PDF superior Avaliação das características mecânicas de pavimentos de madeira antigos

Avaliação das características mecânicas de pavimentos de madeira antigos

Avaliação das características mecânicas de pavimentos de madeira antigos

Desde muito cedo que a madeira é utilizada na construção de edifícios, sendo um dos materiais mais utilizado entre o Séc. XVII e o Séc. XIX, por ser leve, fácil de transportar e fácil de trabalhar. Por isso, o que se pode verificar é que nos edifícios mais antigos, datados entre o Séc. XVII e o Séc. XIX, o material construtivo mais abundante era a madeira. Esta era utilizada na construção dos pavimentos, constituídos normalmente por vigas de madeira dispostas paralelamente entre si, onde posteriormente assentavam, perpendicularmente, as tábuas de soalho. A parte inferior do vigamento era ocultada por tetos trabalhados em estuque que eram suportados por ripas de madeira pregadas ao vigamento. Na figura 4.1.1 pode-se ver a parte inferior de um pavimento de madeira do fim do Séc. XIX, onde foi retirado o teto em estuque, podendo-se ver o soalho, o vigamento e as ripas de madeira de apoio ao tecto estucado [5].
Mostrar más

127 Lee mas

Avaliação das características mecânicas de pavimentos de madeira antigos utilizando identificação dinâmica

Avaliação das características mecânicas de pavimentos de madeira antigos utilizando identificação dinâmica

dicotiledóneas, ou folhosas, que possuem madeiras tanto de baixa, como de elevada qualidade. O castanho, o eucalipto, o carvalho e a nogueira são algumas espécies de madeira folhosa [2]. Estes dois tipos de madeira referidos diferem, não só na sua aparência exterior, mas também ao nível atómico do tecido lenhoso. O lenho é constituído pelo borne, cerne e medula. O borne situa-se na zona mais externa do lenho e possui uma cor mais clara; é por isso a madeira mais jovem do tronco. A camada mais interior junto da medula é o cerne. Esta zona da árvore apresenta uma cor mais escura do que o borne, já que possui uma maior densidade, resistência e estabilidade a humidade e agentes de degradação biológica. A medula encontra-se na zona mais central da árvore e não tem qualquer resistência mecânica e durabilidade. Os raios medulares são igualmente importantes para a definição qualitativa da madeira do tronco. Prolongam-se de forma radial desde a medula até á casca e são responsáveis pelo transporte e armazenamento de sustâncias nutritivas [2].
Mostrar más

86 Lee mas

Caraterização das propriedades físicas e mecânicas da madeira de carvalho e de castanho do Nordeste Transmontano

Caraterização das propriedades físicas e mecânicas da madeira de carvalho e de castanho do Nordeste Transmontano

O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades físicas e mecânicas de duas espécies de madeira: o castanho e o carvalho. Numa primeira fase foi feita uma pesquisa bibliográfica sobre estas duas espécies de madeira, em função: da origem; formação; singularidades e características básicas, atendendo à maior importância para o desempenho estrutural, como o teor em água, variação dimensional e massa volúmica. Foi dada especial atenção à leitura das várias normas e procedimentos relativos à caracterização mecânica da madeira. Numa segunda fase do trabalho foram efetuados diferentes ensaios em laboratório para verificação e análise dessas propriedades. Os ensaios foram divididos em dois grupos: estudo da variação dimensional das duas espécies de madeira, na presença de água; e avaliação do comportamento mecânico, através de ensaios à tração, para melhor compreensão das características e comparação com outras madeiras. Foi estabelecido um programa de ensaios laboratoriais criterioso, com base em procedimentos normativos e estudos recentes da bibliografia, tendo sido ainda desenvolvidos procedimentos de ensaio adicionais.
Mostrar más

111 Lee mas

Avaliação numérica de soluções de reforço para edifícios antigos

Avaliação numérica de soluções de reforço para edifícios antigos

Cada um dos edifícios estudados tem uma planta aproximadamente rectangular, com excepção do edifício E4 localizado do canto a N-W do grupo de edifícios, que possui uma planta de forma aproximadamente trapezoidal. No que diz respeito à geometria em altura, os edifícios E1 e E2 (no quadrante S-E) são constituídos por um piso térreo, dois pisos elevados e um sótão. Os edifícios E3 e E4 são compostos por um piso térreo, três pisos elevados e um sótão. Tal como é típico na Baixa de Coimbra, estes edifícios não têm cave. Nos edifícios da Baixa de Coimbra, a tipologia arquitectónica e as soluções construtivas são variáveis em função das dimensões e da nobreza dos edifícios. Os edifícios residenciais representam a maioria dos edifícios da Baixa de Coimbra e são dotados de esquemas estruturais simples: paredes de alvenaria de pedra, pavimentos e cobertura em estrutura de madeira (ver Fig. 3). Reconhece-se que esta interpretação estrutural simples não é por vezes tão clara, quer pela existência de paredes interiores que passam a ter funções pseudo- resistentes, quer pela existência de elementos em madeira (viga mestra de madeira) embebidos na alvenaria, atravessando todo o edifício.
Mostrar más

21 Lee mas

Análise de pavimentos de madeira através de ensaios in situ. O caso dos edifícios antigos do Porto

Análise de pavimentos de madeira através de ensaios in situ. O caso dos edifícios antigos do Porto

As leituras com os sismógrafos foram particularmente úteis na avaliação da importância relativa dos vários elementos do pavimento. Para perceber a influência dos tarugos e da largura da faixa de pavimento na sua vibração, fizeram-se várias leituras. Primeiro analisou-se o pavimento com o comprimento original (30,0m); em seguida foi efectuado um corte no soalho numa faixa de 3,5m, (ficando-se com uma área de 6,0x3,5m2). Posteriormente removeram-se os tarugos dessa faixa de pavimento e, finalmente, fez-se a leitura numa viga isolada, figura 15. A comparação das leituras destas quatro situações, que andam entre os 7,0Hz e os 10,0Hz, permitiu avaliar a importância dos vários elementos, soalho, tarugos e vigas, no comportamento estrutural do pavimento e, simultaneamente, fazer uma avaliação de valores médios do módulo de elasticidade da madeira. Verificou-se ainda que os valores das frequências de vibração, resultantes da campanha de medições experimentais in-situ, se aproximaram dos valores teóricos calculados segundo o EC5 [8].
Mostrar más

15 Lee mas

Avaliação das propriedades físicas e mecânicas do concreto compactado com rolo com substituição parcial de cinza de madeira

Avaliação das propriedades físicas e mecânicas do concreto compactado com rolo com substituição parcial de cinza de madeira

O concreto compactado com rolo (CCR) é composto de cimento Portland e compactado por meio de rolos compressores vibratórios, utilizado principalmente para a execução de sub-base de pavimento rígido (DNIT, 2013). Deve ser dosado por método racional, de modo a se obter uma mistura com trabalhabilidade adequada para ser compactada com o rolo liso vibratório, resultando um produto final com a resistência à compactação exigida pela Norma DNIT 056/2013-ES (DNIT, 2013). Para prover as características físicas o concreto é composto por uma mistura de água, agregado miúdo, agregado graúdo e materiais cimentícios (ARAUJO et al., 2000).
Mostrar más

61 Lee mas

Ampliação de edifícios antigos em altura - Solução estrutural em madeira

Ampliação de edifícios antigos em altura - Solução estrutural em madeira

R ESUMO Esta dissertação tem como objetivo a realização do projeto da ampliação vertical de um edifício antigo de alvenaria resistente, utilizando uma solução leve, nomeadamente uma estrutura integralmente em madeira. Com esse objetivo estudaram-se previamente as características físicas e mecânicas da madeira, analisando-se as principais vantagens e desvantagens deste material, e as normas que devem ser respeitadas para o correto dimensionamento deste tipo de estruturas. O projeto contempla as opções tomadas na definição da estrutura e no seu dimensionamento, nomeadamente da cobertura, pavimento e paredes, dando especial atenção às ligações entre os elementos estruturais, que é um tema complexo e essencial no dimensionamento de estruturas em madeira; apresentam-se os detalhes do projeto estrutural, a quantificação de ações, o dimensionamento dos elementos e a pormenorização das ligações, incluindo peças desenhadas relevantes. Complementarmente, apresentam-se vários produtos derivados da madeira disponíveis no mercado atual e as suas aplicações, bem como as ligações mais utilizadas. Para além disso, foram realizadas análises de sensibilidade relativamente ao comportamento da estrutura para se perceber o impacto das decisões tomada ao longo deste trabalho.
Mostrar más

125 Lee mas

Avaliação local da capacidade mecânica de elementos de madeira em edifícios antigos

Avaliação local da capacidade mecânica de elementos de madeira em edifícios antigos

Da campanha laboratorial resultaram correlações aceitáveis para a maioria das situações estudadas. De facto, obtiveram-se valores para o fator de determinação (R 2 ) situados entre 0,5 e 0,6 para a maioria dos casos, podendo afirmar-se que tanto o Resistograph® como o Pilodyn® parecem ser úteis na estimativa da massa volúmica, resistência à compressão e resistência à indentação. O ensaio de dureza estática revelou-se ser o menos afetado pela heterogeneidade da amostra, apresentando-se por isso como um bom indicador da massa volúmica e das propriedades mecânicas da madeira. Parece ainda existir uma correlação forte entre os resultados dos ensaios com o Resistograph® e com o Pilodyn®, pensando-se assim que estes se possam complementar num processo de avaliação e diagnóstico.
Mostrar más

12 Lee mas

Avaliação da segurança de dois pavimentos em madeira

Avaliação da segurança de dois pavimentos em madeira

Apresentaram-se nesta comunicação dois casos de estudo de reabilitação de pavimentos de madeira em edifícios antigos de prestígio: o pavimento da sala de reuniões da C.M. de Arcos de Valdevez e o pavimento do coro alto da igreja da N. Sr.a da Conceição, em Braga. Em ambos casos era pretendido aumentar as cargas de serviço das estruturas, o que levou à realização de um estudo detalhado, onde se incluíram um levantamento, uma inspecção e uma análise da segurança dos pavimento. Após o estudo detalhado, foi possível concluir que, para os dois casos de estudo, é viável a sua utilização para maiores cargas de serviço, sendo necessário para o segundo pavimento obras de reforço estrutural.
Mostrar más

10 Lee mas

Diagnóstico e avaliação da segurança de estruturas de madeira existentes

Diagnóstico e avaliação da segurança de estruturas de madeira existentes

Para tal, é possível recorrer a outra duas metodologias: Ensaios semi-destrutivos e Ensaios destrutivos. Ensaios semi-destrutivos caracterizam-se como o estudo em laboratório de provetes de pequena dimensão e isentos de defeitos, possibilitando assim a obtenção de informações importantes relativas às características mecânicas da madeira. No entanto, esta metodologia implica a remoção desses pequenos provetes, mas devido às suas reduzidas dimensões e desde que se tomem os devidos cuidados (medidas de reparação) das zonas das peças ensaiadas, é possível não tornar a mesma inutilizável. Por outro lado, os Ensaios destrutivos são metodologias realizadas em laboratório, em provetes de tamanho real, sendo o processo que fornece informações mais rigorosas sobre as características mecânicas e físicas dos elementos estudados, sendo no entanto necessário para isso, a destruição dos elementos estudados. Devido a isso, nem sempre esta metodologia é aplicada, nomeadamente em obras em que o objetivo principal é a reabilitação da estrutura existente.
Mostrar más

205 Lee mas

Avaliação, tratamento e consolidação de madeira em edifícios antigos

Avaliação, tratamento e consolidação de madeira em edifícios antigos

Efetuada a inspeção visual é comum avaliar a extensão da zona afetada e estimar o nível de danos no sentido de definir a estratégia de reabilitação a adotar. Para isso recorre-se a equipamentos mais ou menos sofisticados para identificar defeitos ocultos ou alterações na estrutura em partes não visíveis, assim como para tentar estimar características físico-mecânicas (Ramundo, et al., 2011). Deste modo, existe um conjunto de técnicas, umas mais expeditas outras mais complexas, que permitem em muitos casos estimar ou conhecer as condições dos elementos de madeira. Dentro destes ensaios, os não destrutivos, é comum fazer-se uma distinção em função do carácter mais ou menos global dos seus resultados. Assim, tem-se os métodos locais de ensaio (MLE), que auxiliam diretamente a inspeção visual, como é o caso do Resistograph® e do Pilodyn®, e os métodos globais de ensaio (MGE), que embora sejam difíceis de implantar in situ, apresentam a capacidade de avaliar globalmente as peças (Morales, et al., 2013). Neste grupo incluem-se os ultra-sons e outros métodos de propagação de ondas (Feio & Lourenço, 2005).
Mostrar más

157 Lee mas

Reforço de Pavimentos Existentes de Madeira com Lajeta de Betão

Reforço de Pavimentos Existentes de Madeira com Lajeta de Betão

Resistográfo, para avaliação do estado de conservação interno da madeira. Os resultados obtidos através destes ensaios foram bastante úteis para a interpretação dos danos existentes nos elementos estruturais de madeira. O resistógrafo é um instrumento que relaciona a energia despendida pela penetração de uma agulha a velocidade constante com a resistência da madeira à perfuração, permitindo detetar zonas dos elementos de madeira que apresentam degradações, podridões ou vazios internos. Assim, através da leitura dos resultados é possível estimar algumas das características mecânicas da madeira, avaliar o estado de conservação dos elementos estruturais e definir secções residuais úteis. As suas perfurações são quase impercetíveis e não têm qualquer influência na resistência mecânica das peças. Este equipamento foi utilizado em zonas especificamente escolhidas e representativas da estrutura dos pavimentos com o objetivo de avaliar o seu estado de conservação estrutural. Foram realizados um total de 96 ensaios (Figura 2.5 a).
Mostrar más

232 Lee mas

Integração de Estruturas de Madeira em Edifícios Antigos - Análise de um Caso de Estudo

Integração de Estruturas de Madeira em Edifícios Antigos - Análise de um Caso de Estudo

O trabalho efetuado procura perceber a importância da madeira nos edifícios antigos e de que forma pode influenciar o seu comportamento. Numa primeira fase procura-se perceber o funcionamento das estruturas dos edifícios antigos, concluindo-se tratar-se de construções para as quais todos os elementos devem funcionar em conjunto. Neste funcionamento, a madeira tem um papel preponderante, dotando o edifício de sistemas de distribuição de forças e servindo de elemento de ligação ente as paredes de alvenaria. Todavia, os elementos e os materiais que constituem estas construções sofrem degradação e danos ao longo do tempo, tornando-as menos robustas e obrigando a intervenções regulares, quer de simples manutenção, quer de reabilitação e/ ou reforço que permitam repor as características físicas e mecânicas estruturais, entretanto perdidas. Estas medidas podem passar pela utilização de sistemas/ técnicas inovadoras, compatíveis com as originais, ou pelo reconhecimento das técnicas eficazes usadas pelos construtores originais e intervir reutilizando-as.
Mostrar más

139 Lee mas

Efeito da vaporização em madeira de Eucalyptus dunnii sobre algumas propriedades mecânicas.

Efeito da vaporização em madeira de Eucalyptus dunnii sobre algumas propriedades mecânicas.

MATERIAL E MÉTODOS Para realização do presente estudo utilizaram-se toras de Eucalyptus dunnii das procedências Urbenville e Dorrigo. O experimento está situado a 25º20’ S e 49º14’ W, a uma altitude de 920 m, município de Colombo (PR). O clima da região, sempre úmido, com temperatura média do mês mais quente inferior a 22ºC e a do mês mais frio, superior a 10ºC, ocorrendo mais de cinco geadas anuais. O solo, de baixa fertilidade, caracteriza-se como Cambissolo A proeminente. As árvores, de ambas as procedências, caracterizam-se por apresentarem fustes de boa conformação, retilíneos, copas distribuídas de forma centrada, desgalhamento normal e perfeita sanidade.
Mostrar más

11 Lee mas

A influência das condições de cura nas propriedades das argamassas de cal para revestimentos antigos

A influência das condições de cura nas propriedades das argamassas de cal para revestimentos antigos

Os coeficientes de absorção de água por capilaridade obtidos variam entre 0,18 e 3,27 kg/(m 2 .min 1/2 ) aos 5 min. Os valores das resistências à compressão apresentam-se entre 0,8 e 7,1 MPa. Na comparação feita entre estas duas características Magalhães, et al. (MAGALHÃES, et al., 2006) concluíram haver uma correlação em que se observa uma tendência para um aumento da absorção de água com a redução da resistência. Quanto à análise realizada “resistência vs aspetos da composição” verificou-se que as melhores resistências foram obtidas em argamassas com misturas de agregados de diferentes naturezas; argamassas com um único tipo de agregado apresentaram resistências inferiores; de onde se conclui que a associação, numa mesma composição de argamassas, de agregados de diferentes naturezas (nomeadamente calcários e/ou basálticos) aos agregados siliciosos parece contribuir para o incremento da resistência.
Mostrar más

155 Lee mas

Avaliação de qualidade do ar interior em função das características de ventilação das edificações

Avaliação de qualidade do ar interior em função das características de ventilação das edificações

4.8 Parecer geral As características gerais das informações mostram que os protótipos 1 e 2 não são capazes de atender os parâmetros de temperatura em situações em que essas sejam elevadas, apresentando-se muito suscetíveis a influências externas. No protótipo 1 ocorre a falta de renovação do ar e no protótipo 2 existe muita exposição, devido à vulnerabilidade das aberturas. Os protótipos 3 e 4 tiveram melhores resultados em situações extremas com altas temperaturas, e o aspersor do protótipo 4 possui eficiência na refrigeração do ambiente. Por outro lado, a umidade relativa do ar no interior do protótipo 4 se torna muito elevada, o que, teoricamente, poderia resultar em maior presença e fungos. Porém, o resultado foi bem contrário às expectativas nesse parâmetro.
Mostrar más

95 Lee mas

IMPLANTAÇÃO DA COLEÇÃO DE AMOSTRAS DE MADEIRA: CARACTERÍSTICAS DA MADEIRA COMO MATERIAL DE ESTUDO

IMPLANTAÇÃO DA COLEÇÃO DE AMOSTRAS DE MADEIRA: CARACTERÍSTICAS DA MADEIRA COMO MATERIAL DE ESTUDO

Um montante de objetos ou itens que constituem um conjunto são denominados de coleção. Uma coleção pode ser de diversos tipos, sendo um deles as coleções biológicas. A coleção biológica pode ser entendida como um conjunto de organismos, ou partes destes, preservados fora do ambiente natural, isto é, de seu sítio de coleta. Estas desempenham um papel de suma importância nos registros sobre a biodiversidade mundial da fauna e da flora. Sua sistematização que vem crescendo ao longo dos anos permite a produção de banco de dados acessíveis por pesquisadores e estudiosos de diversas partes do mundo, criando assim uma importante rede de informações sobre a biodiversidade. Na Engenharia Florestal por exemplo há a necessidade de uma coleção que demonstre o crescimento das árvores e para isso preservar os exemplares é de suma importância. Como preservação entende-se o processo no qual retardamos a decomposição da matéria orgânica e para cada tipologia material serão necessários procedimentos técnicos, conservantes e métodos de preservação específicos. Nos cursos de ensino superior, para melhor compreensão de estudos, para auxiliar nas práticas de determinadas componentes curriculares e para o ensino e pesquisa o uso de coleções, herbários, xilotecas e acervos são fundamentais como por exemplo na Engenharia Florestal e demais áreas relacionadas a flora e a fauna. O objetivo deste trabalho é apresentar uma coleção de madeiras para implementar as aulas dos componentes curriculares da área de tecnologia da madeira, com amostras de troncos de madeira. Estas amostras visam demonstrar os mais variados tipos de defeitos, com o propósito de proporcionar aos alunos mais uma fonte de dados.
Mostrar más

6 Lee mas

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ACÚSTICO DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ACÚSTICO DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS

Nos Estados Unidos da América, existe um modelo (Traffic Noise Model) que contém uma tabela com factores de correcção a serem aplicados aos níveis sonoros das superfícies, a todas as velocidades. Neste modelo, são considerados três tipos de superfícies de referência (camadas betão betuminoso denso e de granulometria descontínua e camadas em betão de cimento) e quatro categorias de veículos. A falta de uma abordagem comum para a avaliação do desempenho acústico, e consequentemente, a existência de uma elevada diversidade de classificações cria alguns problemas, nomeadamente de operação fora dos mercados nacionais. Os projectos europeus HARMONOISE [3] e SILVIA [4] dedicaram um capítulo à classificação acústica de pavimentos com vista à resolução destes problemas. Sendo impossível definir uma superfície de referência para todos os estados membros, uma vez que cada estado terá as suas preferências e diferentes políticas, o projecto HARMONOISE propõe um modelo complexo de correcção do ruído, que depende da definição de um conjunto de superfícies com características acústicas similares (Golden Reference). Deste modo, cada país poderá fazer pequenas correcções tendo em vista a normalização.
Mostrar más

11 Lee mas

Definición y Características de Los Pavimentos Flexibles

Definición y Características de Los Pavimentos Flexibles

En este capítulo se desarrollará en forma concisa los conceptos básicos sobre pavimentos rígidos, para tener una idea general de los tipos de pavimentos, así como de los principales elementos que conforman el pavimento de concreto como son: subbase, losa de concreto, juntas, selladores, tipos de pavimento, etc. Asimismo, se describirá brevemente cada uno de los factores o parámetros necesarios para el diseño de pavimentos rígidos según el método AASHTO 93.

20 Lee mas

Avaliação do risco de incêndio em núcleos urbanos antigos

Avaliação do risco de incêndio em núcleos urbanos antigos

A evacuação dos edifícios é preponderante em caso de incêndio. As dificuldades residem sobretudo na largura dos vãos de saída (unidades de passagem), mas também na inclinação das vias verticais. Estes elementos apresentam normalmente inclinações excessivas, espelhos com alturas elevadas e cobertores com dimensões reduzidas, condições que reduzem significativamente a celeridade da evacuação, além de dificultarem a circulação. A evacuação destes locais é sempre algo problemática, essencialmente devido às apertadas vias de saída e de passagem dos edifícios e das já mencionadas vias verticais inclinadas. Para além deste problema, registou-se ainda a presença elevada de pessoas com mobilidade reduzida ou mesmo acamadas. Este facto alerta para a necessidade de se proceder ao cadastro dos edifícios com habitantes com estas dificuldades, visto que a sua mobilidade depende de terceiros. O conhecimento destas condicionantes permite aos meios de emergência realizarem uma intervenção direccionada, salvaguardando a população no geral, e protegendo os casos de mobilidade reduzida. Além destes, é importante ainda identificar os edifícios ou locais onde se encontram instalados lares, associações, ou outros espaços com significativa concentração de pessoas, de modo a disponibilizar um maior número de meios humanos e mecânicos em caso de necessidade de evacuação. Em termos de acessibilidades, o edificado antigo é de acesso muito condicionado por meios de combate, sendo servidos por vias estreitas e sinuosas, com raios de curvatura mínimos, agravado pela obstrução das vias por estacionamento desordenado e abusivo. Alguns edifícios são servidos unicamente por vias de acesso pedonal, o que torna todo a processo de evacuação de emergência mais condicionado e demorado, além de não permitir uma intervenção completa. A existência destas limitações condiciona todo o aparato de emergência, aumentando o tempo de resposta que, como é sabido, pode ser preponderante para o desenvolvimento e propagação do incêndio.
Mostrar más

10 Lee mas

Show all 10000 documents...