PDF superior Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa : os discursos dos professores sobre a efetividade da formação continuada na prática pedagógica

Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa : os discursos dos professores sobre a efetividade da formação continuada na prática pedagógica

Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa : os discursos dos professores sobre a efetividade da formação continuada na prática pedagógica

Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: os discursos dos professores sobre a efetividade da formação continuada na prática pedagógica é o título da pesquisa que teve como objetivo analisar a efetividade da formação continuada do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), na prática pedagógica dos professores alfabetizadores. O Pacto é um compromisso formal assumido pelos governos Federal, do Distrito Federal, dos Estados e Municípios para assegurar a plena alfabetização de todas as crianças até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do ensino fundamental. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa que, por meio do Materialismo Histórico e Dialético e, suas categorias teóricas, buscou compreender a estrutura e a dinâmica que se constitui nosso objeto de investigação. Os sujeitos da pesquisa são docentes que participaram da formação do PNAIC entre os anos de 2013 e 2016, que atuam em classes de alfabetização de três escolas públicas da cidade de Planaltina no Distrito Federal. Utilizou-se da técnica de Análise de Discurso para analisar os dados gerados no campo da pesquisa, no sentido de explicitar os processos de significação dos discursos dos alfabetizadores atribuídos a prática pedagógica pós formação. Os instrumentos de Grupo Focal e o questionário semiestruturado trouxeram elementos importantes para compreender que a formação em tela teve como propósito levar o professor refletir sobre a prática pedagógica objetivando uma mudança metodológica para melhoria na aprendizagem do aluno. Entretanto, os resultados apontam que a reflexão apresentada pelos alfabetizadores proporcionou uma mudança pragmática acerca de metodologias de ensino, que visaram sanar problemas pontuais do cotidiano escolar, o que não resulta em uma compreensão a luz da epistemologia da práxis que, leva em consideração todas as nuances do trabalho docente que perpassam a valorização profissional, a carreira, condições de trabalho, salários, formação inicial e continuada, no sentido de promover transformações sociais e emancipadoras na educação. Esperamos que esta pesquisa contribua para uma discussão no campo da formação continuada de professores.
Mostrar más

155 Lee mas

A formação continuada de professores através do programa pacto nacional pela alfabetização na idade certa – Pnaic e sua contribuição para prática pedagógica docente.

A formação continuada de professores através do programa pacto nacional pela alfabetização na idade certa – Pnaic e sua contribuição para prática pedagógica docente.

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa- PNAIC é um compromisso formal assumido pelas esferas federal, estadual e municipal cujo objetivo deste programa é que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do terceiro ano do ensino fundamental. Com o intuito de assegurar esta estratégia formativa, estão sendo desenvolvidas diversas ações integradas ao programa, como a distribuição de materiais didáticos, livros, produção de referências curriculares e pedagógicas, atividades de formação continuada, gestão e controle social. Este Pacto é constituído por um conjunto integrado de ações, que garante o direito de alfabetização plena a todas as crianças, que são disponibilizadas pelo Ministério da Educação e Cultura, que proporciona eixos para a formação continuada de professores alfabetizadores.
Mostrar más

20 Lee mas

A IMPORTÂNCIA DO PNAIC NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES ALFABETIZADORES NA REDE MUNICIPAL DE BAGÉ

A IMPORTÂNCIA DO PNAIC NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES ALFABETIZADORES NA REDE MUNICIPAL DE BAGÉ

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal e solidário assumido pelos governos Federal, do Distrito Federal, dos Estados e dos Municípios, desde 2012, para atender à Meta cinco do Plano Nacional da Educação (PNE), que estabelece a obrigatoriedade de "Alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do 3° (terceiro) ano do ensino fundamental." O objetivo do presente estudo é investigar o PNAIC em seu papel como formador de professores alfabetizadores do Município de Bagé-RS, assim como sua funcionalidade no processo de alfabetização dos alunos em idade pré-escolar ao 3º ano do ensino fundamental. A metodologia utilizada tem como foco a pesquisa quanti-qualitativa, explicativa e exploratória, onde serão aplicadas entrevistas semi-estruturadas, fundamentadas em revisão bibliográfica sobre o PNAIC, LDB e artigos acadêmicos que debatem o assunto. O estudo teve início no mês de abril até junho de 2018, sendo investigadas duas escolas municipais de Bagé-RS e sete professores alfabetizadores dessas escolas. Todo o processo dessa investigação foi focado na importância do papel formador do PNAIC para com os professores onde no decorrer das entrevistas realizadas, concluímos que o PNAIC tem sua funcionalidade e reúnem meios através de ações pedagógicas, visando melhorar assim a qualidade do ensino-aprendizado mútuo entre professor e aluno. Evidenciamos também algumas vantagens como a importância das capacitações, a troca de experiência entre os professores, assim como algumas desvantagens, como o corte da bolsa de incentivo à formação continuada e a troca dos monitores da UFPEL pelos da UNIPAMPA (dados levantados nas entrevistas com os professores)
Mostrar más

7 Lee mas

Colaboração interfederativa, política educacional e desigualdade no Brasil: um estudo de caso sobre a implementação do pacto nacional pela alfabetização na idade certa

Colaboração interfederativa, política educacional e desigualdade no Brasil: um estudo de caso sobre a implementação do pacto nacional pela alfabetização na idade certa

Porém, a despeito de eventuais críticas, os materiais foram considerados adequados pelos professores e utilizados com frequência, sobretudo os livros, mas também os jogos. A sua análise, as sugestões e os incentivos a sua utilização feitos nos encontros de formação, assim como o interesse despertado por serem materiais didáticos “novos” possivelmente influenciaram a disposição dos professores para contemplá-los em seu planejamento de atividades. Contudo, os objetivos que poderiam ter sido alcançados em termos das aprendizagens dos alunos mostraram-se distantes do que efetivamente ocorreu, além do fato de as intervenções docentes terem sido pouco relacionadas com os conhecimentos que deviam ser trabalhados. Isso revela que apesar de serem utilizados em sala de aula, os materiais providos pelo Programa foram pouco potencializados nesse contexto, assim como no contexto da formação.
Mostrar más

20 Lee mas

Formação continuada de professores alfabetizadores Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

Formação continuada de professores alfabetizadores Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

Na perspectiva da prática pedagógica como estruturante da formação continuada, a prática pedagógica é compreendida como uma dimensão da prática social mais ampla, onde se configuram as relações sociais que influenciam o trabalho pedagógico da escola e do professor. Essa compreensão, por sua vez, implica não só no reconhecimento da experiência de cada professor, mas no entendimento do trabalho docente, como uma atividade intencional que se constrói na relação entre conhecimentos amplos e as questões da profissão e do ensino. Esse processo, por seu turno, requer um processo sistemático e permanente de reflexão entre os professores. Percebemos, nesse contexto, que a problematização e a reflexão têm relação com a capacidade criativa do sujeito, o que significa dizer que ambas exigem o domínio de conhecimento e habilidades. Enfim, problematizar a prática significa muito mais do que tão somente executar passos de uma técnica ou simplesmente descrevê-la. Daí a necessidade de que os processos formativos possam dispor de conteúdos que levem o professor a transcender os saberes imediatos. O que se pretende na realidade é a articulação entre o conhecimento teórico e o saber docente no currículo da formação do professor, tendo em vista que, na atuação pedagógica, o professor utiliza ambos os saberes (SANTOS, 2014, p. 71-73).
Mostrar más

183 Lee mas

Formação continuada de professores de química na elaboração escrita de suas aulas a partir de um problema

Formação continuada de professores de química na elaboração escrita de suas aulas a partir de um problema

Resumo: Investigou-se a constituição de professores em processo de produção de propostas de aulas de química por meio do Projeto Folhas. O Folhas consta de textos de conteúdos escolares produzidos na rede de escolas da Secretaria de Estado da Educação do Paraná – Brasil. O Projeto Folhas foi investigado inicialmente como proposta potencial de formação continuada de professores de química, resultando em dissertação de mestrado em educação. O presente texto apresenta resultados da investigação realizada e expande estudos na perspectiva de pesquisá-lo como um processo formativo em que os participantes se constituem professores na elaboração escrita de suas aulas. Analisa a função problema como característica necessária requerida no texto do Folhas, mais detalhadamente, a ação de problematizar o conhecimento químico escolar, no que diz respeito ao seu potencial formativo na inovação curricular. Apresenta-se, aqui, breve revisão teórico-conceitual de problema, definindo contornos do conceito através da análise de alguns problemas propostos por professores na produção de Folhas, ouvindo quatro deles em entrevistas semi-estruturadas. Interpretou-se o processo formativo com base em referencial histórico-cultural conforme compreensão de Vigotski. Concluiu- se que as etapas da produção e validação, segundo características exigidas para um Folhas, proporcionam intensa interação entre os pares, sendo, portanto, constitutivas do novo professor.
Mostrar más

25 Lee mas

A CONTRIBUIÇÃO DAS MONITORIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

A CONTRIBUIÇÃO DAS MONITORIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

No mesmo sentido Gomes e Almeida (2013), afirmam que a monitoria contribui significativamente pela possibilidade de interação entre os pares e pela facilidade da comunicação dos alunos com o monitor. Para Natário e Santos (2010), os programas de monitoria, além de proporcionar um espaço para a aprendizagem, têm por finalidade aprimorar o processo de formação profissional, oferecendo uma melhoria na qualidade de ensino e proporcionando condições para que enquanto monitor o estudante desenvolva, habilidades docentes.
Mostrar más

6 Lee mas

A formação continuada de professores na rede municipal de ensino de blumenau (sc) no período de 1997-2004

A formação continuada de professores na rede municipal de ensino de blumenau (sc) no período de 1997-2004

Esses processos, iniciados na gestão da educação, embora descontinuados por circunstâncias de alternância de governo, certamente se constituem em avanços, e nem sempre são anulados. Segundo Heller (2004, p. 9) “Quando o valor constituído numa determinada esfera ou num determinado sentido perde a altura ou o estágio alcançado, passa a existir apenas como possibilidade, mas não é inteiramente aniquilado”. (grifos da autora) Em outro contexto, Arendt (2005b, p. 244/245) fala sobre a irreversibilidade das ações: “Nem mesmo o olvido ou a confusão, que podem encobrir com tanta eficácia a origem e a responsabilidade de qualquer ato isolado, são capazes de desfazer um ato ou suprimir-lhe as consequências”. Afirma ainda que aquele que age nunca sabe exatamente o que está fazendo, “e que o processo por ele iniciado jamais termina inequivocamente num único ato ou evento, e que seu verdadeiro significado jamais se revela ao ator, mas somente à visão retrospectiva do historiador, que não participa da ação”.
Mostrar más

13 Lee mas

A escrita de textos literários na formação dos futuros professores de Física

A escrita de textos literários na formação dos futuros professores de Física

O domínio de linguagens, para a representação e a comunicação científico-tecnológicas, é um campo comum a toda a ciência e a toda a tecnologia, com sua nomenclatura, seus símbolos e códigos, suas designações de grandezas e unidades, boa parte dos quais já incorporada à linguagem cotidiana moderna. A articulação dessa nomenclatura, desses códigos e símbolos em sentenças, diagramas, gráficos, esquemas e equações, a leitura e interpretação destas linguagens, seu uso em análises e sistematizações de sentido prático ou cultural, são construções características dessa área de conhecimento, mas hoje integram um instrumental igualmente necessário para atividades econômicas e para o pensamento social. O documento citado (idem) para ressaltar a importância dos códigos e linguagens no estudo das Ciências da Natureza e Matemática especificou-os como um dos objetivos educacionais no ensino médio, Representação e Comunicação e comenta que o desenvolvimento de códigos e linguagens em ciência e tecnologia deve ser tomado como um aspecto formativo de cada disciplina científica.
Mostrar más

24 Lee mas

A avaliação de professores de física sobre um minicurso de história da ciência: uma pesquisa na formação continuada à distância

A avaliação de professores de física sobre um minicurso de história da ciência: uma pesquisa na formação continuada à distância

estabelecimento de categorias a priori quanto de categorias emergentes ou ainda, categorias mistas (a priori e emergentes). Neste trabalho as categorias foram emergentes; c) Comunicação ou produção de metatextos: nessa etapa, percebe-se uma nova compreensão do todo, possibilitada pelo intenso envolvimento nas etapas anteriores. O objetivo agora será elaborar um texto descritivo e interpretativo, o qual denomina-se metatexto, a partir das categorias. Segundo Moraes e Galliazzi (2001) saber empregar as categorias construídas na análise para organizar a produção escrita é uma forma de atingir descrições e interpretações válidas dos fenômenos investigados. Afirmam ainda que "a qualidade dos textos resultantes das análises não depende apenas de sua validade e confiabilidade, mas é, também, consequência do fato de o pesquisador assumir-se autor de seus argumentos" (Moraes e Galiazzi, 2011, p.32). Desse modo, a ATD pode ser compreendida "como um processo auto-organizado de construção de novos significados em relação a determinados objetos de estudo, a partir de materiais textuais referentes a esses fenômenos." (Moraes e Galiazzi, 2007, p.45).
Mostrar más

24 Lee mas

Perceções dos professores estagiários sobre a sua formação inicial, na Universidade Estadual da Paraíba

Perceções dos professores estagiários sobre a sua formação inicial, na Universidade Estadual da Paraíba

 Em relação ao estágio e à prática pedagógica, os professores estagiários reconhecem que, no curso, não houve preocupação de todos professores na preparação dos alunos para o estágio. Por outro lado, no âmbito deste, não se sentiram intrusos na escola onde realizaram o estágio e consideram que não foi sobre aproveitada a sua presença na escola e, por isso, não foram desviados da proposta de estágio. Também pensam que o professor cooperante da sala de aula da escola favoreceu a realização de propostas pedagógicas inovadoras e que o professor responsável pela prática pedagógica gerou momentos para reflexão da ligação teoria/prática, recriando novos conhecimentos. Testando a nossa hipótese de trabalho 3 (a experiência e a prática pedagógica dos professores estagiários dos cursos da Universidade Estadual da Paraíba, nomeadamente nos Campus de Guarabira e de Campina Grande, são condicionadas pela experiência anterior e pela idade desses professores), são os professores estagiários que não tiveram experiência prévia os que, em maior percentagem, concordam e concordam totalmente que, durante a realização do estágio, se sentiram “intrusos” no interior da escola. Por seu lado, são os professores estagiários mais novos, do grupo de idade [20-22], a considerarem em maior percentagem que o professor responsável pela prática pedagógica criou momentos para reflexão da teoria/prática recriando novos conhecimentos. Constatámos ainda que os professores estagiários do Campus de Guarabira discordam totalmente, em maior percentagem, que o professor responsável pela prática pedagógica tenha criado momentos para a reflexão da teoria/prática recriando novos conhecimentos.
Mostrar más

191 Lee mas

A codocência em ciências da natureza na Universidade Nacional Timor Lorosa'e: reflexões sobre colonialidades na formação de professores

A codocência em ciências da natureza na Universidade Nacional Timor Lorosa'e: reflexões sobre colonialidades na formação de professores

O objetivo dessa pesquisa é compreender como a transnacionalização, colonialidade e os sentidos de ciência e tecnologia circulam nas práticas de codocência realizadas entre brasileiros membros do Programa de Qualificação Docente e Ensino de Língua Portuguesa (PQLP) e professores timorenses da Universidade Nacional Timor Lorosa‟e (UNTL), assim como compreender formas de lidar com essas questões durante essas práticas pedagógicas. Para tanto, buscamos trazer as contribuições já realizadas por outras pesquisas que abordam relações de transnacionalização e preocupações com seus efeitos para a formação de professores timorenses no contexto do PQLP (SOUZA; ALVES, 2008; CASSIANI et al., 2012; PEREIRA; CASSIANI, 2012) em anos anteriores às modificações do PQLP antes da entrada da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na coordenação acadêmica, trabalhos aliados às perspectivas decoloniais (CARTER, 2004; 2006; CASTRO-GOMÉS, 2007; GARCÉS, 2007; SANTOS, 2010) e referenciais freireanos (FREIRE, 1978; LIMA; GERMANO, 2013; PENNA, 2014) para analisar essas práticas através de uma lente discursiva (PÊCHEUX, 2009; ORLANDI, 2012). A pesquisa foi realizada através da análise do Projeto Político Pedagógico (PPP) elaborado pelo PQLP em 2014 e de entrevistas semi-estruturadas com um professor timorense e dois professores brasileiros. As conclusões demonstram que existem relações que reforçam as colonialidades (QUIJANO, 2010) já existentes no conhecimento científico e no ensino de ciências durante a codocência, mas também existem relações de resistência e superação dessas relações. Da mesma forma, a escolha da língua portuguesa e o tétum como línguas oficiais do Timor-Leste também são atravessadas por conflitos relativos a essas colonialidades. Entretanto, a codocência figura como uma estratégia de formação em serviço extremamente valiosa para os professores brasileiros e timorenses.
Mostrar más

163 Lee mas

Questionamentos sobre a formação linguística de professores na perspectiva da linguística interacional

Questionamentos sobre a formação linguística de professores na perspectiva da linguística interacional

Em síntese, o enfoque etnometodológico teve marcante influência na análise linguística da conversação, seja no âmbito restrito das interações face a face nas comunicações cotidianas, seja no quadro mais amplo das interações institucionais. A sua influência resultou, também, na reorientação de interesses em âmbitos tradicionais da Linguística, como é o caso de abordagens da Linguística Textual e de estudos gramaticais, que passaram a analisar e a descrever registros de interações faladas e, com isso, redefiniram em maior ou menor grau categorias e procedimentos por força das determinações interacionais.
Mostrar más

8 Lee mas

Formação continuada do professor de educação física na perspectiva da inclusão

Formação continuada do professor de educação física na perspectiva da inclusão

O cenário mundial vem acompanhando de forma muito recente as mudanças no que diz respeito a inclusão de pessoas com deficiência no ensino regular. Para que essas mudanças sejam efetivas e significativas para essas pessoas são necessárias várias medidas, uma delas de suma importância, é a preparação dos profissionais da educação para receber esses alunos e promover um ensino de qualidade. Perante as informações levantadas neste trabalho sobre o processo de inclusão da pessoa com deficiência no ambiente de ensino regular, as leis que norteiam esse processo e a importância da formação inicial e continuada do professor para atender estas demandas, surge o interesse em tentar responder a seguinte questão: como o professor de Educação Física se preparam para atuar na escola dentro da perspectiva da inclusão? Por esse motivo o objetivo deste trabalho é compreender como os professores de Educação Física se preparam para atender estudantes com deficiência na perspectiva da inclusão escolar Dessa forma, buscamos pesquisar as informações da percepção do professor sobre a formação inicial em relação a esse tema, quais atividades formativas buscaram realizar após a formação inicial e suas contribuições para uma perspectiva de aula inclusiva nas turmas de ensino regular do município de Florianópolis. Para realizarmos esta pesquisa, optou-se por um estudo descritivo do tipo estudo de campo com abordagem qualitativa. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quatro professores de escolas distintas da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. Selecionamos uma teoria dos contextos de aprendizagem, utilizando os conceitos de contextos de aprendizagem formal, não formal e informal de Coombs e Ahmed (1974) posteriormente adaptados por Nelson (et al. 2006) em pesquisa mais recente, para chegarmos na etapa de análise dos resultados. Essa análise se deu por categorização
Mostrar más

51 Lee mas

TítuloA tecnologia educativa na formação de professores

TítuloA tecnologia educativa na formação de professores

Os alunos podem conceber um documento segundo urna teoria particular, como a Instrus;ao Ancorada ou a Teoria da Flexibilidade Cognitiva, ou optarem por urna abordagem mais objectivista o[r]

9 Lee mas

Práticas de letramento docente na coordenação pedagógica : reflexões sobre formação continuada no contexto escolar

Práticas de letramento docente na coordenação pedagógica : reflexões sobre formação continuada no contexto escolar

cursos do MEC em suas regiões. Por um lado, esse tipo de formação representa um avanço, ao possibilitar uma maior integração entre o trabalho desenvolvido nas universidades e aquele desenvolvido nas Escolas de Educação Básica. Além disso, a formação em rede contempla várias instituições de ensino e professores ao mesmo tempo em todo o País. Por outro lado, torna-se bastante problemático o acompanhamento e a avaliação do trabalho de formação continuada desenvolvido pelos professores-multiplicadores no interior das Instituições de Ensino, pois, muitas vezes, o trabalho de formação proposto pelos Centros de Formação não é desenvolvido nas escolas, devido, principalmente, a questões políticas, tais como falta de apoio logístico e financeiro para a disseminação do curso por parte dos governos locais (prefeituras e municípios). Além de correr o risco de acabar sendo uma política paliativa, uma estratégia de “reparação” de problemas em curto prazo e amplo espaço para atender a exigências do capital. Como alternativa à formação continuada em rede, temos a formação continuada in loco, que ocorre no âmbito das Instituições da Rede Pública de Ensino e que visa ao desenvolvimento profissional docente; à discussão sobre a prática pedagógica e à troca de saberes entre os/as professores/as. Além disso, em algumas escolas há estudos e discussões teóricas que subsidiam a prática pedagógica. Entretanto, conseguir unir a teoria e a prática pedagógica não é tarefa fácil. Para Bortoni-Ricardo (2010, p. 17),
Mostrar más

248 Lee mas

A IMPORTÂNCIA DA PRATICA PEDAGÓGICA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

A IMPORTÂNCIA DA PRATICA PEDAGÓGICA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

O trabalho trata da importância da observação e trabalho de campo nas licenciaturas, no caso, a Licenciatura em Ciências da Natureza. O projeto parte da proposta curricular do próprio curso, atrelado ao Componente de Práticas Pedagógicas I e reúne o relato de quatro licenciandos que acompanharam professores de química e física de escolas estaduais no município de Uruguaiana, Rio Grande do Sul. Percebemos a importância da prática pedagógica no primeiro semestre dos cursos de licenciatura pela caracterização do espaço escolar, práticas educacionais e experiência de campo, sendo possível inclusive, a confirmação da escolha profissional do licenciando. Durante a observação será possível avaliar a realidade da profissão docente, seus prazeres e desafios, relacionamentos inter-pessoais entre professores e alunos e métodos avaliativos utilizados.
Mostrar más

6 Lee mas

Formação continuada do professor de matemática : contribuições das Tecnologias da Informação e Comunicação para prática pedagógica

Formação continuada do professor de matemática : contribuições das Tecnologias da Informação e Comunicação para prática pedagógica

A aula iniciou com P4 Passando uma atividade sobre formas geométricas e deixou a turma sozinha por um instante porque estava em duas turmas ao mesmo tempo (prática que P4 justificou antes de sair da sala, dizendo ser uma medida adotada na escola quando faltava algum colega professor para manter os alunos(as) em atividade em sala e que seria apenas na 4ª aula. Os(as) alunos(as) ficaram copiando do livro didático a atividade que foi determinada por P4, para em seguida responderem. Após 5 minutos P4 retornou a sala e passou a orientar os (as) alunos(as) com relação a resolução da atividade. Em seguida, realizou a chamada (frequência do diário escolar) dos(das) alunos(as). Fez a correção oral da atividade proposta do livro didático sobre formas circulares, perguntou se os alunos encontraram a definição de circunferência no texto do livro e se lembravam do conceito dado do vídeo que assistiram na aula anterior, os estudantes sinalizaram com um sim e alguns definiram o que P4 estava pedindo e disseram o local no texto onde se encontrava a resposta. Corrigiu ainda, oralmente a atividade sobre cálculo do diâmetro sem demonstrar no quadro branco a resolução da atividade. Interrompeu a correção para ir até a outra turma em que estava dando aula simultaneamente. Retornou com uns 10 minutos. Seguiu resolvendo as demais questões mandando que os(s) alunos(as) observassem as figuras que estavam desenhas no livro didático, referente ao conteúdo de figuras simétricas, observavam as figuras e respondiam oralmente se as mesmas eram simétricas ou não. Pediu para lembrar do vídeo que havia passado sobre Simetria no LTE. Após a correção orientou os alunos sobre a devolução dos livros didáticos e passou outra atividade. Solicitou que os alunos fizessem um desenho sobre simetria, explicando novamente o que é uma figura/desenho simétrico, o que é o eixo na horizontal e na vertical. Determinou que o desenho deveria ser de tamanho grande e que o eixo de simétrico deveria cortar a figura/desenho na vertical ou na horizontal e que ambos os lados deveriam ser simétricos. Em seguida deu o visto nos cadernos nas atividades de geometria da aula anterior encerrando a aula.
Mostrar más

123 Lee mas

A coordenação pedagógica como espaço de formação continuada de professores dos anos iniciais no contexto Ensino de Ciências

A coordenação pedagógica como espaço de formação continuada de professores dos anos iniciais no contexto Ensino de Ciências

A análise de conteúdo foi feita seguindo uma sequência de etapas. A primeira etapa consiste em organizar o material obtido por meio das entrevistas feitas com as professoras pesquisadas e os demais registros. A segunda fase refere-se à exploração do material, ou seja, os dados foram organizados por temas, palavras, conjunto de palavras, hipóteses, indicadores, índices, entre outros, até termos os dados separados em categorias. A última etapa foi denominada de tratamento dos resultados que consiste na “inferência e interpretação no qual os dados obtidos são trabalhados com o objetivo de tornarem válidos e significativos para a pesquisa” (IKEDA et al 2010. p. 7).
Mostrar más

61 Lee mas

ENSINO DE ASTRONOMIA PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

ENSINO DE ASTRONOMIA PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Um questionamento conceitual levantado pelos professores durante a oficina foi em relação ao antigo planeta plutão, que foi reclassificado como planeta anão. Explicamos que Plutão tem muitas semelhanças com um planeta, como orbitar em torno do sol e possuir gravidade suficiente para torná-lo esférico, porém não tem tamanho significavelmente maior do que os objetos de sua vizinhança. Este foi o motivo de sua reclassificação, assim como a criação do conceito de planeta anão, em 2009 na reunião da União Astronômica Internacional (IAU).
Mostrar más

6 Lee mas

Show all 10000 documents...

Related subjects