metodologia proposta, e verificando, adi- cionalmente, se a área estudada mede a prontidão estratégica do seu capital humano e como ela o faz. O padrão prognosticado foi comparado com os pa- drões empíricos verificados nos casos estudados. Os resultados da adequação ao padrão teórico propos- to estão expressos no quadro abaixo.
Mostrar más

15 Lee mas

Banda desenhada e desenvolvimento de competências em leitura e escrita

Banda desenhada e desenvolvimento de competências em leitura e escrita

identificar todos os enunciados que se referissem à BD, que depois classificámos, tendo em conta a importância de desenvolver competências em comunicação oral e escrita. Paralelamente, fomos identificando, nos textos reguladores analisados, enunciados relacionados com esta linha de ação que pudessem ser associados à abordagem da BD no 1º CEB, apesar de não se referirem explicitamente a este género textual. Por último, tirámos as nossas conclusões da interpretação dos resultados da análise feita. Em suma, recorremos a uma metodologia de índole qualitativa, com recurso à análise de conteúdo.
Mostrar más

51 Lee mas

Desenvolvimento de competências gerenciais na enfermagem:: experiência entre residentes

Desenvolvimento de competências gerenciais na enfermagem:: experiência entre residentes

A importância das competências nos profissionais de saúde, no bojo gerencial, se remonta no fato de que as mesmas possivelmente têm potencial para subsidiar sistematicamente a formação crítico-reflexiva, extrapolando a dimensão técnica do trabalho e, assim, alicerçar a capacidade de o profissional impactar o mercado e provocar melhorias sociais e na situação de saúde locais a médio e longo prazo (6) . Neste aspecto, o profissional enfermeiro ganha destaque, partindo-se da premissa de que este possui formação voltada à identificação holística das necessidades de saúde de indivíduos e comunidades (5) .
Mostrar más

16 Lee mas

Autoavaliação das competências de informação  em estudantes universitários

Autoavaliação das competências de informação em estudantes universitários

Após uma resposta positiva da Reitoria das Universidades à realiza - ção do estudo, os estudantes foram informados dos objetivos da pesquisa através da mensagem “Este questionário pretende conhecer a opinião sobre as suas competências na gestão e uso da informação”, sendo assegurada a sua participação voluntária. A recolha dos proto - colos realizou-se na sala de informática das instituições: ISPA, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Faculdade de Letras e de Psicologia da Universidade do Porto durante os anos letivos 2011-2012 e 2012-2013. O protocolo de instru - ções foi aplicado pelo mesmo investigador em cada uma das universi - dades para eliminar a possibilidade de enviesamentos, procurando respeitar o princípio de anonimato.
Mostrar más

30 Lee mas

O desenvolvimento de competências sociais em contexto pré-escolar

O desenvolvimento de competências sociais em contexto pré-escolar

O segundo objetivo consistia em identificar as estratégias mais adequadas para promover as competências sociais em contexto escolar, partindo de alguns programas já validados. Inicialmente tinha sido projetado o uso do programa “Pré: Programa de competências” como base de referência deste estudo. No entanto, não foi possível termos acesso ao mesmo, visto que este material apenas é disponibilizado no âmbito de projeto, com duração de dois anos. Assim, optámos por analisar as atividades sugeridas num programa adaptado do PEHIS, que demonstra algumas atividades essenciais a realizar com as crianças, nomeadamente, os diálogos explicativos, os diversos momentos em que o educador faz de modelo, as dramatizações e o feedback do educador. Outro fator que influenciou a escolha das atividades foi a idade das crianças: 3 anos. De todos os programas encontrados, apenas o Pré: Programa de Competências se referia a crianças a partir dos 4 anos, todos os outros programas são para crianças a partir dos 5 ou 6 anos de idade, daí a necessidade de adaptarmos as atividades.
Mostrar más

197 Lee mas

Programa de Aquisição de Alimentos no município de Mirante do Paranapanema/SP

Programa de Aquisição de Alimentos no município de Mirante do Paranapanema/SP

Para realização deste estudo foram sistematizados e analisados da- dos referentes ao Programa de Aquisição de Alimentos no período de 2011 a 2014 no município de Mirante do Paranapanema-SP, disponíveis na pla- taforma PAA DATA 5 . Quanto aos meses de Outubro a dezembro de 2014, foram utilizados dados da Transparência Pública do PAA 6 , uma vez que ainda não estão disponíveis na plataforma PAA DATA. Tal a plataforma foi escolhida, pois permite a consulta de dados por estados e municípios, com informações a respeito dos agricultores fornecedores, os tipos e volumes de produtos comercializados, dos recursos empregados, bem como das en- tidades beneficiadas. Por outro lado, através da Plataforma Transparência é possível contabilizar o número de projetos, os valores, os agricultores e suas organizações, bem como entidades beneficiadas.
Mostrar más

24 Lee mas

Contação/leitura de história e aquisição de vocabulário em segunda língua

Contação/leitura de história e aquisição de vocabulário em segunda língua

Como palavras do livro seriam usadas também em nossa história, relembramos algumas através de uma rápida leitura compartilhada do livro. Assim como nos outros dias alteramos o tom de voz, com o objetivo de dar destaque e emoções à leitura, mas não fizemos tão detalhadamente como anteriormente, pois tínhamos como objetivo escrever e criar em apenas uma tarde, uma história totalmente nova. Sem que eu perguntasse o significado das palavras destacadas nos encontros anteriores, ela interrompia a leitura e falava seu significado, fazendo às vezes devidas substituições por sinônimos, dando sinais de que a aquisição havia sido significativa. Outras palavras também foram destacadas nesse encontro, a fim de aumentar as possibilidades de uso em nosso livro. As palavras destacadas foram, disappear (desaparecer), suddenly (de repente), delighted (com prazer, prazeroso) e follow (seguir). Dentre estas, apenas a primeira soube ser explicada pelo sujeito observado, as demais foram explicadas por mim através de exemplos cotidianos. Como por exemplo, em follow, pedi que ela se levantasse e começasse a andar, mesmo com olhar desconfiado. Assim o fez. Então me levantei e comecei a fazer a traçar o mesmo caminho feito por ela. Percebendo minha intenção, disse alegremente, mas com as mãos na cintura em tom irônico: “Ai Miss Carol, você tá me seguindo hein? Já entendi o que é follow!”
Mostrar más

99 Lee mas

Show all 6129 documents...