PDF superior O Desafio de Preparar a Introdução de um Artigo Acadêmico

O Desafio de Preparar a Introdução de um Artigo Acadêmico

O Desafio de Preparar a Introdução de um Artigo Acadêmico

Considerando a estrutura apresentada para os artigos, uma parte significativa dos livros e das disciplinas de metodologia analisam estas seções, mas em geral enfatizam pouco a importância e a construção da introdução, limitando-se muitas vezes a comentários genéricos e ao enunciado de check-lists de do’s and dont’s (dentre diversas possibilidades, ver O’Connor & Woodford, 1975). O trabalho de West (1981) apresenta resultados de uma pesquisa quantitativa, mostrando que a referência de autores às suas descobertas - como estamos fazendo com o próprio West nesta sentença -, é muito maior em frequência específica na introdução que em outras seções dos artigos, como revisão de literatura e discussão. Outros autores se concentraram na forma verbal utilizada (Oster, 1981), ou na apresentação da estrutura da introdução (Hepworth, 1978). Interessante é o livro de Swales, publicado em 1981, e reeditado pela editora da Universidade de Michigan em 2011, dedicado exclusivamente à seção de introdução. No livro, Swales (1981) examina a introdução de 48 artigos em diversas áreas do
Mostrar más

7 Lee mas

A escrita de artigo acadêmico na universidade: autoria x plágio

A escrita de artigo acadêmico na universidade: autoria x plágio

Comparando o texto original com o texto copiado, veriica-se que houve uma preocupação com a reorgani- zação da ordem do plano argumentativo. É interessante notar que o fragmento selecionado para compor o pará- grafo inicial constitui-se como um tópico mais geral – as- sim como uma das possibilidades de início do texto, visto pela colaboradora B nas aulas do componente curricular APTA. Percebe-se que os movimentos de estabelecimen- to do território e estabelecimento de nicho são copiados (parágrafos iniciais: 1 e 2), enquanto que o movimento de ocupação de nicho (parágrafos inais: 3,4,5 e 6) foi de- senvolvido. Veriica-se ainda que, mesmo copiando par- tes da introdução, a colaboradora demonstra esforço em organizá-la ao seu modo, uma vez que reestrutura a dis- posição dos parágrafos da introdução. A seguir, expomos o texto apresentado por B (em cor de rosa) justaposto aos textos originais (em cor azul), enfatizando mecanismos linguísticos e organizacionais empregados pela colabora- dora B na tessitura da sua introdução, segundo legenda da tabela 2 – Mecanismos usados na tessitura da introdu- ção –, abaixo retomada:
Mostrar más

17 Lee mas

TítuloEducação ambiental no contexto da
CPLP: um desafio urgente

TítuloEducação ambiental no contexto da CPLP: um desafio urgente

O objetivo do Primeiro Inquérito sobre Edu- cação Ambiental na CPLP, levado a cabo pelo Observa (ICS-ULisboa) e pela ASPEA foi, por isso, fazer um diagnóstico prelimi- nar da realidade da EA e encontrar o seu lugar nos sistemas de educação formal e informal nos países da CPLP. Os resulta- dos aqui apresentados devem, no entanto, ser vistos como uma primeira tentativa de análise que estará longe de esgotar a com- plexidade existente. Procura-se, tão só, avançar com pistas de reflexão que certa- mente precisarão de novos enfoques e no- vas abordagens para as consolidar. Após uma breve introdução `temática da Educa- ção Ambiental, neste artigo apresenta-se: i) a estratégia metodológica e construção da amostra do inquérito aplicado aos países lusófonos sobre EA, ii) o enquadramento institucional e respetivos desempenhos nacionais; iii) os principais promotores da EA e apoios disponíveis; iv) as dimensões curriculares introduzidas abordando a te- mática ambiental e, por fim, v) algumas no- tas conclusivas para reflexão.
Mostrar más

13 Lee mas

A Pesquisa e a Estruturação do Artigo Acadêmico em Administração

A Pesquisa e a Estruturação do Artigo Acadêmico em Administração

A introdução deve incluir quatro elementos essenciais. Arrisco aqui uma descrição de cada parágrafo, entendendo-se, no entanto, que há alguma flexibilidade. Ainda assim, sugiro que tente manter a introdução a um máximo de seis parágrafos. No primeiro parágrafo, a abrir a introdução é melhor revelar a relevância, importância ou interesse do tema. No segundo parágrafo (eventualmente estendendo a um terceiro), mostre a literatura relevante sobre o tema do seu manuscrito. Aqui, o objetivo é posicionar o seu artigo na literatura e mostrar que conhece a literatura – lembre-se que haverá uma seção inteira para a revisão de literatura – mas, fundamentalmente é deste breve périplo pela literatura que deve sair a identificação de uma lacuna no conhecimento. Esta lacuna é explorada no terceiro parágrafo sobre a forma de questão de pesquisa. Depois, explique como aborda a questão de pesquisa, com breve exposição sobre método e dados. Em seguida exponha sucintamente os principais resultados e contribuição. A concluir a introdução, pode optar pela forma mais tradicional de indicar a estrutura do artigo.
Mostrar más

11 Lee mas

O desenvolvimento neuropsicomotor do prematuro: um desafio para a enfermagem

O desenvolvimento neuropsicomotor do prematuro: um desafio para a enfermagem

Quanto ao ruído desses ambientes hospitalares, existem evidências científicas que o feto ouve desde o 5º mês de gestação e que, embora as estruturas principais do ouvido estejam desenvolvidas com 25 semanas do estágio gravídico, elas irão atingir as dimensões das do adulto apenas um ano após o nascimento. Em UTIN o recém-nascido está submetido a ruídos que são produzidos por ventiladores, incubadoras, monitores, alarmes, aspiradores de secreção, saídas de oxigênio e ar comprimido, telefones, diálogos estabelecidos entre os profissionais e familiares que podem comprometer o bem-estar do bebê e prejudicar seu desenvolvimento (KAKEHASHI et al., 2007).
Mostrar más

17 Lee mas

Qualidade do leite caprino: um desafio atual

Qualidade do leite caprino: um desafio atual

A produção de leite de cabra no Brasil é de fundamental importância, pois esses animais representam uma forma de subsistência para pequenos produtores. Porém, o avanço no desenvolvimento de derivados com alta qualidade é perceptível como produção de leite em pó, leite de longa duração (longa vida), além de queijos que seguem o modelo europeu. A qualidade do leite in natura é influenciada por muitas variáveis, como fatores zootécnicos associados ao manejo, alimentação, potencial genético dos rebanhos e fatores relacionados à obtenção e armazenagem do leite são as principais. Vários programas do Governo foram propostos para diminuir a depreciação da produção e comercialização do leite caprino, de modo que estes criadores possam produzir com qualidade tanto o produto consumido in natura quanto beneficiado, evitando contaminação microbiana e/ou por resíduos químicos e biológicos. Os programas visam adequar a produção e o processamento do leite caprino às resoluções do Governo Federal instituídas para fabricar um produto de qualidade de acordo com a Organização Mundial de Saúde.
Mostrar más

6 Lee mas

Gerenciamento de crise de imagem: Ronaldo e os travestis - um ensaio acadêmico

Gerenciamento de crise de imagem: Ronaldo e os travestis - um ensaio acadêmico

Nesse caso, após ocorrido o fato, é muito difícil não sair com danos à imagem. O estrago já está feito. O que pode amenizar é um tratamento aberto, transparente com a imprensa. Não esconder nada. A exemplo do que fez o diretor da empresa de trens do Rio de Janeiro, no Jornal Nacional, em abril deste ano, diante da gravação pela Rede Globo dos agentes ferroviários batendo nos passageiros. Ele foi lá e ao vivo reconheceu o erro e acha que falta um treinamento. É isso mesmo. Não dá pra esconder. O dano, no caso do Ronaldo, aconteceu. O relacionamento franco com a mídia pode amenizar (FORNI, 2009c).
Mostrar más

50 Lee mas

Educação Inclusiva: Um Desafio para família, Escola e Educadores

Educação Inclusiva: Um Desafio para família, Escola e Educadores

A construção da escola inclusiva é um projeto coletivo que requer verificação das condições estruturais da escola (rampas, sanitários, bancas, etc.), isto é, reformulação do espaço como um todo, desde o espaço físico, dinâmica em sala de aula, passando por currículo, formas r critérios de democráticos onde ambos aprendem virtudes como tolerância, paciência, humilde, questionamentos, enfrentar dificuldades, socialização, nos levando a ser capaz de produzir, criar, recriar, contra argumentar, etc., na perspectiva de ir cada vez mais à busca do entendimento, conhecimento, para sermos pessoas mais conscientes de nossos direitos e deveres para viver em sociedade, ocupando um espaço próprio, porém se preocupando com o interesse comum.
Mostrar más

11 Lee mas

Envelhecimento activo: um desafio para os idosos não institucionalizados

Envelhecimento activo: um desafio para os idosos não institucionalizados

Relativamente à teoria da Competência e Pressão ambiental, defendida por Lawton e Nahemow (cit. Cavanaugh, ob. cit.), considera-se que a competência é o limite máximo teórico de capacidade de um indivíduo para funcionar a qual se estrutura em cinco componentes, nomeadamente, saúde biológica, funcionamento sensório – perceptivo, capacidade motora, capacidade cognitiva e força do ego. Estas componentes são difíceis de mensurar e as imposições colocadas pelo ambiente pressupõem a combinação de três tipos: física, interpessoal e social. A componente física exige que o indivíduo tenha, por exemplo, de percorrer três lances de escadas para o apartamento. As exigências interpessoais envolvem as várias pressões a que o indivíduo é sujeito para se relacionar bem com as outras pessoas. Finalmente a vertente social está relacionada com as leis ou costumes sociais que afectam a vida dos sujeitos. Assim sendo, o comportamento vai depender do nível de competência do indivíduo e do nível da pressão exercida pelo ambiente. Deste modo, quanto menos competência um indivíduo tem, maior é o impacto dos factores ambientais. Estas teorias pressupõem ainda um nível de adaptação, ou seja, um ponto no qual a competência e a pressão ambiental estão equiparadas (Cavanaugh, 1992). Obviamente, para que um idoso mantenha bons níveis de adaptação necessita de mudar para pressões ambientais baixas ou em alternativa tomar medidas para melhorar as suas competências.
Mostrar más

130 Lee mas

As mulheres: um desafio para a Substância Católica

As mulheres: um desafio para a Substância Católica

Entretanto, foi logo ao término do Concílio Vaticano II, em 1965, que na Europa e nos Estados Unidos, as mulheres católicas passaram a reivindicar seus direitos também dentro da Igreja católica. É conheci- do o caso de Mary Daly, jovem teóloga norte-americana que escreveu seu livro “A Igreja e o Segundo Sexo”, publicado em 1968, fazendo críticas à exclusão das mulheres do ministério pastoral dentro da Igreja Católica. Ela propôs mudanças radicais para a situação das mulheres. Já nos anos 70, ao publicar “Para além de Deus Pai” (1973), despede- se do catolicismo porque julga a religião católica demasiado sexista e autoritária, sem possibilidade de recuperação. Como Daly, um número significativo de teólogas decide deixar o cristianismo, chamando-se a si mesmas “pós-cristãs”. Continuam como teólogas, enfocando diver- sos eixos temáticos, como o corpo, as questões relativas à sexualidade reprodutiva ou enfocando uma divindade feminina. A crítica ao Deus masculino tem sido uma tônica nas obras teológicas feministas que ten- tam dessacralizar a hierarquia masculina da Igreja. É famosa a afirmação de Mary Daly: “Se Deus é homem, o homem é Deus” (1973, p.19).
Mostrar más

11 Lee mas

Intervenção em dependências: um novo desafio

Intervenção em dependências: um novo desafio

Na alínea b) da pergunta 1 questionávamos “Como avalia a mudança?”. O Delegado Regional referiu que a mudança efetuada e os seus resultados reais representaram um extraordinário progresso organizacional e funcional, sem precedente nos decénios anteriores e que permitiu rejuvenescer, atualizar e relançar dois sistemas e modelos de intervenção que se encontravam em situação de grave impasse técnico e organizacional e totalmente esgotados. Na questão 2 - A integração do álcool nas Unidades de Intervenção Local da DRC provocou alguma resistência por parte dos seus responsáveis? – o entrevistado considerou que não, referindo que as únicas resistências percebidas e que se manifestaram de molde a, pontualmente, até perturbarem o decurso da integração ou a bloquearem o acesso a doentes com problemas exclusivamente ligados ao álcool, apenas se verificaram ao nível de meros técnicos da vertente de tratamento numa das Equipas de Tratamento, felizmente localizada numa cidade com oferta abundante de alternativas de acesso mais especializado que retiraram qualquer impacto e relevância a essas atitudes de rejeição de “fundamentalistas das drogas ilícitas”.
Mostrar más

134 Lee mas

Medicamentos naturais: um novo desafio para o farmacêutico

Medicamentos naturais: um novo desafio para o farmacêutico

Nas últimas décadas têm ocorrido profundas mudanças sociais, científicas e tecnológicas. Muitas destas mudanças ocorreram no campo da saúde. A sociedade foi-se tornando cada vez mais informada devido ao aumento da literacia e à crescente panóplia de fontes de informação de que dispõe no seu dia-a-dia que vão contribuindo para a modificação dos seus tipos de consumo terapêutico. Passadas várias eras ressurgiu o interesse pelo consumo de produtos naturais. Cada vez mais informados e com elevado interesse para terapêuticas naturais, os pacientes constituem um enorme desafio para os farmacêuticos, sendo estes “especialistas” em medicamentos químicos. Esta monografia, sob o formato de revisão bibliográfica, pretende expor as várias mudanças pelas quais a sociedade tem vindo a passar em matéria de consumos terapêuticos e do crescimento da procura de medicamentos naturais, e dar conta da importância de os farmacêuticos possuírem formação profissional sobre medicamentos naturais. Para além destes dois aspectos, esta monografia inclui dois outros instrumentos de trabalho: (i) um Registo Etnográfico sobre a procura de medicamentos naturais numa Farmácia peri-urbana (ii) o esboço de um Inquérito por Questionário para avaliação da percepção dos farmacêuticos sobre a necessidade de formação relativa a medicamentos naturais. Procurará também esboçar algumas propostas como a formação contínua dos profissionais de saúde e a criação de instrumentos tanto para os auxiliar como para os avaliar sobre a sua preparação aquando a dispensa de medicamentos naturais.
Mostrar más

64 Lee mas

Pseudoaneurisma ventricular esquerdo: um desafio diagnóstico

Pseudoaneurisma ventricular esquerdo: um desafio diagnóstico

Este caso ilustra uma forma de apresentac ¸ão atípica de um pseudoaneurisma do ventrículo esquerdo, em que as manifestac ¸ões resultaram da extensão pericárdico-pleural do processo inflamatório associada à rotura miocárdica contida. O caso demonstra a necessidade de sus- peitar o diagnóstico e o valor dos vários exames de imagem para a confirmac ¸ão do mesmo, de modo a possibilitar a terapêutica cirúrgica adequada e assim modificar o curso da doenc ¸a. © 2015 Sociedade Portuguesa de Cardiologia. Publicado por Elsevier Espa˜ na, S.L.U. Todos os direitos reservados.

6 Lee mas

Prevenção cardiovascular : um desafio individual e coletivo

Prevenção cardiovascular : um desafio individual e coletivo

Os avanços científicos e tecnológicos no âmbito das doenças cardiovasculares (DCV) foram imensos nos últimos 50 anos. Desse conhecimento sobre explicações e soluções muito tem beneficiado a humani- dade mas existe potencial para mais bene- fícios. Neste sentido, uma das metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sus- tentável da ONU, cujo lema é «transformar o mundo», é reduzir por um terço a morta- lidade prematura de DCV pela prevenção e tratamento.

5 Lee mas

Ensinar a língua, promover a cidadania : um desafio por/para cumprir

Ensinar a língua, promover a cidadania : um desafio por/para cumprir

No contexto, reconhece-se a leitura como um «fazer interpretativo» (Amor, 1996: 82) resultante da interacção entre três dimensões fundamentais: i) o texto (as condições da sua produção e as suas características sócio-enunciativas, a sua dimensão e grau de complexidade, os temas tratados e o universo cultural e semântico a que se reporta…); ii) o contexto psicológico (interesse do leitor pelo texto, motivação para a leitura, o tipo de leitura e respectivos objectivos), social (as formas de interacção com o professor, os pares, a família, a comunidade, que acompanham a leitura) e físico (o ambiente da leitura, o conforto do leitor, o tempo disponível…) (cf. Giasson, 1993: 40- 42); iii) e o leitor (os processos cognitivos desenvolvidos, as suas capacidades fisiológicas, perceptivas e metacognitivas; o domínio de estratégias facilitadoras e reguladoras da leitura; o estilo de leitura; o conhecimento dos diferentes tipos de texto, da sua organização e estrutura típica; os conhecimentos e crenças pessoais sobre o mundo; os conhecimentos linguísticos: lexicais, sintácticos, semânticos e pragmáticos; os conhecimentos e crenças sobre o próprio processo de leitura).
Mostrar más

17 Lee mas

ANÁLISE E MELHORIA DE UM PROCESSO ACADÊMICO EM UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA

ANÁLISE E MELHORIA DE UM PROCESSO ACADÊMICO EM UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA

Vivemos em uma era de instabilidade e mudanças que requer pessoas e organizações dinâmicas, flexíveis, mutáveis e inovadoras. Novos tempos cobram novas organizações e uma nova postura de gestão (CHIAVENATO, 2014). Portanto, torna ± se necessário um esforço mais amplo e compreensivo de mudanças e melhorias organizacionais.

7 Lee mas

A avaliação da dor, um desafio para a enfermagem pediátrica

A avaliação da dor, um desafio para a enfermagem pediátrica

RESUMO A dor é uma experiência subjetiva e individual . O seu alívio pode ser compreendido como um direito humano básico. Avaliar a dor na criança é uma preocupação da equipe assistencial, tanto pela sua importância na qualidade dos cuidados oferecidos aos pacientes pediátricos, quanto ao desafio de transpor preconceitos a respeito do seu controle. Objetivou- se criar uma cartilha educativa e autoexplicativa sobre a avaliação da dor na criança hospitalizada destinada à equipe de enfermagem da Clínica pediátrica do Hospital Barão de Lucena, referência em atendimento materno-infantil, localizado na cidade de Recife, no Estado de Pernambuco. A cartilha foi desenvolvida com base na pesquisa realizada em textos científicos bem como em literatura publicada em revistas científicas conforme referências bibliográficas descritas. Está estruturada em oito seções: conceito humanizado da dor, motivos para a enfermagem avaliar a dor na criança hospitalizada, importância desta avaliação, instrumentos de avaliação, manejo de três escalas de avaliação da dor, planejamento da intervenção, reavaliação da dor e o registro da assistência prestada. Essa metodologia mostrou-se adequada, de fácil compreensão e condução para o alcance do objetivo proposto, abrindo novo e estimulante caminho para as atividades de Educação em Saúde. A leitura desta cartilha autoexplicativa trará ao profissional de enfermagem a orientação necessária para a realização da avaliação da dor na criança hospitalizada. Espera- se que esta cartilha seja também um objeto de estímulo para a elaboração de um programa para o manejo da dor, aperfeiçoando cada vez mais a avaliação e oferecendo um melhor cuidado integral.
Mostrar más

26 Lee mas

Interoperabilidade: um desafio contínuo em operações conjuntas

Interoperabilidade: um desafio contínuo em operações conjuntas

operações militares da OTAN e por ser um membro empenhado e activo na construção da Política Europeia de Segurança e Defesa (PESD). Para esta investigação interessa uma interpretação abrangente do conceito de interoperabilidade, de forma a permitir uma análise também abrangente das FFAA, ou seja, perceber tudo o que a “montante” do emprego da componente militar pode influenciar o seu nível de interoperabilidade. Desta forma, pode-se considerar, como ponto de partida, que interoperabilidade é a utilização efectiva das capacidades militares, fazendo-as colectivamente compatíveis e possibilitando uma combinação eficiente das respectivas forças militares, no cumprimento da missão 3 . A discussão do conceito de interoperabilidade e das suas componentes possui várias vertentes, podendo ser analisado segundo diversas abordagens: numa perspectiva vertical, segundo os níveis das operações militares (estratégico, operacional e táctico), podendo ser caracterizada como interoperabilidade das armas combinadas (intra-ramo), conjunta, inter-agências (militar- civil) e combinada ou multinacional; numa perspectiva horizontal ou transversal, que consiste em olhar para as condições ou domínios da interoperabilidade – técnica (equipamentos), da doutrina, cultural (cognitiva) e o treino operacional (reforça a doutrina e a cultural e valida a técnica). Uma outra abordagem, a que é adoptada pela OTAN, classifica a interoperabilidade de acordo com o seu nível (Berne, 2007: 10 e 11).
Mostrar más

72 Lee mas

Encontro Nacional Acadêmico de Secretariado Executivo - ENASEC: Um Estudo Bibliométrico

Encontro Nacional Acadêmico de Secretariado Executivo - ENASEC: Um Estudo Bibliométrico

Considera-se o Encontro Nacional Acadêmico de Secretariado Executivo - Enasec um evento bastante relevante ao Secretariado Executivo por permitir a discussão de temas da área secretarial, a partir do viés acadêmico promovido pela Associação Brasileira de Pesquisa em Secretariado (ABPSEC). Por isso, este estudo, de abordagem quantitativa, possui como objetivo geral: analisar bibliometricamente a produção científica dos autores nos anais do Enasec, categorizando-as por grupos de trabalho. E como objetivos específicos: identificar as áreas de concentração das produções científicas; verificar a evolução do número de publicações por grupo de trabalho; levantar o número de ocorrências dos termos relacionados à área secretarial; e levantar a reincidência de publicações por instituição nas produções científicas, dos trabalhos completos, nos anais do Enasec. Nesse contexto, tem como questionamento: quais as possibilidades de linha de pesquisa em secretariado executivo, com base nas produções científicas publicadas nos anais do Enasec nas quatro edições do evento? Concluiu-se que não é possível inferir sobre as linhas de pesquisas devido ao pequeno número de publicações existentes no evento. Ainda, verifica-se que, para que a área de secretariado se consolide como ciência, produções precisam ser estimuladas.
Mostrar más

27 Lee mas

Sifílis congênita: um desafio á saúde pública

Sifílis congênita: um desafio á saúde pública

Brasil, (2012 b) destaca que a sífilis congênita é um agravo de notificação compulsória, sendo considerada como verdadeiro evento marcador da qualidade de assistência à saúde materno-fetal em razão da efetiva redução do risco de transmissão transplacentária, de sua relativa simplicidade diagnóstica e do fácil manejo clínico/terapêutico. Dados epidemiológicos atuais alertam para a problemática, pois podem refletir a falta de qualidade da assistência ao pré natal bem como ao comprometimento de profissionais envolvidos nessa assistência visto que há protocolo específico ao atendimento das gestantes com sífilis institucionalizado em todo território nacional. Várias estratégias foram adotadas ao longo do tempo a fim de interromper a transmissão vertical da doença e mesmo assim continua com alta incidência.
Mostrar más

25 Lee mas

Show all 10000 documents...