PDF superior A importância do trabalho com recursos auxiliares no processo de ensino e aprendizagem de geografia

A importância do trabalho com recursos auxiliares no processo de ensino e aprendizagem de geografia

A importância do trabalho com recursos auxiliares no processo de ensino e aprendizagem de geografia

5 O presente trabalho visa, em primeiro lugar, destacar a importância do uso dos recursos auxiliares no ensino de Geografia no processo de ensino e aprendizagem escolar, percorrendo todo um embasamento teórico e histórico da sua trajetória como disciplina, será abordada a evolução da mesma desde a Antiguidade até os dias atuais. Serão enfatizados os papéis principais da Geografia no processo de construção do homem na sociedade. Na seqüência o estudo se prenderá à análise das Representações Sociais como fator essencial para uma análise completa da Geografia enquanto ciência. Assim, será enfatizada a relação entre o uso desses recursos, sejam eles visuais tecnológicos e/ou didáticos, para a abordagem da construção dos saberes geográficos. Por fim, serão apresentados e discutidos os meios de utilização desses no ambiente escolar. Com toda a evolução da Era Tecnológica, surge também uma gama de recursos atraentes ao ensino, fazendo com que, desse modo, tornem-se menos exaustivas e teóricas e o ambiente escolar seja transformado em um lugar de estudos agradável e prazeroso aos alunos. Assim, esses recursos devem ganhar espaço e aliar-se aos métodos de ensino o quanto antes.
Mostrar más

40 Lee mas

A VINCULAÇÃO DA TEORIA COM A PRÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA GEOGRAFIA

A VINCULAÇÃO DA TEORIA COM A PRÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA GEOGRAFIA

Skinner (1972), considera que o processo de ensino aprendizagem visto em separado conduz a uma posição tradicionalista, que não satisfaz as expectativas recentes. Ensinar e aprender são compatíveis com uma prática educacional adequada. Nesse sentido, é melhor considerar a interacção existente entre os dois termos, pelo menos utilizar “ensinar”, uma vez que é possível “aprender” mesmo sem professor. Assim, pode-se colocar algumas perguntas importantes como: “o que é aprender?”; “o que é ensinar?”; “como ensinar?”; “o que ensinar?”. Estas questões são pertinentes no processo de ensino aprendizagem de qualquer área científica e, como tal, também se aplicam ao ensino da Geografia.
Mostrar más

10 Lee mas

As perguntas das fichas de trabalho de História e Geografia : um estudo com turmas do 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário

As perguntas das fichas de trabalho de História e Geografia : um estudo com turmas do 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário

Nesta perspetiva, torna-se clara a importância de ensinar o aluno a aprender, e do ajudar a compreender que, ao aprender, deve ter em conta não apenas o conteúdo objeto de aprendizagem mas também a forma como se organiza e atua para aprender. Por outro lado o ensino passa a ser entendido como um conjunto de ajudas ao aluno no processo pessoal de construção do conhecimento e na elaboração do conhecimento pessoal. É, pois, importante problematizar a importância e a finalidade do ensino da História e Geografia, consideradas áreas distintas, difíceis de definir. Num futuro próximo, será muito importante que educadores e professores se consciencializem de forma a confrontarem as suas epistemologias e processos de ensino-aprendizagem adaptando-as às sociedades atuais.
Mostrar más

77 Lee mas

A importância dos recursos didáticos para o ensino da geografia no ensino fundamental nas séries finais

A importância dos recursos didáticos para o ensino da geografia no ensino fundamental nas séries finais

Ao analisar as respostas dos professores sobre a importância do ensino de Geografia para a formação dos alunos, o professor A e B descrevem que o aluno aprende seu papel na sociedade e também ajuda na sua formação social, já para o professor C é o conhecimento do espaço mundial. Dentro dos Parâmetros Nacionais de Geografia, adquirir conhecimentos básicos de geografia é importante para a vida em sociedade, o ensino de Geografia proporciona o desempenho das funções da cidadania e o conhecimento e compreensão do espaço ao qual se está inserido. Mas para chegar ao objetivo são necessárias propostas pedagógicas desenvolvidas pelo educador e o ensino deve estar voltado ao sucesso do aluno e, o educando como centro do processo de ensino-aprendizagem.
Mostrar más

45 Lee mas

O uso do blog como locus de aprendizagem no Ensino de Geografia

O uso do blog como locus de aprendizagem no Ensino de Geografia

Em seguida, executamos o processo da prática fazendo o uso da ferramenta blog, articulado ao tema das Olimpíadas. O desenvolvimento metodológico caminhou a partir da seguinte estrutura: inicialmente, realizamos uma apresentação para os alunos especificando os objetivos, a metodologia e as etapas da atividade a ser executada. Explicamos aos alunos o processo da atividade, com base no seguinte roteiro: (a) proposta será realizada inicialmente individual; (b) será realizada pesquisa de coleta de dados, envolto aos conteúdos sobre o espaço geográfico, interligando a questões diretas como consequências econômicas e sociais de uma Olimpíada, em especial, dos anos entre 1984, 1988, 2012 e 2016, juntamente com os critérios de escolha da sede olímpica; os custos de uma olimpíada; a adequação estrutural necessária para os jogos; e o legado estrutural e ambiental deixado pelas construções faraônicas. Este projeto surgiu a partir de uma reunião pedagógica onde a área das Ciências Humanas elaboraria um projeto das Olimpíadas, onde os demais anos das Olimpíadas foram distribuídas as demais turmas da escola e com diferentes abordagens de trabalho, envolvendo outras disciplinas.
Mostrar más

74 Lee mas

A Importância da afetividade na construção da relação pedagógica e no processo de ensino-aprendizagem

A Importância da afetividade na construção da relação pedagógica e no processo de ensino-aprendizagem

A maioria dos alunos já está na sala para que se inicie mais um dia de aulas e já se escuta uma música no ar. A professora projeta no quadro interativo a página do Site “O Orelhudo” (projeto do Serviço Educativo da Fundação Casa da Música) que revela alguns pormenores acerca da música instrumental que está a passar e simultaneamente vai escutando as novidades que as crianças têm para partilhar. (...) Terminada a música, a professora lê para a turma as informações que estão na página projetada no quadro. Os alunos ficam deste modo a saber que numa localidade chamada Celorico de Basto, este é um dia tão importante que até se comemora: é O dia de S. Miguel. Justifica-se a escolha musical do Site para este dia explicando que a música que acabaram de ouvir é uma música tradicional, assim como são as festas nas localidades também uma tradição. (...) Aproveitando a curiosidade das crianças relativamente à localização da Vila de Celorico de Basto, a professora sugere que as crianças se dirijam ao mapa de Portugal afixado na parede e tentem encontrar essa localidade. A professora vai dando algumas pistas: É na Região Norte e faz parte de um Distrito que começa com a letra B. Os alunos encontram facilmente a localidade no distrito de Braga e ficam claramente entusiasmados. (...) É muito interessante a forma como a professora consegue, com aparente facilidade, relacionar diversas Áreas Curriculares e de saber e simultaneamente fazê-las ir ao encontro da curiosidade e interesses dos alunos. Note-se que neste momento de acolhimento observado, a professora conseguiu estabelecer ligações entre diversas matérias: A História e a Cultura Popular e tradicional, a Geografia, a Música e os instrumentos, demonstrando desse modo que é possível e que faz todo o sentido uma constante intervenção pedagógica assente num caráter interdisciplinar. Este género se situação revela também a importância do adulto em se mostrar disponível para escutar as crianças, para que se consiga estabelecer uma relação positiva com as mesmas, num clima de confiança e de respeito na sala de aula. Este início de aula foi de facto pertinente pois, a partir da música inicial, a professora conseguiu estabelecer a ligação à fase seguinte da aula que contemplou uma atividade na Área curricular de Estudo do Meio sobre os Distritos de Portugal e as Freguesias. [Excerto com supressões de ROC 50 Momento de acolhimento – músicas do site
Mostrar más

100 Lee mas

A importância dos manuais escolares de História e Geografia no ensino e na aprendizagem : perspetivas de alunos, professores e pais

A importância dos manuais escolares de História e Geografia no ensino e na aprendizagem : perspetivas de alunos, professores e pais

A esta questão responderam dezoito pais (90%), enquanto que dois pais (10%), optaram por não responder. Como podemos constatar pelas respostas dos pais, as opiniões dos mesmos é bastante favorável no que concerne a utilização dos manuais escolares no processo de ensino e aprendizagem, opinião que sustentamos pelo facto destes salientarem que os manuais da disciplina ajudam os seus educandos a estudar (A), são fundamentais para a pesquisa de informação, para realizar os testes de avaliação e dos trabalhos que os professores propõem aos educandos (L). é muito útil para utilização de esquemas, investigação de documentos e para a aprendizagem do aluno (C), é importante visto que ajuda-os a estudar e a tirar as suas dificuldades (M), é um importante instrumento de trabalho (D), e são muito importantes para o desenvolvimento do ensino e sucesso escolar (P). No entanto, é de salientar que são apresentadas algumas desvantagens aos manuais, estes por vezes podem conter informação pouco explícita (C), podem ser considerados um "excesso" no sentido em que se acumulam ao longo dos tempos e que futuramente não passam para futuros alunos devido a novas adaptações a nível de escola e de professores (O) e os manuais deviam estar mais bem construídos (G).
Mostrar más

162 Lee mas

A importância dos mapas de conceitos na aprendizagem da história e da geografia : um projeto com alunos do 3º ciclo do ensino básico

A importância dos mapas de conceitos na aprendizagem da história e da geografia : um projeto com alunos do 3º ciclo do ensino básico

7 desenvolvidos no antes, no durante e no final do processo de aprendizagem de um tema. Por isso, os MCs podem se utilizados como recurso em todas as etapas. É possível construir um apenas para uma aula, para uma unidade ou para uma disciplina. O que diferencia estas utilidades é o grau de generalidade e de inclusão dos conceitos utilizados.Quando um professor ao ensinar espera que o aluno adquira certos significados relativamente a diferentes temas, o MC é eficaz nessa tarefa pois apresenta um sentido particular. Devido a esta característica não existe um correto ou errado, contudo por vezes encontram-se mapas “pobres” e não levam à compreensão do tema que tratam. Portanto, um MC quando apresentado como único e correto para aquele momento não está a promover a aprendizagem significativa mas antes a aprendizagem mecânica .
Mostrar más

87 Lee mas

Práticas, recursos e linguagens no ensino de Geografia

Práticas, recursos e linguagens no ensino de Geografia

De volta à questão principal, temos que os recursos, as linguagens e a concepção pedagógica estão presentes na práxis docente – esteja o professor consciente ou não dessa circunstância 7 . Nesse sentido, ao selecionar um filme (o recurso) – e, obviamente, considerando os objetivos – qualquer professor opta pela utilização de uma linguagem (nesse caso, complexa). Paralelamente, adotará uma certa filosofia – as chamadas “abordagens do processo ensino/aprendizagem” (MIZUKAMI, 1986) – que orienta as suas ações enquanto docente. Assim, o Comportamentalismo (por exemplo) implica numa certa visão de mundo mecanicista segundo a qual as pessoas são permanentemente “reprogramáveis” além de egoisticamente motivadas. Pois bem. Um professor pautado pelo Comportamentalismo, lançando mão de um filme qualquer (o recurso), esperaria que a mera audiência do vídeo, conquanto esse estivesse rigorosamente vinculado aos objetivos de uma determinada aula, fosse o suficiente para que o “aprendizado” se efetivasse.
Mostrar más

17 Lee mas

INTERDISCIPLINARIDADE NA GEOGRAFIA: a interdisciplinaridade sob o enfoque de ensino e aprendizagem da geografia

INTERDISCIPLINARIDADE NA GEOGRAFIA: a interdisciplinaridade sob o enfoque de ensino e aprendizagem da geografia

Sobre o porquê de inserir a interdisciplinaridade em sala de aula, podemos citar a forma de despertar o interesse do aluno no processo de ensino-aprendizagem. A geografia, quando trabalhada de forma interdisciplinar, possibilita uma maior contextualização e aproximação do aluno com aquilo que está sendo abordado em sala de aula, como assuntos de cidadania, onde há a orientação sobre os direitos e os deveres do cidadão, a abordagem sobre a importância da diversidade cultural, étnica, religiosa e a reflexão sobre as desigualdades sociais, assim como o entendimento de como o processo histórico influenciou na formação e estruturação dos povos. Há quem defenda que a interdisciplinaridade possa ser praticada individualmente, ou seja, que um único professor possa ensinar sua disciplina perspectiva interdisciplinar, um exem- plo seria a própria geografia, que por si só acaba contemplando várias outras áreas dentro dos conteúdos abordados, pelo simples fato de que o objeto de estudo da geografia é o espaço ge- ográfico, ficando difícil delimitar o que não é contextualizado. No entanto, acreditamos que a riqueza da interdisciplinaridade vai muito além do plano epistemológico, teórico, metodológico e didático. Sua prática na escola cria, acima de tudo, a possibilidade do encontro, da partilha, da cooperação e do diálogo e, por isso, somos partidários da interdisciplinaridade enquanto ação conjunta dos professores.
Mostrar más

10 Lee mas

A aprendizagem cooperativa no ensino-aprendizagem de História e Geografia no 3.º ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário

A aprendizagem cooperativa no ensino-aprendizagem de História e Geografia no 3.º ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário

Para Félix e Roldão (1996), os docentes, dos vários níveis de ensino, preocupam-se mais com o processo, os recursos a serem utilizados e com os temas que estão, de certa forma, ligados às questões epistemológicas, interdisciplinaridade e, ainda, com a objetividade e subjetividade. Não obstante, é “aconselhável desenvolver nos alunos diversas modalidades de conhecimento, de acordo com o contexto em que se desenvolve a aprendizagem (a nível etário, a nível de ensino, a comunidade)” (Félix & Roldão, 1996, p. 31). Para haver uma aula ativa o professor necessita de ocupar um papel secundário sendo, no entanto, ele quem “dinamiza, organiza a curiosidade que o tema desperta, tanto orientando-o para aspectos concretos como fomentando a sua investigação pelo aluno”, investigação essa que, por sua vez, pode ser feita de diversas formas entre elas pelo trabalho em grupo (Fabregat & Fabregat, 1991, p. 16).
Mostrar más

103 Lee mas

A importância das atividades lúdicas nas aulas de educação física no processo ensino aprendizagem

A importância das atividades lúdicas nas aulas de educação física no processo ensino aprendizagem

O presente Trabalho de Conclusão de Curso teve como objetivo investigar as influências das brincadeiras lúdico-recreativas no processo ensino aprendizagem. A principio, analisa-se a importância dessas brincadeiras para os alunos segundo a literatura através de estudos e pesquisas relacionadas a temática lúdica, brincadeiras e atividades recreativas. O trabalho deu sequência com a realização de uma pesquisa de campo que procurou identificar qual a visão dos professores da Escola Estadual de Ensino Fundamental Cora Coralina de Ji - Paraná - RO a respeito desse assunto. Por fim relacionaram-se as conclusões referentes às atividades no currículo escolar e seu desenvolvimento, impedimentos e necessidades tais como; falta de formação específica dos docentes, assim como a resistência dos mesmos em utilizar este recurso dentro das aulas. Esse estudo pode analisar a importância das brincadeiras lúdicas nas aulas de Educação Física e sua ação dentro do processo ensino aprendizagem perante a visão dos professores pesquisados.
Mostrar más

45 Lee mas

A utilização das TIC no processo de ensino-aprendizagem no 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico

A utilização das TIC no processo de ensino-aprendizagem no 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico

Segundo Nóvoa (cit. Costa, Peralta e Viseu, 2007:11) as novas tecnologias constituem uma referência de primordial importância para a pedagogia contemporânea. E, no entanto, seria um erro considerá-las como mais uma “solução mágica”. E erro maior, ainda, seria apostar tudo na multiplicidade de computadores nas escolas, como se isso contribuísse para a tão apregoada “modernização”. O que adianta termos os materiais se não usufruímos deles. E, estando as escolas guarnecidas com recursos tecnológicos, é importante perceber como são utilizadas e de que forma contribuem para a melhoria do sistema de ensino. Quando se fala em Tecnologia, fala-se em acesso e acessibilidade, mas também de controlo, apropriação e utilização crítica e criativa. E, são diversos os tipos de acessibilidade e imensos os recursos e avanços tecnológicos ao nosso dispor (Merrienboer, Correia e Paiva, 2012:67). De acordo com o projeto da UNESCO, Padrões de Competência em TIC para Professores (2009), para viver, aprender e trabalhar bem numa sociedade cada vez mais complexa, rica em informação e baseada no conhecimento, os alunos e professores devem usar a tecnologia de forma efetiva, pois num ambiente educacional qualificado, a tecnologia pode permitir que os alunos se tornem: utilizadores qualificados das tecnologias da informação; pessoas que procuram, analisam e avaliam a informação; capazes de resolver problemas e tomar decisões; utilizadores criativos e efetivos de ferramentas de produtividade; comunicadores, colaboradores, editores e produtores; cidadãos informados, responsáveis e que oferecem contribuições.
Mostrar más

67 Lee mas

A IMPORTÂNCIA DA FIGURA DO SUPERVISOR PEDAGÓGICO NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA ESCOLA PRIMÁRIA Nº 8

A IMPORTÂNCIA DA FIGURA DO SUPERVISOR PEDAGÓGICO NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA ESCOLA PRIMÁRIA Nº 8

O ensino em Angola é caracterizado por um elevado índice de crianças fora do sistema normal, alta taxa de reprovação, alto índice de desistência, desequilíbrio do género, corrupção e frequentes casos de assédio sexual por parte de alguns professores. A escassez de infra- estruturas (salas de aulas) e de professores são as causas imediatas da existência de muitas crianças fora do sistema de ensino. Isso resulta de um conjunto de factores dos quais os mais comuns são: a pobreza material no seio das famílias, as péssimas condições de aprendizagem, a má qualificação de alguns professores, a escassez de material didáctico, a ausência de avaliação dos professores e o fraco investimento nos recursos humanos(Hernández, Aguilar, & Luis, 2016). A escola precisa ser de fato, o local do exercício da cidadania, para que isso aconteça, é preciso garantir a permanência do educando, tornando-o sujeito capaz de assimilar e construir saberes com a orientação dos professores, baseando-se sempre em princípios, valores éticos e morais.
Mostrar más

16 Lee mas

A afetividade como parte do processo ensino- aprendizagem nas séries iniciais

A afetividade como parte do processo ensino- aprendizagem nas séries iniciais

O presente trabalho de conclusão de curso tem como objetivo geral investigar como os fatores afetivos se apresentam na relação professor – aluno e a sua influência no processo de aprendizagem. Dentre os objetivos específicos delimitados pretendeu-se analisar a importância da afetividade para o processo de ensino-aprendizagem, conhecer a relação entre afetividade e cognição em sala de aula, elencar alguns problemas no processo ensino-aprendizagem relacionados à questão da, além de apontar aspectos positivos e negativos no relacionamento professor – aluno no âmbito da afetividade; propondo alternativas para a melhoria do cuidado com a afetividade na prática docente. A metodologia utilizada nesta pesquisa contou com uma abordagem qualitativa. Dentre as diversas formas de realizar uma pesquisa qualitativa, selecionou-se a pesquisa-ação. A coleta de dados para este estudo se deu por meio de questionários para conhecer o perfil das escolas e das turmas que participarão do estudo, aplicação da dinâmica com os professores das escolas em questão. Foram aplicados questionários com os professores e os e alunos das escolas e turmas respectivamente selecionadas. Em seqüência à análise verificou-se que a cognição e a emoção não se encontram dissociados do ser humano, por isso é possível atuar sobre o cognitivo via afetivo, e no afetivo via cognitivo. Wallon e os estudiosos de sua teoria deixam claro a importância de se conhecer o histórico de cada aluno na tentativa de alcançá-lo afetivamente. A interação professor – aluno é primordial para a evolução da aprendizagem. Por meio de todas as análises geradas, ultimou-se que o vínculo afetivo influi essencialmente na constituição da inteligência, mas deve estar associados a outros fatores.
Mostrar más

49 Lee mas

Ludicidade no processo de ensino e aprendizagem no 3º ano do ensino fundamental

Ludicidade no processo de ensino e aprendizagem no 3º ano do ensino fundamental

O trabalho com o lúdico exige do professor uma profunda reflexão sobre o sentido do jogo na prática pedagógica. De fato, a utilização de recursos lúdicos implica no conhecimento da metodologia dos jogos e do estabelecimento de objetivos claros a serem alcançados, além da maneira adequada de orientar o aluno para a função e regras das atividades. 5 A postura do professor frente ao lúdico deve ser a de incitar no momento certo, desafiar, debater e interferir, quando necessário, promovendo a satisfação na realização da atividade. Assim, para que a proposta atinja o aluno, o professor precisa interiorizar o trabalho com jogos e acreditar no sucesso do mesmo. Quando o aluno percebe segurança e satisfação no professor, ele se sente também seguro, pois, sabe que tem um apoio por perto, caso necessite. O professor precisa não só acreditar no jogo, mas também no aluno e em sua capacidade de gerenciar sua aprendizagem através do mesmo. No entanto, a utilização dos jogos no âmbito escolar exige um planejamento detalhado em que todos os passos devem ser previamente analisados e definidos. É preciso que se tenham claras todas as etapas do trabalho bem como instrumentos que possibilitem o acompanhamento do progresso dos alunos e uma integração dos objetivos dos jogos com os objetivos pensados para cada etapa de trabalho. Isso é importante para que o jogo seja parte de um planejamento coerente e não apenas um espaço de diversão em sala de aula, ou seja, é necessário que o professor disponha de mecanismos que validem o jogo como prática pedagógica no processo de aprendizagem dos alunos.
Mostrar más

50 Lee mas

Contribuição do Objeto Digital de Aprendizagem “Futsal RIVED” no Processo de Ensino-aprendizagem de Educação Física

Contribuição do Objeto Digital de Aprendizagem “Futsal RIVED” no Processo de Ensino-aprendizagem de Educação Física

Este trabalho tem o objetivo de avaliar a contribuição de um objeto digital de aprendizagem (ODA) no processo de ensino-aprendizagem de alunos na disciplina de Educação Física. A Metodologia utilizada foi de cunho qualitativo com pesquisa-ação. O ODA usado foi o “Futsal RIVED” que apresenta uma proposta pedagógica para o ensino dos fundamentos do futsal. Realizou-se a interatividade e exploração do ODA individualmente e em grupo onde este foi analisado, discutido, explorado de acordo com os objetivos propostos pelo mesmo. Conclui-se que as tecnologias aplicadas na educação como recursos pedagógicos adquirem função de auxiliar, motivar e facilitar o processo ensino- -aprendizagem trazendo novos olhares e maneiras diferentes de aprender.
Mostrar más

10 Lee mas

A utilização de recursos didáticos no processo de ensino e aprendizagem de ciências de alunos com deficiência visual

A utilização de recursos didáticos no processo de ensino e aprendizagem de ciências de alunos com deficiência visual

Resumo: A ampla utilização de referências visuais é uma característica do ensino de Ciências Naturais. Assim, são necessários estudos sobre a utilização de recursos didáticos no ensino de ciências para alunos cegos. O objetivo deste trabalho é analisar como está se processando o ensino de ciências quanto à utilização de recursos didáticos para alunos cegos em escolas da rede pública de ensino em Sergipe. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com três alunos cegos do Ensino Fundamental e seus professores da disciplina Ciências. As dificuldades apontadas por estes concentram-se, basicamente, na necessidade de utilização de referências visuais e no fato de que os recursos didáticos utilizados pelas professoras não são considerados adequados por elas. Todas afirmaram que sentem necessidade de formação específica, pois contam que não tiveram oportunidade de acesso a conhecimentos sobre inclusão escolar. Como sugestões para melhorar o seu aprendizado em ciências, os alunos citaram a utilização de figuras em relevo e em Braille, o que denota certa carência da utilização de recursos específicos ou apropriados. Outro problema evidente foi a ausência do Atendimento Educacional Especializado e de profissionais que atuem na educação especial, para que possam dar suporte ao aluno e ao professor, fator para uma inclusão educacional efetiva.
Mostrar más

16 Lee mas

O lúdico e suas contribuições no processo de aprendizagem no 1º ano do ensino fundamental

O lúdico e suas contribuições no processo de aprendizagem no 1º ano do ensino fundamental

O presente trabalho tem por objetivo central realizar um estudo teórico e prático sobre o lúdico e suas contribuições no processo de aprendizagem. A pesquisa de campo analisou o seu papel do lúdico no desenvolvimento de alunos do 1º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública do Distrito Federal que tem projeto de extensão da UnB. Os objetivos específicos foram: 1) investigar a importância e a intervenção de atividades lúdicas no processo de aprendizagem, 2) analisar a aplicação em sala de aula de atividades em que há a presença do lúdico verificando quais contribuições pedagógicas promove, 3) observar como os professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental inserem o ‘brincar’ na sua prática educativa, e quais significados atribuem às brincadeiras. Tendo em vista a atual conjuntura das Leis e Diretrizes que tratam do Ensino Fundamental, Brougère, Kishimoto, Kramer e Muniz são alguns autores citados. Para responder questões como: Quais atividades são priorizadas em sala de aula? Os recursos lúdicos são utilizados como apoio pedagógico ou como atividades livres? Foram realizadas observações, análise de documentos, aplicação de uma atividade lúdica e uma entrevista com a professora regente da turma pesquisada. Os principais resultados apontam que os alunos desfrutam de momentos de brincadeiras dirigidas e de brincadeiras livres, porém, em sala de aula, conforme constatado na entrevista, a professora prefere usar as brincadeiras regradas e dirigidas para que não haja “bagunça”. Foi possível perceber, na prática, que as professoras têm uma ideia base de que as atividades lúdicas devem ser direcionadas e que podemos utilizá-las como avaliação em sala de aula.
Mostrar más

80 Lee mas

A importância do trabalho com a horta escolar para o ensino de ciências de forma interdisciplinar

A importância do trabalho com a horta escolar para o ensino de ciências de forma interdisciplinar

O ensino de temas em ciências com enfoque interdisciplinar e transdisciplinar com temas transversais exigido nos PCNs é um desafio enfrentado pelas escolas, e os projetos tentam cumprir esta exigência. O Projeto Horta Escolar no processo ensino-aprendizagem é uma metodologia interdisciplinar que desperta o interesse dos educandos, pois além de ser um laboratório vivo, é uma prática pedagógica de baixo custo que envolve a comunidade escolar, além de beneficiar a escola que podem utilizar os alimentos orgânicos produzidos para enriquecer a alimentação. Este estudo teve como objetivo avaliar a importância da horta escolar para a disciplina de Ciências do Ensino Fundamental, a qual foi realizada com educandos do 5° ao 8º ano de quatro escolas municipais onde participaram 548 educandos. No processo de realização e conclusão desta pesquisa foram realizadas aulas práticas no ambiente horta para o estudo dos temas específicos de ciências biológicas, escolhidos pelos professores, abordando o conteúdo curricular de cada ano. A pesquisa teve três momentos, primeiro teste com todos os estudantes para ter o conhecimento prévio sobre os temas abordados, depois teste com grupo de alunos que tiveram as aulas teóricas e com outro grupo tiveram aulas teóricas e práticas na horta. Os resultados foram positivos, sendo o mais importante, a melhora no rendimento escolar dos alunos participantes das aulas teóricas e práticas, pois prendeu a atenção dos alunos.
Mostrar más

43 Lee mas

Show all 10000 documents...

Related subjects