Top PDF Diagnóstico e avaliação da segurança de estruturas de madeira existentes

Diagnóstico e avaliação da segurança de estruturas de madeira existentes

Diagnóstico e avaliação da segurança de estruturas de madeira existentes

As fendas, como se pode verificar na Figura 39, são anomalias que surgem mais frequentemente nos elementos de grande secção transversal na medida em que, durante o processo de secagem, as retrações são maiores na direção tangencial do que na radial, sendo as longitudinais praticamente desprezáveis (Zoreta; 1986). As fendas podem conduzir à redução do momento de inércia e ter graves repercussões estruturais, principalmente se estiverem localizados em elementos sujeitos a compressão axial ou em zonas de ligação. Apesar de tudo, as consequências resultantes desta fendilhação são de difícil quantificação, considerando (Botelho; 2006) que desde que estas se encontrem dentro de determinados limites dimensionais estabelecidos nas normas de classificação visual, podem ter pouca influência na resistência da peça. +Por outro lado, Zoreta (1986) considera as fendas como possivelmente um dos piores danos da madeira, já que uma secagem mal efetuada pode gerar tensões internas na madeira que podem libertar-se bruscamente quando se altera o seu estado de equilíbrio, verificando-se também que um aumento da área exposta devido à presença de fendas de secagem leva a um aumento da suscetibilidade da madeira na ocorrência de fogo.
Show more

205 Read more

Estudos de caso sobre avaliação de estruturas de concreto através da utilização de ensaios não destrutivos

Estudos de caso sobre avaliação de estruturas de concreto através da utilização de ensaios não destrutivos

O concreto é parte fundamental dos mais variados projetos de engenharia e, sem duvida, é o elemento estrutural mais utilizado no mundo. Esse fato conduz à necessidade de ferramentas de controle e análise de seu estado de conservação. Muitas das construções em concreto armado que formam a infra-estrutura civil que dão suporte às mais diversas atividades das sociedades modernas estão se aproximando do final de sua vida útil de projeto. Diante desse contexto, existe uma preocupação crescente com a avaliação do estado de deterioração e segurança das mesmas. O monitoramento constante das estruturas é um procedimento necessário, uma vez que a detecção preventiva dos problemas permite a utilização de métodos mais simples e econômicos para avaliação e reparo. Para tais fins, os métodos de ensaios não destrutivos (END) tornam-se uma estratégia de investigação bastante atraente e viável. Entre eles destacam-se: o ensaio de velocidade de pulso ultra-sônico, o radar e a esclerometria. Devido à sua facilidade de aplicação e boa capacidade de diagnóstico, esses métodos se tornam alternativas valiosas para investigação do estado de conservação das estruturas de concreto. Diversos exemplos de aplicação evidenciam como a aplicação de END pode contribuir com sucesso no controle da deterioração e na verificação da qualidade de estruturas de concreto. O presente artigo revisa alguns casos reais nos quais atuou o Grupo de Pesquisa LEME-UFRGS , mostrando como foram empregadas técnicas de END.
Show more

13 Read more

Diagnóstico de estruturas de madeira em serviço num palacete do século XIX

Diagnóstico de estruturas de madeira em serviço num palacete do século XIX

Actualmente, muitos destes edifícios que apresentavam uma vida útil elevada, dada a excelente qualidade, encontram-se com problemas estruturais que podem comprometer a segurança dos habitantes e cidadãos que circulem junto do mesmo. Este facto deve-se essencialmente a duas razões: falta de inspecção e manutenção da estrutura de madeira e alterações na estrutura do edifício (Appleton, 2011). A madeira é um material natural e consequentemente é muito susceptível a degradação, o que na ausência de inspecção e acções correctivas pode provocar danos muito graves para a estrutura. As alterações realizadas nos edifícios têm por objectivo satisfazer as necessidades dos habitantes mas induzem esforços não previstos inicialmente, aumentam a vulnerabilidade estrutural e diminuem a capacidade de dissipação de ondas sísmicas (Ramos & Lourenço, 2000). As principais alterações verificadas são: acrescento de pisos, corte de pilares ou paredes resistentes de alvenaria, interrupção das paredes de gaiola, entre outros.
Show more

280 Read more

Avaliação-diagnóstico a cantinas escolares

Avaliação-diagnóstico a cantinas escolares

Segundo o Codex Alimentarius a Segurança Alimentar é a garantia de que os géneros alimentícios, não provocarão danos ao consumidor desde que sejam, preparados e ingeridos de acordo com a sua utilização prevista, estando intrinsecamente ligada à higiene dos géneros alimentícios (Codex Alimentarius, 2003). Assim, a higiene dos géneros alimentícios, segundo o Regulamento (CE) nº 852/2004, é o conjunto de medidas e condições necessárias para controlar os perigos e assegurar que os mesmos são próprios para consumo humano. O crescimento da população mundial, desenvolvimento de novas tecnologias que alteram como os géneros alimentícios são produzidos, processados e distribuídos, alterações dos hábitos alimentares (refeições semi-preparadas, fast-food e mais refeições fora de casa), alterações climáticas, aparecimento de novos microrganismos associados à globalização do comércio internacional, alterações do estilo de vidas das sociedades tornou a cadeia alimentar complexa e levou ao surgimento de novos perigos e/ou agravamento de alguns já existentes (Quali, 2015d; Silva & Martins, 2015).
Show more

116 Read more

Avaliação da dinâmica do mercúrio (Hg) na Bacia do Rio Madeira nos ambientes lêntico e lótico

Avaliação da dinâmica do mercúrio (Hg) na Bacia do Rio Madeira nos ambientes lêntico e lótico

A diferença nas concentrações de Hg total e MeHg nos períodos hidrológicos nas matrizes sedimento e sólidos em suspensão (tabelas 4 a 13, coluna 4; figura 12) se deve as características do Rio Madeira quanto a sua composição são diversas entre os períodos de cheia e seca, provavelmente induzido pelo Rio Beni seu principal formador (BERNARDI et al, 2009). O rio Madeira é a composição dos rios: Beni (período da cheia) e Mamoré (período da seca), pois se comporta similarmente a cada um deles em determinada época do ano. O rio Beni é caracterizado por águas barrenta, por conta da grande carga de sedimentos provenientes da cadeia dos Andes, e seu regime de fluxo turbulento é resultado das descargas líquidas advindas de suas cabeceiras no período chuvoso. O rio Mamoré tem como característica águas esverdeadas ou claras, com baixa carga de Ferro (Fe), matéria orgânica e sedimento (DANTAS & ADAMY, 2004). O pH aumenta devido ao aumento na quantidade de matéria orgânica (ácidos húmicos e fúlvicos) e a condutividade aumenta devido ao aumento de sólidos em suspensão (LYONS & BIRD, 1995; GOMES, 2005; BELEM, 2013). O aumento da concentração de sólidos em suspensão está relacionado aos regimes pluviométricos (GALVÃO et al, 2009). Assim demonstrando a influência dos períodos hidrológicos nas variações geoquímicas do rio Madeira.
Show more

79 Read more

A água na Ilha da Madeira

A água na Ilha da Madeira

Dando continuidade à reforma estrutural do modelo de gestão do setor público do abastecimento de água em alta, o Governo Regional da Madeira, transformou, no final de 1999, o anterior instituto em sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos. Assim, a IGA (Investimentos e Gestão da Água Sociedade Anónima), sucede ao anterior Instituto de Gestão da Água mantendo os seus deveres e obrigações, mas com competências acrescidas pela responsabilidade da exploração em «alta» e em «baixa» das águas da ilha do Porto Santo, bem como da respetiva rede principal de drenagem e de tratamento de águas residuais urbanas. Atualmente, a IGA faz parte integrante de um grupo empresarial ao qual foi atribuída a gestão das águas e dos resíduos sólidos urbanos na Região Autónoma da Madeira, em todas as suas vertentes.
Show more

12 Read more

O futuro da segurança e defesa europeia

O futuro da segurança e defesa europeia

A externalização da segurança interna, a que aludimos, poderá também deixar an- tever o desenvolvimento de um potencial nicho de mercado para a indústria de defesa europeia, através da capacidade de adaptação da indústria de defesa militar a segmentos de indústria no apoio à segurança interna, nomeadamente na prote- ção de infraestruturas críticas como os aeroportos, sistemas informáticos, banca, controlo da circulação de bens e pessoas nas fronteiras e do desenvolvimento de sistemas de vigilância aérea através do emprego de veículos não tripulados. Do mesmo modo a singular interceção entre a dimensão civil e militar da segurança e defesa, que no quadro europeu não só tem uma tradição, como tem vindo gra- dualmente a desenvolver as sinergias necessárias e a incentivar o desenvolvimento de capacidades de duplo uso (European Commission (2013: §4). O interface entre a componente civil e militar da defesa é particularmente útil na prevenção de crises e conflitos e em situações de pós conflito no quadro das missões e operações PCSD. Esta relação incentivará os Estados-membros da União a desenvolver o capital hu- mano e material capaz de responder de uma forma multifuncional, rápida e eficaz aos desafios atuais, num espectro alargado de missões como por exemplo: missões de estabilização, monitorização de processos eleitorais, apoio a outras organizações internacionais nomeadamente com forças combatentes, em missões de reforma do setor de segurança, desmobilização, desarmamento e reintegração de ex-comba- tentes, controlo de fronteiras, combate ao terrorismo, reconstrução de estruturas policiais e judiciais, bem como recuperação e desenvolvimento de estruturas de governação e administração local. Estas sinergias proporcionam oportunidades e imperativos de coordenação, incentivando o desenvolvimento de nichos de valên- cias civis e militares, a partilha de recursos, capacidades e uma redução de custos no contexto da participação em missões internacionais.
Show more

18 Read more

Avanços da segurança de alimentos no Brasil

Avanços da segurança de alimentos no Brasil

Nos últimos anos, um expressivo avanço na regulação e utilização de sistemas de gestão da segurança de alimentos (SGSA) tem ocorrido no Brasil. Ainda que seja difícil afirmar que o número de Doenças transmissíveis por Alimentos (DtA) tenha diminuído, sistemas como as Boas Práticas de Fabricação ou Boas Práticas (BPF/BP), Procedimentos operacionais Padronizados (PoP) e Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) estão cada vez mais presentes nos serviços de alimentação e indústrias de alimentos brasileiras. Além disso, ultimamente o Brasil vem utilizando os conceitos de Análise de riscos (Ar) na elaboração de suas legislações e no estudo de problemas relacionados à segurança de alimentos. Como resultado desses avanços, as vigilâncias estão cada vez mais preparadas e atuantes, as legislações têm contemplado as especificidades brasileiras e, ao mesmo tempo, estão alinhadas com algumas das mais modernas do mundo e os órgãos que fomentam as implementações dos SgSA têm trabalhado incessantemente. o presente estudo tem o objetivo de abordar alguns dos recentes avanços da segurança de alimentos no Brasil, enfocando principalmente legislações sobre os SgSA e dados de implementação desses sistemas.
Show more

9 Read more

A UTILIZAÇÃO DA MADEIRA NO CONDICIONAMENTO ACÚSTICO

A UTILIZAÇÃO DA MADEIRA NO CONDICIONAMENTO ACÚSTICO

Como os efeitos das reflexões difusas são fundamentais na acústica de salas, a ausência de dados sobre as propriedades difusoras das superfícies de diferentes materiais (ao contrario da caracterização da absorção sonora) tem sido um problema [10] para a simulação computacional da acústica de salas. Nos últimos anos foram desenvolvidas metodologias para avaliar a uniformidade da dispersão (coeficiente de difusão, d: mede a semelhança entre a resposta polar de uma superfície com uma distribuição uniforme) [11] e a quantidade de energia dispersada (coeficiente de dispersão, s: mede a relação entre a energia reflectida não- especular com a energia total reflectida) [12]. Enquanto que o primeiro parâmetro é fundamental no desenvolvimento e optimização de superfícies difusoras (e para comparar os méritos de diferentes difusores), o segundo parâmetro tem uma grande importância para os modelos geométricos de acústica de salas [13], sendo, a par do coeficiente de absorção, α, um dos parâmetros de entrada fundamentais. Seria útil, mas ambos os coeficientes não têm uma relação simples e directa entre eles, embora tenha sido proposto um método para se obter s a partir das respostas polares [14].
Show more

7 Read more

Avaliação diagnóstica das delegacias de polícia civil da Secretaria de Estado da Segurança Pública em São Luís-MA

Avaliação diagnóstica das delegacias de polícia civil da Secretaria de Estado da Segurança Pública em São Luís-MA

Valdilea Ferreira Lopes 20 tempo em que um edifício e/ou seus sistemas se prestam às atividades para as quais foram projetados e construídos, considerando a periodicidade e correta execução dos processos de manutenção especificados no respectivo Manual de Uso, Operação e Manutenção (a vida útil não pode ser confundida com prazo de garantia legal e certificada) e a segunda, VUP, compreende o período estimado de tempo para o qual um sistema é projetado a fim de atender aos requisitos de desempenho estabelecidos nesta norma, considerando o atendimento aos requisitos das normas aplicáveis, o estágio do conhecimento no momento do projeto e supondo o cumprimento da periodicidade e correta execução dos processos de manutenção especificados no respectivo Manual de Uso, Operação e Manutenção (a VUP não deve ser confundida com tempo de vida útil, durabilidade, prazo de garantia legal e certificada) (ABNT NBR 15575, 2013).
Show more

123 Read more

Avaliação dos desvios no posicionamento da IMRT prostática com marcadores fiduciais versus estruturas anatómicas

Avaliação dos desvios no posicionamento da IMRT prostática com marcadores fiduciais versus estruturas anatómicas

Os dados usados para a análise são os mesmos referidos anteriormente, mas o desvio obtido foi transformado, ou seja, para cada doente em cada uma das 28 sessões, foi obtido um desvio (hipotenusa) entre as coordenadas X e Y na posição antero-posterior e entre Y e Z na posição lateral, para os dois métodos, e obtido um desvio, mas sem o sinal negativo ou positivo. Isto porque, o sinal negativo ou positivo só indica a direcção do desvio, independentemente da direcção obtida com o desvio, o objectivo é quantificar esse mesmo desvio em relação a sua origem. Considerando assim, a origem (0,0) como sendo o nosso volume-alvo (próstata). Após a obtenção dos desvios para cada sessão, para cada doente, calculou-se a média desses mesmos desvios, para cada doente. Como podemos observar na tabela abaixo (tabela 5.2).
Show more

89 Read more

Avaliação da higiene, saúde e segurança do trabalho em galpões para criação de frangos de corte

Avaliação da higiene, saúde e segurança do trabalho em galpões para criação de frangos de corte

A avicultura representa grande importância para a economia brasileira e está diante de um mercado altamente competitivo e exigente tanto no que diz respeito ao mercado interno e externo. Diante disso, vários aspectos da produção de frango dde corte precisam ser melhorados, merecendo destaque as condições em que os trabalhadores envolvidos nessa atividade estão submetidos. Desta forma, objetivou-se com este trabalho avaliar as condições ergonômicas e de higiene, saúde e segurança do trabalho associados aos trabalhadores atuantes na criação de frango de corte, na fase de pinteiro e na fase de crescimento das aves, visando propor melhorias das condições de trabalho, a partir da adequação às leis propostas pelas Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego. Para a realização deste trabalho avaliou-se a exposição ao calor, por meio do Índice de Temperatura de Globo (IBUTG), nível de ruído, iluminação e os riscos ergonômicos a que estão expostos os trabalhadores. A pesquisa adotou um estudo documental, bibliográfico, descritivo de caráter exploratório e experimental. Os resultados encontrados mostraram que na fase de pinteiro, os trabalhadores estão expostos ao estresse térmico e níveis de ruído estão acima do recomendado e que problemas ergonômicos relacionadas a posturas inadequadas estão presentes tanto na fase de pinteiro quanto de crescimento das aves.
Show more

13 Read more

Avaliação das atividades da farmácia hospitalar para segurança do paciente em um hospital universitário

Avaliação das atividades da farmácia hospitalar para segurança do paciente em um hospital universitário

Enquanto no estudo de Penaforte (2006) a maioria dos farmacêuticos não possuía pós-graduação, foi possível constatar que a equipe de profissionais do serviço de farmácia do HU/UFSC possui excelente qualificação sendo maioria pós-graduada. Já com relação à participação nas capacitações observou-se um declínio acentuado na participação em 2016. Além da desmotivação devido a limitada carreira, relatada pelo entrevistado, fatores que podem ter contribuído para a redução da participação é ausência de cursos com temáticas diretamente relacionadas ao serviço de farmácia, visto que, é a chefia do serviço quem faz anualmente o levantamento das necessidades da equipe e a possibilidade de capacitar-se fora da instituição ou por meio de cursos on-line, porém não foi objetivo deste estudo aprofundar os motivos que levaram a esta redução. Também foi observado que dentre os funcionários que se capacitaram, alguns fizeram mais de um curso no mesmo ano. Por outro lado, há hospitais em que o serviço de capacitação interna (educação continuada) ocorre de forma bem sucedida, dispondo inclusive de um farmacêutico com dedicação exclusiva para esta função (PENAFORTE, 2006). Aliás, manter-se atualizado com relação às questões relativas aos medicamentos deve ser uma condição a ser constantemente buscada pelo profissional, como uma das etapas para a construção de uma terapêutica eficaz e segura e, no regimento interno do HU/UFSC recomenda-se que, por se tratar de um hospital universitário, os recursos humanos devem buscar capacitação progressiva (PENAFORTE, 2006; UFSC, 1992).
Show more

217 Read more

Avaliação econômica da produção de madeira de paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke) sob diferentes espaçamentos de plantio

Avaliação econômica da produção de madeira de paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke) sob diferentes espaçamentos de plantio

As exigências atuais de mercado, aliadas às alternativas de investimento expressam a necessidade de avaliação econômica de projetos florestais. Essa avaliação contribui com a escolha da melhor estratégia de produção a fim de tornar os produtos florestais brasileiros competitivos no mercado externo. Por isso, objetivou- se neste trabalho analisar a viabilidade econômica de povoamentos de paricá, sob diferentes espaçamentos, além de determinar economicamente a melhor forma de plantio para produção de madeira. Estes povoamentos foram implantados na região de Paragominas, PA, em 2006 sob os espaçamentos 3x2, 3x3, 3x4, 4x4 e 5x5 m, divididos em três classes de produtividade. A produção foi então estimada para as idades de 5, 6 e 7 anos, por meio de equações de crescimento e produção. Os custos do plantio à colheita foram disponibilizados por produtores rurais e empresários da região, assim como o valor de venda de lâminas. A partir da obtenção dos custos e receitas, fez-se a análise econômica dos projetos. Para tanto foram utilizados os índices econômicos e o critério do benefício periódico equivalente (BPE), como formas de avaliação, considerando-se a taxa de desconto de 6%, como a taxa mínima de atratividade. Após a análise dos índices e critério de avaliação econômica, pode-se concluir que o espaçamento 3x3 m, em classe de produtividade alta, com corte aos 5 anos, foi o mais indicado, pois gera o maior retorno financeiro. Para os maiores espaçamentos, estudos ainda devem ser desenvolvidos, mas acredita-se que eles sejam alternativas financeiras viáveis.
Show more

82 Read more

TítuloTectónica da Ponta de São Lourenço, Ilha da Madeira

TítuloTectónica da Ponta de São Lourenço, Ilha da Madeira

vereda que liga a Porta d’Abra à Casa do Sardinha, no colo que se situa em frente ao Ilhéu do Guincho, existe um plano subsidiário de atitude N55ºW; 90º. Este plano morre de encontro a um dos planos que constituem a Falha da Pedra Furada, e neste local é possível observar caneluras oblíquas, com ligeira componente de desligamento esquerdo. Como já foi mencionado este local é uma zona de cruzamento de falhas, encontrando-se intensamente fracturado; identificam-se dezenas de planos menores com orientação muito variada, e pequena movimentação. Falha do Estreito (F2) (N50ºW; 70ºN) – a Falha do Estreito é a estrutura de maior importân- cia neste sector. Esta falha, que exibe uma caixa de falha importante, preenchida por brecha de falha, também não exibe estrias ou caneluras. Apresenta, contudo, separação normal aparente de cerca de 100m com abatimento do bloco norte. É possível quantificar esta separação, ainda que de um modo grosseiro, utilizando uma escoada lávica de grande espessura, identificada em ambos os bordos do aci- dente (identificada com a letra M no corte da (fig.3). Quanto à existência de movimentação horizontal é difícil concluir; contudo, utilizando a inclinação dos materiais vulcânicos, é possível estimar que, a exis- tir, poderá atingir um máximo de 5 dezenas de metros em desligamento esquerdo. Com efeito, nesta zona e na zona da Falha da Pedra Furada, exis- tem alguns planos secundários, mais discretos, que aparentam este tipo de movimentação, além de que uma mesma falha apresenta movimentações verti- cais aparentes opostas consoante o nível de referên- cia considerado; isto sugere uma componente de desligamento mesmo que ligeira. A falha F3, quase paralela a esta, mas com separação inferior (cerca de 6m), apresenta igualmente um abatimento do bloco norte, sendo muito difícil perceber a componente de desligamento possível, devido à ausência de níveis de referência seguros.
Show more

12 Read more

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS DA MADEIRA DE Corymbia citriodora E Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis CULTIVADAS NO PIAUÍ

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS DA MADEIRA DE Corymbia citriodora E Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis CULTIVADAS NO PIAUÍ

Observa-se que, para densidade básica, houve diferença estatística significativa entre as médias das espécies avaliadas, sendo que a espécie Eucalyptus urograndis apresentou densidade básica 19,30% inferior à da espécie Corymbia citriodora (Tabela 1). De acordo com o proposto pelo Instituto de Pesquisa Tecnológica -IPT (1985), madeiras com densidade básica inferiores à 0,50 g/cm³ são classificadas como de baixa densidade, madeiras com densidade básica no intervalo entre 0,50 e 0,72 g/cm³, são classificadas como de média densidade e madeira com densidade básica acima de 0,72 g/cm³, são classificadas com de alta densidade, sendo assim, a madeira de Corymbia citriodora apresenta média densidade básica, enquanto a espécie Eucalyptus urograndis apresenta madeira de baixa densidade básica.
Show more

5 Read more

CLIMATOLOGIA APLICADA AO USO DA MADEIRA

CLIMATOLOGIA APLICADA AO USO DA MADEIRA

O Potencial de Ataque Fúngico (PAF) é definido como um indicativo do risco de apodrecimento a que a madeira está sujeita, quando exposta a condições climáticas adversas. As marcantes diferenças climáticas verificadas no território brasileiro demandam medidas de proteção também diferenciadas. Dessa maneira, a indicação de zonas de alto PAF (apodrecimento), baseada em parâmetros climáticos, é extremamente importante na determinação de medidas de proteção adequadas por meio de tratamento que consiste na extração da umidade da madeira por processos térmicos, com aplicação de resinas especiais de selamento do sistema poroso da madeira para uso nas diversas regiões do Brasil.
Show more

5 Read more

As bibliotecas religiosas da ilha da Madeira no século XVIII

As bibliotecas religiosas da ilha da Madeira no século XVIII

91 ao suplicante antes de lhe deferir sobre o que manda Sua Majestade 73 , e que o Cónego meio prebendado João Venâncio de Vasconcelos tinha um acordo com o ecónomo proposto para dividirem a conezia que correspondia ao Cónego ausente. Na verdade, e seguindo o Regimento da Sé no capítulo dois do Deão que o mesmo Deão ou presidente do Cabido manda sair para fora os Padres suspeitos para que sem escândalo se tratem os negócios e que quando o Deão tocarem ele mesmo sairá ficando continuado no oficio o mais antigo. O que tudo mais severamente se ordena no dito das visitações da mesma Sé no capitulo sete do Deão não só ao mesmo Deão mas também a qualquer dos capitulares perante dele, ou notoriamente empenhados. 74 Ainda sobre este caso é enviado ao Rei através do Tribunal da Mesa da Consciência e Ordens, sobre a queixa que fez o Cónego Pedro Nicolau Acciauoly. O Governador coloca a questão, porque este Cónego apresenta a sua queixa em nome individual e não do Cabido? Na sua resposta afirma o Governador João António de Sá Pereira, pretende o dito Cónego suplicante persuadir na sua presença de Vossa Majestade que o dito Bispo servindo-se ao mesmo tempo de muitos capitulares da mesma Sé os jubila vencendo eles na mesma os frutos das suas respectivas prebendas, sem que assistamos choro com grave detrimento do culto divino e o apreciado dos demais capitulares a quem passariam. As obrigações pessoais daqueles jubilados e assim ordena o Bispo não obstante de como prelados das conquistas não pode jubilar capitular algum por ser meramente um delegado de Sua Majestade como Grão Mestres da Ordem de Cristo. 75 Nesta mesma informação o Governador considera que existe um jogo de palavras contra o Bispo, e que o Cónego Pedro Acciauoly não consegue provar as suas acusações. Termina esta informação dizendo os motivos porque o suplicante ao recorrer em seu nome e não em nome do Cabido é ignorado só ele propriamente podia declarar aquele que o mesmo suplicante aponta parece assustado porquanto a alegada dependência o obsequio e temor de desagrado talvez será assim pudesse obstar ao mais Cabido a jurar facto na inquirição n.º1 e certidão n.º 2 sendo aliais um eclesiástico constituído com dignidade e como tais maiores que toda a excepção. 76 Conclui que o único motivo que moveu o suplicante a apresentar esta queixa é a desafeição que lhe terão acusado algumas correcções a que o Prelado tem procedido contra o mesmo suplicante. 77
Show more

622 Read more

Oceanografia sísmica da planície abissal do arquipélago da Madeira

Oceanografia sísmica da planície abissal do arquipélago da Madeira

A oceanografia sísmica representa uma ferramenta de estudo importante na melhora dos modelos de processos dinâmicos dos oceanos. Através da sísmica de reflexão multicanal, várias estruturas oceanográficas de meso-escala podem ser captadas e visualizadas. Isto ocorre, pois, o refletor representa uma interface entre camadas com diferentes valores de impedância acústica, que no caso do oceano está relacionado principalmente ao gradiente de temperatura (dz/dt). Devido à importância econômica e busca pelo direito de uso de áreas marinhas do arquipélago da Madeira, pesquisas desenvolvidas pelo EMEPC (Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental) coletaram (junho de 2006) dados sísmicos na região e parte deles (uma das nove linhas sísmicas levantadas) foi processado no presente trabalho. Com o objetivo de verificar a qualidade desses dados sísmicos para o estudo da coluna d’água, uma série de etapas de processamento foi realizada, com atenção especial na atenuação da onda direta, uma vez que a mesma ofusca os refletores na proximidade da superfície do oceano. Para tal, o uso da técnica “Horizontal Median Filter with Subtraction” foi aplicada e melhorou a qualidade dos refletores nas camadas superficiais do oceano. A presença de refletores no perfil processado abriu portas para identificação das estruturas oceanográficas presentes nas imagens sísmicas e busca por dados que corroborassem a interpretação dos refletores encontrados. Uma estrutura encontrada corresponde a um vórtice, notório na região estudada e indicador da presença da massa de Água do Mediterrânico. A detecção de um vórtice é possível devido à grande resolução horizontal que a sísmica de reflexão multicanal realiza em seus levantamentos (e.g. 6.25 m) e pelo contraste de impedância acústica nas bordas dessa estrutura oceanográfica. A dinâmica do oceano na região de estudo é influenciada pela Corrente dos Açores e Contra-Corrente dos Açores, essas, responsáveis por conduzir diferentes águas (e.g. Agua Intermediária Sub-Artica) através de seus meandros. Tais estruturas podem ser captadas como refletores na linha sísmica processada neste trabalho. São avaliados também os parâmetros de aquisição e passos de processamento mais adequados a oceanografia sísmica. Por fim, nota-se que os dados do levantamento sísmico realizado pelo EMEPC trazem bons resultados e atesta a oceanografia sísmica como ferramenta promissora no estudo da dinâmica marinha e seus processos oceanográficos.
Show more

86 Read more

Ensaio clínico para a avaliação da segurança e eficácia da terapia fotodinâmica mediada por nanoemulsão de al-cl-ftalocianina no tratamento do carcinoma  basocelular de pele

Ensaio clínico para a avaliação da segurança e eficácia da terapia fotodinâmica mediada por nanoemulsão de al-cl-ftalocianina no tratamento do carcinoma basocelular de pele

A terapia fotodinâmica (TFD) é uma modalidade terapêutica que envolve a combinação de três componentes não tóxicos: substância fotossensibilizante (FS), luz em comprimento de onda específico e oxigênio molecular. Quando esses elementos interagem, ocorre a produção em cadeia de espécies reativas de oxigênio (ROS) [56;57;58;59]. Os fotossensibilizadores per se têm propriedades não tóxicas, mas constituem a pedra angular da eficácia da TFD, pois representam o substrato molecular que promoverá a transição da energia fotoelétrica para a energia química, o que é um passo essencial para a geração de ERO [56;58]. Entre os principais oxidantes orgânicos estão os chamados radicalares: hidroxila (HO•), superóxido (O2•-), peroxila (ROO•) e alcoxila (RO•); e os não radicalares, que incluem o próprio oxigênio; o peróxido de hidrogênio e o ácido hipocloroso. O quadro completa-se com as espécies reativas de nitrogênio (ERN), igualmente citotóxicas, em que estão incluídos o óxido nítrico (ON•); o óxido nitroso (N 2 O 3 ); o ácido nitroso (HNO 2 ); os nitritos (NO 2 -); nitratos (NO 3 -) e o peroxinitritos (ONOO-), cujo o processo de formação está correlacionado àqueles que originam as ERO [60].
Show more

110 Read more

Show all 10000 documents...